Mídia tradicional dissemina fake news contra Allan dos Santos


Nessa semana, o Ministro do STF Alexandre de Moraes, em mais uma de suas atitudes arbitrárias, e ao arrepio da lei, emitiu uma ordem de prisão ao jornalista conservador Allan dos Santos, que se encontra nos EUA. Infelizmente, a imprensa brasileira de forma quase que uníssona negou-se a emitir qualquer tipo de nota de repúdio, preferindo inclusive referir-se à Allan como “blogueiro”, no intuito de descredibilizá-lo e não assim invocar as proteções jurídicas das quais um jornalista deveria gozar para exercer sua liberdade de expressão. Isso denota que a escalada autoritária que assombra o Brasil não reside apenas dentro das luxuosas paredes do STF, ou dos edifícios que sediam as Big Techs, mas também na redações dos grandes jornais e da mídia brasileira, hegemonicamente de esquerda.

Dentro dos absurdos que estão sendo perpetrados no Brasil, o STF, sob o pretexto de mitigar “notícias falsas para influenciar a população”, mandou fechar o portal no qual Allan trabalhava, usando uma justificativa tão torpe que seria suficiente para fechar qualquer outro órgão de imprensa atuante no país, a ponto de que hoje seria duvidoso afirmar que ainda vivemos sob o manto de um Estado Democrático de Direito. De forma sumária, pelo bel prazer de um ministro, uma empresa jornalística simplesmente foi inviabilizada emulando de forma asquerosa os dias mais negros do nosso período ditatorial. E é óbvio. Isso acontece apenas contra os conservadores. Enquanto isso, vários órgãos podem mentir contra o presidente, gozando da certeza da impunidade, uma vez que no Brasil atual, a justiça é seletiva a ponto de soltar culpados e prender inocentes.

Muitas reportagens, ao cobrir a situação de Allan, pareciam estar mostrando algo vindo de um filme como “Inception” (um filme sobre sonhos dentro de sonhos), só que no caso da imprensa brasileira seria um inception de mentiras, na qual a própria reportagem de fake news se desdobraria em outras fake news menores, como se fosse uma mentira dentro da outra, formando um grande embuste. Na própria matéria que alegava que Allan seria extraditado – o que é uma inverdade -, é afirmado que Allan estaria ilegal, já que seu visto de turista estaria expirado.

O que houve de fato é que Allan entrou nos EUA com visto de turista e, como empresário, iniciou seu processo de mudança de visto de turista para de trabalho. E pelas leis americanas, enquanto esse processo, que pode durar anos perdurar, ele não seria considerado ilegal. Outro elemento mentiroso disseminado contra Allan é que ele seria extraditado pela Interpol. Nos EUA, para que isso acontecesse, ele teria que incorrer em algum crime, e mesmo que ele tivesse infringido a lei, ele ainda assim poderia apelar às cortes de imigração, podendo assim permanecer nos EUA durante o curso de seu processo. Resumindo, Allan não se encontra ilegal, tampouco há risco real de ser extraditado. O que existe de fato é vontade da imprensa em pintá-lo como criminoso e vontade do ministro Alexandre de Moraes em executar uma vingança implacável a um jornalista que desafiou seus excessos autoritários.

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s