Trump faz o discurso mais importante de todo o seu mandato


No dia 2 de dezembro de 2020, quase um mês após a eleição, Donald Trump fez o que será lembrado como o mais importante discurso de toda a sua presidência. Durante mais de 40 minutos, Trump reforçou a narrativa de que a eleição na qual perdera foi fraudulenta e apresentou algo a mais do que indícios. Ele demonstrou que já cruzou uma linha na qual não há mais retorno. Trump passou do ponto de inflexão. Agora ele dá sinais que irá lutar até o fim para mostrar que foi roubado nas urnas, e que esse esforço pode durar até depois do dia 14 de dezembro, data da votação do colégio eleitoral.

O que me parece óbvio é que Trump, tal como um “street fighter” (um lutador de rua), já está mais que acostumado a entrar em conflitos nos quais as regras não importam. Mesmo sabendo das ínfimas chances de permanecer no cargo, Trump não dá sinais de que irá conceder a eleição, mesmo depois do dia 14. Ele começará uma excursão fazendo comícios por todo os EUA para arrecadar fundos e fortalecer a mensagem de que perdeu por fraude.

O que nos parece óbvio é que Trump não quer sair dessa eleição como perdedor e que boa parte do seu público não acredita estar defendendo um candidato, e sim a própria democracia. Trump irá cair atirando. E pode inclusive cair para cima. É possível que a narrativa da fraude, tornando-se hegemônica na direita, confira a Trump uma vitória nas primárias de 2024 que o gabarite para voltar a Casa Branca de forma triunfal.

Mas o que mais chama atenção é como um discurso tão importante, tão sincero, tão único, foi sumariamente ignorado e ridicularizado pela mídia, que claramente recebeu alguma normativa de não mais cobrir Trump como antes. Tal silêncio midiático em face de algo tão marcante é mais do que ensurdecedor, é a prova mais que cristalina da desonestidade da imprensa e de sua tentativa descarada de mascarar a realidade.

Se a mídia americana não cobriu como deveria, a brasileira, então, essa simplesmente nem deve ter sabido da existência do discurso de Trump. Como nossa imprensa só sabe repetir os mantras publicados no New York Times e Washington Post, a única coisa que fazem é emitir declarações defenestrando o presidente americano, na tentativa de assim, acabar por tabela, também atacando o nosso presidente brasileiro. É por isso que o discurso de Trump é tão relevante, e é por isso que eles estão tão empenhados em escamoteá-lo. O que está em jogo nessa luta de Trump não é apenas uma eleição. É o próprio conceito centenário do que viria a ser democracia. Caso os demoniocratas e a mídia consigam de fato deturpar isso, não é apenas a democracia americana que colapsará. E também não é só a brasileira. É a de todo mundo.

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s