O caminho da vitória de Donald Trump


Donald Trump tem uma árdua missão a cumprir no dia 3 do novembro. Ele precisa vencer não apenas Joe Biden mas toda a mídia americana, que está contra ele e quer vê-lo humilhado. Para tanto Trump precisa fazer o mesmo que fez em 2016: conjugar o verbo surpreender. Se as pesquisas eleitorais estiverem corretas – creio que não estão – a eleição já estaria definida e Biden já teria alcançado dos 270 votos eleitorais nos estados em que lidera acima da margem de erro. Por isso, o caminho para uma vitória de Trump passa pela vitória necessária em alguns estados.

Primeiro, precisamos falar dos estados que Trump não pode perder de jeito nenhum. O principal deles é o Texas. Por mais que haja pesquisas mostrando o Texas apertado, os números dos votos antecipados dão vantagem aos republicanos. Então tudo indica que não será nesse ano que teremos uma eleição apertada no Texas. Mas que fique claro. Caso Trump perdesse nesse estado, não haveria chance alguma dele conseguir os 270 votos eleitorais necessários pra ser reeleito.

Outro estado que vem na esteira é a Georgia. Esse estado também parece acirrado nas pesquisas. Diferente do Texas, os números do voto antecipado não são tão favoráveis aos republicanos. Mas olhando outros prognósticos como o mercado de apostas, podemos não só dizer que Trump é favorito no estado como precisaria de uma surpresa para perder nesse estado sulista no dia da eleição.

Agora falaremos da Carolina do Norte, estado também sulista que Biden conquistou em 2008 quando era vice na chapa junto com Barack Obama. Os números estão bem apertados nas pesquisas e o voto antecipado dá vantagem aos democratas. Uma derrota de Trump nesse estado complicaria muito sua situação. No entanto, ele tem chances reais de conseguir manter esse estado na coluna republicana.

Iowa e Ohio são dois estados em que Trump em 2016, apesar de ter perdido por 2 pontos no voto popular, venceu por mais de 10 pontos dentro desses estados. Então Trump não só precisa vencer mas convencer nesses dois estados, uma vez que a demografia deles é muito mais favorável que a demografia de estados como Pennsylvania, Winsconsin e Michigan. Caso ele tenha uma boa vantagem nesses estados, é possível que ele vença nos 3 estados do Rust Belt – cinturão da ferrugem. Já se ele vencer por pouco, é quase certo que ele perca nesses estados e acabe perdendo a eleição.

Arizona é um estado que não vota nos democratas a décadas. Este ano a eleição está difícil graças ao fato de alguns republicanos terem uma eleição local no senado do Arizona onde o candidato democrata está muito a frente. Por isso, como o voto no senado por influenciar o voto para presidente, existe o risco que isso faça com que os democratas levem o estado. Esse será o último swing state a ser apurado no dia da eleição. Para que ele seja decisivo, Trump precisa necessariamente ter vencido antes na Flórida, Georgia, Carolina do Norte, Iowa, Ohio e pelo menos num estado do Rust Belt. Se ele vencer em todos esses estados e perder no Arizona, tudo cai por terra.

Os dois principais estados-chave nessa eleição serão a Flórida e a Pennsylvania. Na Flórida, Trump é favorito devido ao fato do voto antecipado estar apertando e também pelo fato de homens hispânicos estarem apoiando Trump numa proporção maior que na última eleição. Uma possível derrota da Flórida geraria 99% de chances de vitória para Biden. Se Trump vence na Flórida, é Trump que passaria a ter 60% de chance de vencer. Vencendo na Flórida, Trump precisaria manter todos os outros swing states e vencer na Pennsylvania.

O grande problema de Trump é que, diferente da Flórida, na Pennsylvania o voto antecipado favorece muito Biden, assim como outras métricas. Todas as pesquisas mostram Biden na frente. Fora isso, existe uma chance enorme de que esse estado seja alvo da maior fraude eleitoral da história para beneficiar os democratas. Então existe a possibilidade de Trump vencer nesse estado no dia da eleição e conforme os dias passem, votos democratas continuarem a chegar nas semanas seguintes a eleição e assim virarem o estado.

Por isso, o caminho para a vitória de Trump seria evitar que Biden chegue a 270 votos eleitorais, excluindo os estados de Michigan, Winsconsin e Pennsylvania. Nessa eventualidade, caso Trump termine vencendo nesses 3 estados no dia da eleição ele pode usar sua super maioria na Suprema Corte para interromper a contagem de votos nesses estados e assim conseguir se reeleger. É óbvio que esse cenário geraria uma enorme convulsão social, mas ele ainda é muito melhor do que uma vitória de Biden.

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s