O QUE EDIR MACEDO TEM A ENSINAR PARA OS BETAS?


 

Antes de começar, fica aqui claro que não possuo nenhum apreço por essa figura abjeta. No entanto, ao olhar sua história, acho que todos nós devemos nos debruçar para aprendermos algo útil.

Para mim, nenhuma figura pública é tão rica do ponto de vista humano que Edir Macedo. Caso fosse feito um filme honesto sobre ele com um bom ator e um bom roteiro, com certeza seria o primeiro Óscar do Brasil, pois nenhum outro personagem consegue reunir tantas camadas de psicopatia. Edir Macedo sintetiza o caráter do brasileiro comum, eleitor de corruptos em troca de benefícios estatais, sempre disposto a fazer qualquer coisa para alcançar os seus próprios objetivos, não se importando com mais nada.

Do mesmo modo no qual quando um avião cai examinamos O QUE DEU ERRADO, quando uma pessoa que nasce na total pobreza, desprovido de beleza, dinheiro ou status, torna-se um dos homens mais bem-sucedidos de sua geração, devemos nos perguntar: O QUE DEU CERTO?

Pois bem.

Macedo nasceu numa cidade ordinária, numa família ordinária, numa casa ordinária. Tinha uma aparência ordinária. E pra piorar, ainda nasceu com um defeito na sua mão. Desde criança não só seus 6 irmãos mas todos os seus colegas de escola caçoavam dele.

Com baixo autoestima, Macedo foi desenvolvendo um comportamento antissocial e rancoroso. Mas diferente de algumas pessoas que usam as dificuldades da vida como pretexto para seu fracasso, vitimizando-se, Macedo a usou como combustível para seu esforço. Em nenhum momento ele aceitou a situação em que estava e decidiu que faria de tudo para mudá-la.

Lição n1: quem é bom em se desculpar não consegue ser bom em nada

Um episódio interessante que ocorreu é que Macedo tinha muitos irmãos e um pai muito pobre e ignorante. Desde cedo ele teve de trabalhar e seu relacionamento com seu pai não era dos melhores. Se seu pai terreno não lhe provia, Macedo buscou a provisão do pai espiritual. Perambulou entre igrejas católicas, terreiros de umbanda, igrejas evangélicas, sempre em busca de uma mensagem coubesse dentro de sua ambição.

Lição n2: Quem almeja muito e trabalha pra tal, pode não conseguir o que queria, mas chega em algum lugar; já quem não almeja nada geralmente não chega a lugar nenhum.

Quando Macedo era um jovem beta, ele nunca foi incluído entre o grupinho dos legais. Pobre, ele estava sempre cansado, trabalhando, estudando e em outras atividades. Quando se apaixonou, foi rejeitado. Sua rejeição social e amoroso não só se dava devido ao fato de ter uma mão defeituosa, mas principalmente pelo fato de ser POBRE e pelo fato de não ser importante.

Mais tarde, quando Edir Macedo estava milionário, ele fez questão de voltar a sua cidade para mostrar a todos que o humilharam o quanto eles estavam errados. Macedo percebeu que não precisava apenas ter dinheiro mas ser referência numa área. Alguém que todos lembrariam quando falassem daquilo, não importando se falando bem ou mal, falariam dele.

Lição n3: A maior vingança para aqueles que te humilham é seu sucesso.

Uma vez adulto, Macedo conseguiu um excelente emprego num órgão público, com estabilidade que muitos invejariam. No entanto, não era isso que ele almejava. Macedo era um risk-taker. Ele estava disposto a jogar tudo pra trás em busca de seu sonho. Empreendedor, ele junto com outros colegas da sua então igreja começaram a abrir a sua própria franchise da fé.

Sua ideia seria praticar um tipo de extorsão jamais vista antes, sob o manto da religião Macedo venderia um deus que todos gostariam de acreditar – caso existisse-, que é um deus que te escolhe e faz exatamente aquilo que você quer, bastando para tanto que apenas você o gratifique com dinheiro. E quem receberia esse dinheiro? Ele. É claro.

Lição n4: Quem vende aquilo que todo mundo quer e ninguém oferece com certeza fica rico.

É óbvio que algo dessa desfaçatez geraria muito espanto. Como ele tinha coragem de fazer algo tão inescrupuloso? Macedo não se deixou desencorajar pelo espanto e repreensão dos outros. Ele seguiu caminhando rumo ao seu objetivo.

Lição n5: Não dê ouvido aos críticos. Para eles tudo o que você fizer estará errado. Eles estão apenas procurando um motivo, por menor que seja para te criticar. Pode ser uma fala fora de contexto, um olhar mal dado, uma roupa que você vestiu, um coração que pôs num comentário. Tudo pode ser maldado pelos outros. Nunca se esqueça que se eles não pagam as suas contas, você não lhes deve satisfação.

Quando seu próprio cunhado começou a querer apitar na igreja, querendo diminuir as táticas revolucionárias de estelionato que Macedo praticava, ele não se intimidou. Mesmo com o risco de ganhar um inimigo na família, Macedo resolveu brigar até o fim pelo seu negócio. Já seu cunhado bomzinho, teve que abrir uma outra igreja após um acordo no qual recebeu um dinheiro.

Lição n6: Ninguém chega ao sucesso cedendo. Para vencer é preciso lutar e fazer inimigos. Não há topo para todos e para chegar lá será necessário enfrentar pessoas muito melhores e piores que você. A bondade não é uma virtude quando ninguém tem pena de ninguém. Suas lutas e seus inimigos dizem muito mais sobre quem você do que aquilo que você fala.

Uma vez preso, Macedo nunca se envergonhou. Ele se convenceu que estava sendo crucificado assim como Jesus. Ele conseguiu fazer com quem algo ruim se tornasse em algo positivo. A fama adquirida por sua prisão fez com que seus seguidores ficassem ainda mais fanáticos e suas igrejas mais cheias.

Lição n7: Não importa o que acontece na sua vida, o que importa é a NARRATIVA. Se algo ruim acontece, você pode usar isso numa narrativa de superação, ou numa narrativa de perseguição, o que importa é usar aquilo que acontece com você para se vender como algo maior do que você é.

Portanto, vimos que Edir Macedo chegou a algum lugar porque tinha algumas virtudes que não são comuns. Do contrário qualquer pastor psicopata e desavergonhado também teria chegado aonde ele chegou, incomodado quem ele incomodou e sido atacado como ele foi atacado.

O sucesso atrai não apenas mulheres, mas ataques sórdidos e acusações de todo tipo, que ele soube muito bem se desvincilhar. Muitos caíram por muito menos, mas ele, por ter gerado um vínculo tão forte com seus seguidores, tornou-se inseparável para eles. Como ele dizia o que eles queriam ouvir, negar a ele seria como negar a eles mesmos.

Ele não adquiriu respeito através da aprovação social, fazendo aquilo que a matrix reservou para alguém como ele. Pelo contrário, ele se impôs através da barganha. Macedo mesmo fazendo maldades é mais respeitado que pessoas boas. Enquanto o pobre bondoso é desrespeitado nas filas dos hospitais públicos, morrendo agonizando, Macedo é respeitado por todos, vendedores, fornecedores, empregados, etc, pois seu poder de barganha é altíssimo. Suas relações com seus fiéis são de admiração e com seus não-fiéis e de dependência. Ou você acha que o Paulo Henrique Amorim e outros empregados da Record aprovam o que ele faz? Não, eles se calam porque são obrigados.

Macedo só chegou ao topo num país desigual como o nosso porque não se preocupava com o que pensavam dele, nem tampouco amava o que ele tinha, e sim aquilo que ele queria ter. Seu sucesso foi fruto de várias apostas arriscadíssimas e de muita frieza e cinismo. Para crescer tanto, só tomando muito risco, e ninguém consegue tomar tanto risco se preocupando com o que se tem. O único tipo de pessoa que vê racionalidade em apostar tudo tantas vezes é quem não tem nada a perder.

 

 

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s