A SEITA POLÍTICA DE OLAVO DE CARVALHO


Chefes de seita, como Olavo de Carvalho ou Edir Macedo, fazem uso de técnicas de manipulação muito parecidas.

Um dos fenômenos que acontece com o membro da seita é a dissonância cognitiva. O fiel é obrigado a acomodar várias crenças e falas contraditórias do guru para não admitir a fabilidade dele.

Por exemplo, Edir Macedo diz seguir a Palavra de Deus, ao mesmo tempo que milita a favor do aborto, e até é acusado de vasectomizar pastores. O membro é obrigado a acomodar essas duas coisas, claramente contraditórias, e na cabeça dele ele não vê problema nenhum nisso. De igual modo, o olavete não vê contradição alguma em ver seu guru defender o cristianismo católico mais tradicional ao mesmo passo que xinga palavrões e fuma cigarros – que ele afirma que não fazem mal, a despeito do que afirma milhares de estudos científicos.

Uma outra coisa que chefes de seita fazem é alimentar o instinto tribalista das pessoas. Pra eles, é bem x mal, preto x branco, são bem maniqueístas. Enquanto Macedo vende-se como ungido do Senhor, falando que tudo demais da igreja é “do mundo”, Olavo se vende como defensor da verdadeira direita, sem o menor pudor de chamar qualquer um que discorde dele de comunista.

Chefes de seita trabalham com quantificadores e generalizações pois o cérebro humano no seu sistema límbica é responsável pelas categorizações. Por isso pessoas burras, que gostam de generalizar e rotular as outras, com decisões precipitadas, são mais fáceis de caírem em seitas.

Gurus também fazem uso do senso de gratidão das pessoas. Alguém pode até pensar: “Poxa, o Macedo não é perfeito, mas quantas almas ele não ganhou pra Jesus? Ele realmente está lutando contra as obras do inferno. Assim como uma olavette tem eterna gratidão por crer que o Olavo é o pai da direita no país, que tanto lutou contra os esquerdistas malditos. Sendo assim qualquer excesso estaria justificado.

Gurus alimentam tribalismos também através de demonstrações públicas de poder. Pastores pilantras como Macedo ou Agenor Duque gostam de trazer “demônios” na frente da igreja. Lá eles enfrentam o mal e vencem-no, fazendo com que os fiéis torçam e vibrem com a vitória do “bem contra o mal”. Olavo faz isso também quando entra em discussões desnecessárias com supostos esquerdista e depois brada que os humilhou, estimulando o senso de torcida e vibração dos fiéis de sua seita.

Não se enganem. Gurus tem planos de poder pessoal e apenas usam seus fiéis como massa de manobra. Os fiéis se sentem agraciados por conhecerem a verdade que as pessoas normais não conhecem e que só o guru descobriu. Eles criam uma relação emocional com guru, que pouco a pouco vira parte de sua identidade. Assim, o efeito backfire atua. Quanto mais criticamos os gurus, mais os fiéis ficam com raiva da gente e mais eles amam o guru. Por isso que quanto mais a Globo metia o pau no Macedo mais seus fiéis davam dinheiro pra ele. Isso acontece porque o guru controla os principais marcadores somáticos das pessoas. Ele sabe mexer com os sentimentos delas, principalmente com a questão do medo.

Gurus como Olavo ou Jim Jones são narcisistas ególatras e não admitem estarem errados, mesmo quando pegos, como foi o caso da PEPSI ou de quando disse que 90% dos universitários eram analfabetos funcionais. Olavo precisa criticar a academia, pois suas táticas não gozam de empiricismo ou citação de fontes confiáveis. Ao contrário do que acontece nas universidades, onde um professor pode corrigir o erro do outro, no Olavismo, Olavo dá a palavra final e ponto final. Quem discorda está errado e muitas vezes será repreendido pelo guru de forma vexatória.

Gurus também fazem uso de teorias da conspiração e narrativas convenientes. Do mesmo jeito que pastores pilantras alertam que Jesus pode voltar a qualquer momento, fazendo com que os fiéis fiquem apreensivos, alertas e paranoicos, Olavo cria a narrativa de que a esquerda é muito maior do que é, que existe uma grande conspiração do Foro de São Paulo para transformar o Brasil numa ditadura comunista.

Um ponto que merece destaque é que as teorias da conspiração dos gurus são fáceis de acreditar e convenientes. É muito conveniente para um cristão acreditar que existem forças ocultas contra ele, que globalistas, islâmicos e comunistas estariam num conluio contra ele. Tais teorias tem aspectos de verdade, mas os gurus atribuem a elas motivações conspiratórias, como se a realidade fosse engendrada por um grupo de pessoas más reunidas em algumas sala. Logo, a degeneração e a hegemonia cultural esquerdista não seriam fruto de um complexo processo natural, mas sim meramente fruto do Marxismo Cultural e do Gramscismo.

Gurus fazem uso do víes de confirmação das pessoas. Eles dizem exatamente o que as pessoas querem ouvir pra ganhar a confiança delas, depois enchendo a cabeça delas com suas teorias sem nexo causal. Uma pessoa de direita, cristã, fica seduzida pela mensagem olavista pois é conveniente.

São tantas as semelhanças do Olavismo com seitas que esse texto poderia ficar enorme. O interessante é que uma olavete, caso leia esse texto, terá duas reações: raiva ou risada. Pois esse é o que acontece quando somos confrontados com verdades inconvenientes. Nosso cérebro não quer admitir que fomos enganados, então cria justificativas e narrativas para continuar acreditando nos mesmos erros.

A saída mais fácil é simplesmente invalidar o mensageiro, rotulando-o como comunista, esquerdista, satanista, etc. Membros de seita adoram argumentos ad hominem, pois não conseguem lidar com algumas verdades.

Anúncios

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s