Dossiê Tinder: por que o aplicativo é uma perda de tempo para homens feios


Amigos, esses dias um conhecido me relatou um fenômeno interessante. Ele disse que tinha baixado o tinder para ver se conseguia transar com alguém e ele disse que depois de meses ele não conseguiu nenhum match. Aquilo me deixou espantado. Nenhum match? Nenhumzinho? Perguntei a ele se ele era muito criterioso e ele respondeu-me que só não dava like nas muito feias e nos travecos (que possivelmente seriam os únicos que dariam like no perfil dele).

Tendo pensado nesse caso eu fiquei intrigado. O tinder não era tão difícil assim no passado. Alguma coisa estava acontecendo e eu precisava averiguar. O que eu descobri é que o app mudou bastante seu algoritmo desde as suas primeiras versões. Diferente de antes, quando os likes eram ilimitados, hoje eles são limitados a 100 perfis por dia, ou seja, você só tem 100 perfis pra likear, o que faz com que você seja mais seletivo com os likes que você dá. Uma outra mudança é a alteração de GPS. Como existem mais mulheres gatas em bairros nobres e o tinder selecionava primeiro os perfis mais próximos de você, era comum no passado um periférico usar um gps falso pra ter mais chance de dar matches. Tudo isso acabou.

Com o advento do superlike e do tinderplus o aplicativo ficou cada vez mais difícil para os não-assinantes. O fator superlike, por aumentar em 70% a chance de match, inseriu no aplicativo o poder da variável renda, uma vez que quem podia pagar a mensalidade agora podia sair na frente dos demais. Um outro ponto é que o assinante também pode mudar sua localização, o que não é mais possível fazer na versão gratuita.

De um modo geral, a desproporção entre homens e mulheres é tamanha que os homens feios estão cada dia mais marginalizados e desistindo do app. Enquanto homens ficam muito tempo no app e focam na quantidade, mulheres ficam pouco tempo e focam na qualidade. Geralmente o homem entra e fica dando like nos perfis até conseguir seus matches, repetindo o processo vários dias, até que as mulheres que ele likeou entrem e vejam o perfil dele, aceitem ou não, e assim começam os matches dele. Já com a mulher é mais simples. Ela faz o perfil, deixa lá um tempinho e com o passar do tempo os caras vão dando like nela. Quando ela abrir o app os primeiros perfis aparecendo são dos caras que já deram like nela, então todos que ela likear serão matches. Viu como é mais fácil?

Uma outra diferença é que as mulheres tendem a conversar com menos gente de cada vez. Esse é um dos motivos pelos quais muitos caras dão oi e ficam falando sozinhos ou simplesmente são ignorados. O próprio fato delas entrarem menos no app que os homens já aumenta a possibilidade da resposta dela demorar muito.

Como a chance do seu perfil aparecer pra menina que você likeou é cada vez menor depois da últimas mudanças, existem algumas dicas que dizem que fazem sua probabilidade aumentar no app, como ter um perfil completo, conversar com todos os matches e olhar todas as fotos da pessoa antes de dar match – o tinder boicota quem dá like em todo mundo sem ver.

PESQUISA SOBRE O TINDER E A REGRA 80-20 NA PRÁTICA

Um estudo foi realizado para quantificar as perspectivas socioeconômicas do Tinder para homens com base no percentual de mulheres que likearam eles. Dados foram analisados ​​estatisticamente para determinar a desigualdade no Tinder. Foi determinado que os 80% dos homens inferiores (em termos de atratividade) estão competindo pelos 22%  das mulheres inferiores e que  78% das mulheres tops em beleza estão competindo pelos 20% dos homens mais bonitos.

O coeficiente de Gini para a economia Tinder com base em porcentagens “semelhantes” foi calculado em 0,58. Isso significa que a economia Tinder tem mais desigualdade maior que 95,1% de todas as economias nacionais do mundo. Além disso, foi determinado que um homem de atratividade mediana seria “apreciado” por aproximadamente 0,87% (1 em 115) das mulheres no Tinder.

Agora que aprendemos que no Tinder há uma grande diferença no número de “likes” que um cara atraente recebe contra um cara sem atrativo, devemos entender essa tendência em termos mais quantitativos. Para fazer isso, decidi tratar o Tinder como uma economia e estudá-lo como economista (sócio-economista).

A ECONOMIA DA PUTARIA

Primeiro, vamos definir a economia do Tinder. A riqueza de uma economia é quantificada em termos de sua moeda. Na maior parte do mundo, a moeda é dinheiro. No Tinder, a moeda são “LIKES”. Quanto mais “likes” você consegue, mais riqueza você tem no ecossistema do Tinder.

 

SACANAGEM EM PESQUISA

Sabe-se que a mulher média “likeia” 12% dos homens no Tinder. Isso não significa, entretanto, que a maioria dos homens será “likeado” por 12% de todas as mulheres que eles likearam no Tinder. Este seria apenas o caso se os “likes” fossem igualmente distribuídos. Na realidade, os 80% dos homens mais feios estão lutando pelos 22% das mulheres mais feias e os 78% das mulheres mais bonitas estão lutando entre os 20% dos homens mais bonitos. Podemos ver essa tendência na Figura 2. A área em azul representa as situações em que as mulheres são mais propensas a “likear” os homens. A área em rosa representa as situações em que os homens são mais propensos a “likear” as mulheres. A curva não desce linearmente, mas cai rapidamente após os 20% dos melhores homens. Comparando a área azul e a rosa, podemos ver que, para uma interação aleatória de Tinder feminino / masculino, o macho provavelmente “likeia” fêmeas 6,2 vezes mais do que a fêmeas “likeiam” o macho

Avaliando o gráfico acima percebemos porquê as chances de sairmos com uma 10/10 no tinder é tão baixa. Primeiro que uma 10/10 não precisa estar no tinder. Ela já é alvo de homens em todos os ambientes em que frequenta. Segundo, ela pode até entrar no tinder, mas provavelmente é só pra conseguir seguidores no instagram, e acabará usando muito pouco o app. Terceiro, que ela tende a ser likeada por todos os homens, o que leva a mera chance dela avaliar o seu perfil ser muito baixa, pois você estará no meio de uma longuíssima fila com caras muito mais bonitos que você.

Também podemos ver que a distribuição de riqueza para os homens na economia do Tinder é bastante ampla. A maioria das mulheres apenas dá like só nos caras mais atraentes. Se você não faz parte desses 20% mais atraentes, seu perfil só será visto pelas 78% mais feias. E tem mais. Há quem diga que o tinder avalia a beleza de um usuário de acordo com a taxa de like/deslike. Quanto maior for a porcentagem de likes que você dá nas mulheres, mais ele vai te parear com as mulheres que também dão like da maioria dos homens, que seriam as feias. De igual modo, se você der like numa baixa porcentagem das mulheres, ele te parearia mais com as mulheres mais seletivas, que seriam as bonitas.

Então, como podemos comparar a economia do Tinder a outras economias? Os economistas usam duas métricas principais para comparar a distribuição de riqueza das economias: a curva de Lorenz e o coeficiente de Gini. A curva de Lorenz Nesse gráfico entendemos porque os feios serão varridos do tinder caso não paguem pelo serviço. Se você avaliar todos os submedianos (os 40% mais feios), eles praticamente não recebem likes. São provavelmente aqueles que mais precisam de likes, já que são preteridos na vida real, e são aqueles que mais irão se esforçar e baixar o nível pra conseguir um match. Ainda assim, a ferramenta tem se tornado cada vez mais frustrante, pois quando esse feio conseguir um match, será com alguém que também teve matches com caras muito mais bonitos que ele. Caso ele não se diferencie dos outros na questão financeira ou com um papo conquistador, ele entrará no jogo apenas para sofrer desilusões.

O tinder oferece tanto poder às mulheres que não raramente vemos mulheres feias matches com caras muito mais bonitos que elas, e negligenciando os feios. Isso provoca que o sistema seja uma pirâmide, em que os mais bonitos irão pegar muita gente, enquanto muita gente não pegará ninguém. Em suma, o tinder tem dois tipos de vencedores: os homens bonitos, que pegarão muita gente, e as mulheres feias, que poderão conseguir ficar com vários caras bonitos.

No gráfico acima vemos que se o tinder fosse uma economia, ela seria uma das mais desiguais do mundo.

CONCLUSÃO

De acordo com a pesquisa, os homens mais atraentes serão apreciados por apenas aproximadamente 20% de todas as mulheres no Tinder. Esse número é baixo devido a uma combinação de fatores, incluindo mulheres que não usam o site regularmente, perfis falsos, intimidação e alguma variação no que as mulheres mais exigentes acham atraente. No geral, uma taxa de sucesso de 20% pode realmente levar a um grande número de matches muito rapidamente. Caras muito atraentes podem dar like em 100 perfis e fazerem 20 matches no mesmo dia. Vale a pena, não vale?

Infelizmente, essa porcentagem diminui rapidamente à medida que você reduz a escala de atratividade. De acordo com esta análise, um homem de atratividade média só pode esperar ser apreciado por pouco menos de 1% das mulheres (0,87%). Isso equivale a 1 “like” para cada 115 mulheres. Ou seja, sendo mediano, seria preciso dar 100 likes para ter ao menos um match, e isso não garante que esse match seria com aquela gatinha, pode ser com a feiosa.

A conclusão é que, se você está apenas sendo apreciado por apenas algumas garotas feias no Tinder, talvez você esteja investindo seu tempo e esforço em algo que não tem tanto retorno. E você deve mensurar isso. Será que vale a pena esse tempo todo que não poderia ser investido em coisas mais produtivas? Será que seu tempo é tão pouco valioso pra ser desperdiçado assim?

Por exemplo, um cara modelo bonito, tem 20% de probabilidade de match no tinder, mas qual seria a probabilidade desse cara tomar um toco numa balada? As chances dele na vida real são muito maiores que no app, razão pela qual muitos modelos não usam tinder ou simplesmente investem o mínimo de tempo nele. De igual modo, o homem feio deveria usar uma estratégia parecida, usando o app de forma objetiva, sem papo furado, e dando like apenas nos perfis que realmente sairia. Caso não haja matches, o ideal é diminuir o tempo de uso e se o app se comprovar inútil, aconselho apagá-lo do seu aparelho.

O mercado sexual da vida real tem uma série de fatores, como beleza, dinheiro, status, etc. A única variável que o tinder avalia para matches é a beleza. Por isso se você é um cara feio mas com dinheiro e status, o tinder não é pra você. E se você for um cara bonito, paupérrimo e status vexaminoso, talvez o tinder seja o melhor. Ocorre que se você não tiver nem beleza, nem dinheiro, nem status, o único conselho que posso te dar é arrumar dinheiro pra melhorar sua beleza e o seu status, pois infelizmente, no tinder, assim como na vida real, ninguém vai te valorizar apenas pelo que você é.

Fonte: https://medium.com/@worstonlinedater/tinder-experiments-ii-guys-unless-you-are-really-hot-you-are-probably-better-off-not-wasting-your-2ddf370a6e9a

 

Anúncios

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s