MEU RELATO NO NOFAP


Amigos, após meu último texto algumas pessoas me pediram pra escrever sobre a minha experiência com o NoFap. Eu confesso que não tive vontade, mas como hoje em dia a internet é cheia de “alfas” puazeiros que se gabam por supostamente serem comedores e também repleta de gente que vende coach de nofap por R$200,00, creio que o que posso vir a escrever pode ser útil pra alguém.

1- POR QUE O NOFAP

A minha principal motivação pra entrar nessa jornada foi exclusivamente moral. Eu possuo a pessoa da minha família que trabalhou com prostituição e eu pude enxergar todo o impacto destrutivo que essa sujeirada toda teve na velhice dela. Nenhum ser humano é preparado para suportar a degradação física e psicológica de ser usada repetidas vezes por estranhos, sem conexão ou qualquer afeto. O dinheiro que recebem não é uma troca justa, pois ele é fruto de uma exploração econômica de pessoas extremamente vulneráveis, que acabaram sofrendo adiante na vida em virtude das mazelas provenientes daquilo.

É como pagar pra assistir uma luta de boxe. Você paga e se diverte, o lutador recebe e luta. Poderia até valer a pena se ele não terminasse com Alzheimer e Parkinson no final da vida. Por mais que o consumidor não se importe com essas consequências, ele está financiando que isso continue acontecendo. Ao consumir, está gerando demanda e informando o mercado para que esse continue recrutando pessoas que serão as próximas vítimas desse mecanismo vil.

Pois bem. Dito isso, vocês sabem por que condeno a prostituição. E partindo daí, pornografia em muito pouco se difere disso, sendo apenas uma modalidade filmada dela. Assim como no mundo da prostituição, por trás dos sorrisos safados das atrizes pornôs geralmente se escondem surtos de depressão, uso indiscriminado de remédios e drogas, assim como tentativas de suicídio. Como a vida dessas mulheres, tidas como putas, não vale nada, ou muito menos que o prazer dos consumidores, então isso nunca será ponderado.

2- PORNÔZINHO INOFENSIVO

Primeiramente é preciso separar o NoFap em duas partes, que estão intimamente ligadas. O primeiro é o ato de se masturbar e o segundo o ato de assistir pornografia. É muito difícil assistir porno e não querer se masturbar, e muitas vezes o simples ato de querer se masturbar já nos faz abrir essas abas ai de cima do pornô.

A pornografia em si é danosa por vários motivos. Pelo fato de ser farta e variada, ela acaba fazendo com que nosso cérebro libere altíssimas e viciantes doses de DOPAMINA. Com o passar do tempo, toda essa dopamina constante e “gratuita” abalará o sistema de recompensa do seu cérebro. Esse, por entender que aquilo que você mais quer, que é sexo, está sendo conseguido facilmente, então se acostuma com essa facilidade e a usa como referência para as outras áreas da sua vida, o que ocasiona a procrastinação, o desânimo, e em alguns casos a depressão.

Mas isso não é o pior. Ao danificar receptores, a pornografia no longo prazo pode acabar fazendo com que seu cérebro ative outros tipos de receptores, como os do medo, da dor, do nojo, etc. Daí o porquê de alguns viciados partirem para vídeos de parafilias e coisas cada vez mais pesadas. O cérebro deles já está totalmente comprometido.

3- SABOTAGEM RELIGIOSA

Como evangélico, foi-me ensinado desde criança coisas boas e coisas ruins. Definitivamente nesse ponto aprendi conceitos que se comprovaram muito negativos. A visão cristã de estigmatizar a masturbação como algo, a priori, imundo e pecaminoso, acabou não sendo positivo para mim. Não só não me ajudou a parar como encheu minha cabeça de sentimento de culpa, depois arrependimento, e depois eu me masturbava de novo e o ciclo começava repetidas vezes. Eu estava sempre sentindo culpa. E a culpa não era o combustível que eu precisava para parar com aquilo. Era o conhecimento.

A própria ideia de que eu poderia vir a ser castigado por Deus por aquilo é ridícula. Que tipo de Deus autoritário e ditador faria algo contra uma família só porque o filho tocou uma punheta no banheiro? Essa visão da masturbação como algo pecaminoso é algo completamente dissonante do conceito de Graça e da liberdade que deveria ser o evangelho. Muito pelo contrário, apenas aprisiona através do medo e REPRIME AS PESSOAS.

E como qualquer coisa que não é tratada e sim reprimida, uma hora ela sai como um vulcão em erupção. Daí é o que vemos nessas histórias de pastores pedófilos e conservadias vagabundas. Eles se reprimem tanto, que quando se soltam demonstram ser mais pervertidos que o pior dos irreligiosos.

4- DA TÁTICA A PRÁTICA

Agora que você já descobriu que está na matrix da punheta, agora vou te ajudar a sair dela. É muito simples. É só parar de tocar punheta.

Viu como é fácil?

Não, né? Sabe porquê? PORQUE É DIFÍCIL PRA CARALHO. Provavelmente é a maior batalha que um homem pode travar contra si mesmo. É como aprender a dominar um monstro, tal como o Dr. Bruce Banner tem que fazer pra aprender a controlar o Hulk.

É preciso entender que não só o seu cérebro mas todo o seu corpo foi feito para você ejacular, pois é um objetivo biológico da nossa espécie a reprodução. Quanto mais ejaculação, em tese, maior as chances dos seus genes se perpetuarem.

Na minha opinião, os primeiros dias são os mais difíceis, pois seu corpo ainda está viciado na dopamina gratuita advinda da punheta. Um fato que notei nas minhas recaídas foi um certo efeito rebote. Após uma recaída num dia eu sentia uma vontade absurda de me masturbar nos dias seguintes, o que me impedia de voltar pra minha contagem.

Falando em recaídas, elas não só são habituais como são NECESSÁRIAS. Em cada recaída eu aprendi algo sobre mim. Lembro que numa delas eu estava passando pelo twitter e de repente vi um vídeo pornô na minha timeline. Aquilo reacendeu todos os meus impulsos e quando eu vi já tinha caído.

Depois de um tempo eu me vacinei no twitter e até parei com essa sensibilidade toda. Vi pornô na minha timeline e não fiquei mais com medo ou excitado. Apenas passei e ignorei. Isso me gerou um sentimento forte de soberba pois ali eu achei que já tinha vencido o Hulk dentro de mim, e eu estava errado.

Meses depois, passo pelo Instagram e vejo a foto de uma gostosa — e não era tão gostosa assim. Muito menos gostosa que qualquer uma das atrizes pornôs pras quais eu batia punheta, mas foi o suficiente pra mais uma recaída. Ali eu aprendi que gostosas da vida real eram muito mais perigosas que atrizes pornôs, e que eu simplesmente não poderia segui-las em nenhuma rede social. Apenas a foto do rosto delas já era suficiente pra me manter excitado.

Não tardou muito para que eu me deparasse com algo que todo nofapper terá cedo ou tarde: a polução noturna. A primeira que tive foi intensa. Confesso que me senti mal com aquilo tudo. Ainda sentia um estigma muito negativo relacionado a isso incutido na minha mente. Estigma esse que tive que retirar, pois a polução noturna seria algo presente dali pra frente. Hoje sei que ela é um reflexo de pensamentos sexuais que eu não soube controlar, e de ereções muito longas. Essa combinação fatalmente ocasiona polução noturna no nofapper uma hora ou outra.

Para evitar a polução, então eu passei a policiar ainda mais os meus pensamentos. Acho que é esse o ponto em que o NoFap realmente assume seu papel no nosso desenvolvimento pessoal. Quando assumimos o controle pelas nossas vontades e passamos a não mais sermos guiados por elas. É aí que está a diferença sutil entre a repressão e o autocontrole. Enquanto uma te prende, o outro te liberta.

Um aspecto importante que preciso contar é que depois de algumas semanas senti uma dor nos testículos, hoje já reconhecidas como comum, típicas da retenção seminal. Jesus com certeza sentiu isso também. Essas dores me deixavam com uma vontade enorme de ter uma ereção. E nos casos em que eu tive, acabei tendo polução DIURNA. Por isso, todo cuidado com esse sinal.

Depois de umas semanas de nofap algumas pessoas sentem mudanças nas ereções. No meu caso, elas se tornaram menos frequentes mas mais longas e incômodas, pois já percebi que ereções longas são um prato cheio para poluções pra mim. Falando nisso, na Idade Média, cria-se na ideia de que existiriam 2 demônios, Incubus e Sucubus, que seriam os responsáveis pelas poluções dos padres. Esses demônios claramente não existem, mas suas representações no nosso imaginário emulam o impacto psicológico que a abstinência pode ocasionar na nossa psiquê.

5- OS TAIS SUPERPODERES

Sendo bastante sucinto, não existem superpoderes. O que existe de fato, são alterações químicas no nosso corpo. Já está comprovado que a retenção seminal é capaz de provocar um aumento de 145% no testosterona. Esse aumento foi muito percebido por mim na academia, pois o testosterona é fundamental para a hipertrofia muscular.

Praticamente todos os tais “superpoderes” são provenientes desse aumento abrupto no testosterona nas primeiras semanas de nofap. O problema é que após esse pico de testosterona ele cai e volta a um patamar um pouco maior que o normal. Caso você queira mais um pico de testosterona terá que voltar a se masturbar e então parar de novo.

É preciso frisar que os primeiros dias de NoFap são dureza total. O sono piora, a ansiedade explode, você fica irritado por qualquer coisa. Todos aqueles problemas que você jogava pra debaixo do tapete através da dopamina da masturbação parecerão mais vivos do que nunca. É como se seu corpo estivesse realmente num estado de abstinência. É até comum que pessoas nessa fase desenvolvam ejaculação precoce, em virtude a da alta ansiedade. Esse período é o que chamamos de FLATLINE, que é aonde ainda vemos o corpo tentando de todas as formas nos sabotar. Após a flatline ele meio que se acostuma com a nova condição e é só a partir desse ponto que podemos sentir os verdadeiros benefícios do NoFap.

Um outro benefício seria nos sais minerais do seu corpo e na sua utilização para o nosso organismo e sistema imunológico. O Zinco por exemplo, ao ser eliminado na ejaculação, demora muitas refeições para ser reposto.

Um ponto polêmico é sobre o poder de sedução do NoFap. Em tese isso até faz algum sentido, mas na prática a teoria é outra. Já foi feito um experimento em que mulheres tinham que cheirar um lenço que passou no corpo de um alfa cheio de testosterona e outro que passou no corpo de um beta estrogenado. O resultado é que, em mulheres férteis, o mero cheiro já foi o suficiente para notar mudanças em determinadas áreas do cérebro. Logo, em tese, ao elevar seu testosterona, você ficaria mais sedutor para as fêmeas que te cheirassem. No entanto, na vida real a gente sabe que não funciona assim. O fato de algumas pessoas se acharem mais sedutoras é porque nos primeiras semanas elas estão cheias de testosterona e sem o porno pra remediar, sendo obrigadas assim a meterem a cara e irem atrás de submedianas.

Um fator que eu creio que faz com que as pessoas achem que estão mais sedutoras é que realmente parar de se masturbar é um desafio tão difícil que realmente ele te dá uma enorme gratificação emocional e você passa a ver os demais desafios da vida com outros olhos.

No mais, muitos dos supostos efeitos do NoFap são apenas percepções pessoais não conectadas com a prática em si, mas talvez meras impressões e pensamentos desejosos. Talvez o fato da pessoa parar de tocar punheta o dia inteiro dê a ela mais tempo dela interagir com outras pessoas e seja isso que as torne mais sociáveis. Talvez seja outro fator. O que devemos perceber é que a própria rotina de um masturbador compulsivo já é tão nociva, que ao quebrá-la, de quebra retiramos da vida da pessoa uma série de hábitos destrutivos e podemos substitui-los por outros saudáveis.

6- CONCLUSÃO

Pessoalmente, pra mim valeu a pena. Por mais que tenha sido um calvário no início, hoje eu já me sinto muito mais confiante e me conheço muito melhor. Já consigo olhar as mulheres de forma muito diferente da que via antigamente. Diferente do que acontece antes da flatline, em que toda mulher parecia atraente, agora só as atraentes me atraem.

Hoje eu tenho a minha consciência tranquila de que não consumo um material que degrada a vida de ninguém, nem tampouco preciso me preocupar com o impacto que isso terá no meu cérebro. Sinto o privilégio de não ter de praticar ou justificar uma ação imoral apenas para satisfazer um desejo.

Antes de terminar, preciso frisar que não condeno a masturbação. Acho um ato dos mais válidos se comparável com outras opções. Apenas escolhi tentar viver sem isso. Sei que recaídas estão pela frente, mas não me preocupo com isso. Estou bastante satisfeito aonde cheguei e vivo cada dia de cada vez sem precisar fazer metas ou contar dias. Ao invés tocar punheta resolvi tocar é a minha vida, e pra frente.

Anúncios

Um comentário

  1. Interessante, essa visão que você apresenta foi mais que o suficiente para me fazer refletir. Estou curioso para fazer o teste e tirar minhas próprias conclusões agora. Obrigado!

    Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s