Será que todas as mulheres são hipergâmicas?


O ano era 2015. Eu estava num casamento de um amigo, sentado numa mesinha de plástico bem vagabunda. O casamento em si não mereceria muitos detalhes, mas eu os darei mesmo assim.

Os noivos eram um grande amigo meu e sua noiva feminista, a qual eu sempre achei insuportável. Ela, uma herege, fez questão de não convidar um religioso para celebrar a união, o que já me deixou meio incomodado. Afinal, um casamento sem um padre, um pastor, um rabino ou um Pai de Santo sempre me pareceu um casamento pela metade.

No meio daquela cerimônia pífia, eu puxo papo com um outro amigo. Começo a falar com ele sobre um assunto muito mais interessante que aquele evento no qual estávamos. Menciono a campeã do Concurso Miss Bumbum daquele ano, a paranaense Claudia Alende, que era famosa pela sua semelhança física com a atriz Megan Fox.

Para quem não se lembra, o Concurso Miss Bumbum era um evento em que modelos e garotas de programa colocavam hidrogel em suas nádegas e depois disputavam quem teria a maior bunda. Alende, apesar de ter ganho e de realmente parecer com a atriz americana, nunca sequer recebeu um pingo de atenção dela.

Nesse ponto começa a tocar uma música evangélica lá no fundo, provavelmente vindo do Karaokê.

Entra na minha casa, entra na minha vidaaaa…”. Digo ao meu amigo que essa modelo era mais bonita que a Megan Fox, e que na minha opinião seria um típico exemplar de mulher 10/10 em matéria de beleza.

Mexe com minha estrutura, sara todas as feridas…”. Meu amigo retruca dizendo que ela não era isso tudo e acrescenta que essas Miss Bumbum era todas putas de elite.

Me ensina a ter santidade, quero amar somente a ti”. Discordo dele. Ele então afirma que pra ficar com um cara com uma mulher desse nível só sendo milionário.

Porque o Senhor é meu bem maior. Faz um milagre em mim”. Ai eu falo pra ele que essa mulher namorava um cara comum, que não era rico, não era tão bonito quanto ela e que seria seu primeiro namorado.

Bug na matrix? Meu amigo não acreditou. E de fato, se aplicássemos as regras do mercado amoroso, uma 10/10 jamais ficaria com um rapaz mediano, uma vez que, ela, sendo uma 10/10, poderia escolher um alfa destacado. E sim. Isso era verdade. Na época até o Justin Bieber dava like nas fotos dela no Instagram. Mas porque ela não trocou de parceiro após ganhar fama? Por que uma mulher se contenta com algo bom se poderia ter algo melhor? Todas as mulheres não são hipergâmicas por natureza?

A verdade é que, como em qualquer mercado, no mercado amoroso também há decisões aparentemente pouco racionais mas que se explicam pelo seu contexto.

Da mesma forma como uma pessoa não troca de carro no exato momento em que obtém dinheiro para comprar um melhor, muitas mulheres costumam continuar nos seus relacionamentos mesmo quando sabem que conseguiriam coisa melhor. Se o carro que você tem te satisfaz, por que trocá-lo, não é mesmo? Esse raciocínio se deve graças ao fator apego e ao fator sentimental.

Sem tais elementos, seria impossível haver relacionamentos duradouros, já que sempre que uma pessoa se valorizasse ou desvalorizasse no mercado amoroso, ela teria que trocar de parceiro, o que não acontece na prática.

Muitos homens frustrados (MGTOWs), depois de várias desilusões amorosas e de terem sido trocados e abandonados por suas parceiras, abraçam com afinco a ideia de que a natureza hipergâmica das mulheres seria algo determinante. Na cabeça deles, seria impossível manter uma relação duradoura sendo um homem medíocre, pois eles seriam traídos ou largados pelas mulheres, uma vez que, na cabeça deles, TODAS seriam interesseiras.

Além de acreditarem numa generalização imbeciloide, acabam desprezando a variável sentimental da equação, o que é comum em homens que tiveram os seus próprios sentimentos feridos. Por não saberem trabalhar com essa variável, preferem excluí-la. E como foram incapazes de semear o apego e o sentimento em suas antigas relações, colocam a culpa do seu fracasso amoroso na suposta hipergamia feminina. Ao preferirem colocar a culpa dos seus fracassos nas mulheres, e não em si mesmos, esses “homens”, além de fugirem da responsabilidade pelas suas derrotas, fecham os olhos para a realidade dos muitos relacionamentos duradouros que ainda existem, demonstrando que eles possuem a mesma maturidade de um bebezinho gay.

Anúncios

Um comentário

  1. Não da para fazer de exceções a regra, sim, de forma geral as mulheres são hipergamicas, não só mulheres 10/10, até mesmo mulheres médias, que se casam com caras médios, porém quase sempre com alguém de status social e financeiro maior, de forma geral é isso e não há discussão, agora isso é errado? Claro que não, estamos lidando aqui com uma conjectura biológica, psicológica e social, mais complexa do que aparenta ser, que faz a hipergamia ser natural, nem certo, nem errado, simplesmente é o que é. Podemos até não gostar do jogo, mas na vida ou você aprende as regras do jogo ou é game over.

    Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s