Será que a ideia de Trump de construir um muro entre EUA e México é tão boa assim?


Enquanto escrevo esse “textículo”, o Congresso Americano está tentando impedir que fundos sejam destinados no orçamento desse ano para a construção de um muro na fronteira com o México.

Eu estava bem vivo e me lembro muito bem que Donald J Trump prometeu várias e várias vezes, EM TODOS OS SEUS DISCURSOS DE CAMPANHA, que o muro seria construído. “The wall will be built”, dizia nosso agradável imperador de pele alaranjada. Numa outra de suas memoráveis declarações, um Trump inspirado e espirituoso soltou: “Nós construiremos um grande, lindo e maravilhoso muro. E no meio desse muro haverá uma grande porta, onde as pessoas entrarão LEGALMENTE.”

Pois bem.

Nunca acreditei nem por um segundo que essa promessa sairia do papel. Por mais que essa ideia espúria seja o sonho delirante dos rednecks racistas do bible belt, esse é um projeto que jamais passaria por um estudo de viabilidade.

O primeiro ponto que faz com que o muro seja uma má ideia é que esse se baseia na falsa ideia de que, sem ele, os EUA seriam invadidos por imigrantes mexicanos. O que contradiz essa ideia é o fato de que a imigração mexicana aos EUA nunca foi tão baixa, e quem atravessa a fronteira hoje em dia, vem de Honduras, Nicarágua e El Salvador.

O segundo ponto, e o que denota preconceito, é que Trump quer um muro vedando o EUA do seu vizinho moreno do sul ao mesmo tempo em que quer manter a fronteira com o Canadá exatamente do jeitinho que está. Talvez, somente talvez, essa escolha se baseie em algum tipo de preconceito, mas juro que não saberia dizer qual é.

O terceiro ponto, e o mais simples: a maioria dos imigrantes ilegais nos EUA não entram pela fronteira. Eles simplesmente entram de avião e permanecem nos EUA quando seus vistos expiram. Aliás, as únicas pessoas que arriscam a vida na fronteira são aquelas que nem ao menos conseguiram tirar um visto de entrada para chegarem ao país pelos ares.

Dessa forma, o preço BILIONÁRIO de um muro impenetrável vedando o EUA do México não se justificaria. Ainda mais quando contabilizado o efeito positivo da mão-de-obra ilegal na economia americana.

No entanto, contudo, todavia, eu seria desonesto se não mencionasse um pequeno detalhe: Muros funcionam. Tanto isso é verdade que Israel reduziu drasticamente o número de atentados em seu território depois que construiu muros em volta dos territórios palestinos. De igual modo, um muro na fronteira com o México tornaria a tarefa de entrar nos EUA (isso valendo para ilegais e para traficantes de drogas) tão mais difícil, que a atividade de entrar no país ilegalmente se tornaria mais cara, o que diminuiria o número de pessoas dispostas a fazê-lo. Quanto maior o desincentivo para fazer algo, menor será sua incidência.

Quanto mais alto, melhor

Em matéria de muros, tamanho sempre será documento. Digo isso porque muros podem não ser muito úteis se confrontados com um seguinte artefato: uma escada.

No entanto, a partir de um determinado ponto, nenhuma escada seria capaz vencer o muro. A partir dos 20 metros de altura, escalar uma parede tão alta se torna uma grande dor de cabeça.

Nessas circunstâncias, quem quisesse ultrapassar o muro teria que:

(1) Levar invisivelmente aos olhos da patrulha uma escada de 20 metros e 70 kilos através do deserto.

(2) Chegar com ela ao topo do muro.

(3) De alguma forma, colocar a escada com segurança do outro lado da parede.

(4) Torcer para que a escada não caia, deixando você e seus filhos encalhados na parede para morrer.

Estes obstáculos teriam, sem dúvida, algum efeito dissuasivo. Uma parede ainda mais alta, mais efeito. Uma parede mais curta, menos.

Mas e por baixo?

Ninguém conseguiria construir um túnel no deserto ardente, quer queira quer não. É preciso mão de obra e equipamento consideráveis. Os túneis subterrâneos descobertos pela patrulha de fronteira são construídos e controlados por cartéis de drogas e contrabandistas — que dificilmente concedem acesso a migrantes a partir da bondade de seus corações:

(1) Essas organizações criminosas cobram taxas proibitivas (e / ou recompensa sexual) em troca por passagem.

(2) Traficantes têm interesse em limitar o tráfego, de modo a evitar a atenção indesejada da aplicação da lei. A noção de que as travessias em terra facilmente mudariam para o subsolo — em números semelhantes — é ridícula.

Ok, mas como essa história terminará?

Trump quer 5 bilhões pra construir algo para chamar de muro. Já o partido democrata que 1 bilhão para a segurança da fronteira. Em algum momento Trump e os demos chegarão a um acordo. E quando isso acontecer todos os lados ficarão felizes. 3 bilhões para a segurança na fronteira parece um meio-termo que Trump estaria disposto a aceitar.

Assim, o governo contrataria construtoras superfaturadas para a construção do muro. Os lobistas dessas construtoras devolveriam parte desse superfaturamento para os políticos na forma de “doações de campanha”. No final, todos terminarão felizes para sempre.

Anúncios

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s