Como demonstrado pelos pesquisadores Justin Kruger e David Dunning, que notaram que justamente os mais ignorantes em um assunto demonstravam possuir uma confiança desproporcional nestes mesmos assuntos nos quais são ignorantes, o resultado de seus experimentos concluiu que a ignorância gera confiança com mais frequência do que o conhecimento.

Nesse sentido, a pouca idade e a inexperiência, fatores intrínsecos a qualquer jovem em transição para a vida adulta quase sempre os fazem se sentirem muito confiantes ao adquirirem um pouco de conhecimento acerca de determinado assunto. Mais tarde, com mais idade e se tem a oportunidade de estudar mais, vem não só mais conhecimento como a também a percepção de que não se sabia praticamente nada sobre aquele assunto quando se achava que se sabia tudo sobre ele. Graças a isso, quase sempre a idade vem somada com o arrependimento perante as opiniões insensatas da juventude.

A respeito do Efeito Dunning-Kruger, ele basicamente pode ser resumido na seguinte máxima: indivíduos que possuem pouco conhecimento sobre um assunto acreditarem saber mais que outros, fazendo com que tomem decisões erradas e cheguem a resultados indevidos; é a sua incompetência que os restringe da habilidade de reconhecer os próprios erros. Estas pessoas sofrem de superioridade ilusória”.

Dessa forma, é possível que os jovens jamais deixem de sofrer com essa mazela, uma vez que esse é um erro inerente da mentalidade de qualquer jovem iniciante no estudo de qualquer assunto. O que pode ser feito é alertá-los para esse fenômeno e pedir cautela a eles no tocante a paixão que os move a opinar e a se meter em discussões inflamadas sobre determinados temas. No mais, o melhor conselho a juventude sempre será aquele dito uma vez pelo saudoso Nelson Rodrigues: “Jovens, envelheçam”.

Anúncios