Qual é o sentido da vida?


Pergunta feita através do https://curiouscat.me/ACIDBLACKNERD

Qual o sentido desse texto? Qual o sentido de escrever? Qual o sentido da minha existência?

A busca pelo sentido é um dos temas mais importantes nessa vida. Certa vez um notável filósofo ateu disse que a questão da existência de Deus era o tema mais importante da vida, já que se Deus existisse, então a vida teria um sentido, e ao menos seríamos obrigados a encontrar o nosso sentido. No caso dele, não havia Deus, logo, não haveria sentido algum. Na sua visão niilista seríamos apenas um aglomerado de átomos, nada a mais.

Já o escritor anglicano C.S. Lewis tinha uma visão diferente: “se o universo inteiro não tivesse sentido, nunca perceberíamos que ele não tem sentido  do mesmo modo que, se não existisse luz no universo e as criaturas não tivessem olhos, nunca nos saberíamos imersos na escuridão. A própria palavra escuridão não teria significado”. Lendo Lewis, percebo que as pessoas querem um sentido, que precisam de um, do contrário nem sequer se dariam o trabalho de se perguntar acerca dele.

A realidade é que o cérebro humano funciona através de um mecanismo de recompensa. O cérebro demanda uma recompensa para justificar o esforço que o corpo faz. Se o cérebro percebe que não haverá recompensa, que não receberá dopamina ou serotonina após determinada atividade, ou que a recompensa é menor que o esforço empreendido, então começa a mandar a criar modos de desmotivar a pessoa, que na maioria das vezes encontrará uma justificativa para parar a atividade.

O problema do sentido está intimamente ligado à depressão. Uma pessoa com depressão não possui um mecanismo de recompensa na sua psiquê que veja como “bom negócio” qualquer atividade. Assim, a pessoa depressiva não faz nada e não encontra forças para sair do buraco aonde está. A partir de certo ponto ela não tem nem força pra pedir ajuda. A própria existência se torna um fardo pesado demais e a pessoa não encontra nem forças para tirar a própria vida. Sabendo disso, é notório que saber pelo que vivemos e quais são as nossas motivações é algo primordial para que o nosso software não escangalhe.

Para muitos, o sentido da vida é a felicidade. O problema é que nem todos conseguirão um trabalho gratificante e que as faça plenos. A maioria das pessoas não terminará a carreira ganhando aquilo que almejavam ao começá-la. Na área amorosa, a complexidade é ainda maior. Nos tempos da sociedade líquida, nossos relacionamentos são descartáveis e os menores poréns já são o suficiente para que o casal vá ser feliz longe um do outro. A felicidade é algo quase impossível de ser vivida por longos períodos. As frustrações, traições e fracassos sempre farão as pessoas que tem esse como seu objetivo questionarem se estão no caminho certo e viverem em constante inconformidade.

Para outros, o sentido da vida é o prazer sensorial. Já que estão vivas, querem aproveitar ao máximo. Ter o máximo de experiências, comer o máximo tipo de comidas, fazer sexo o máximo de vezes de todas as formas possíveis com o maior número de pessoas, usar todo tipo de drogas e ter todo o tipo de sensações. Não é preciso pensar muito pra perceber que esse tipo de pensamento hedonista é muito centrado no prazer do indivíduo, e se generalizado, implicaria na destruição de várias instituições, entre elas a família. Afinal, porque alguém gastaria um dinheirão pra alimentar um bebê que nunca lhe dará nada em troca? Melhor abortar. Porque ficar casado com uma mulher se a pessoa pode fazer sexo com várias? Porque ser honesto e ter pouco se é possível ser desonesto e ter mais para suprir suas necessidades de ter prazer?

Já para alguns, o sentido da vida é acumular dinheiro. Gastam a vida inteira para conseguir papel e não se preocupam em descobrir quem são e o que realmente querem. Escolhem metas e as atingem, depois escolhem outras e outras. Conquistam carros, casas, viagens, bens materiais. Depois voltam pra trabalhar em algo que muitas vezes odeiam pra conseguir custear mais compras que validem e deem sentido a suas existências. Alguns conseguem ter dinheiro, outros tem a oportunidade de tê-lo e não conseguem e outros nem oportunidade conseguem. A vida segundo essa visão seria apenas uma corrida injusta e que só motiva a ganância nas pessoas.

Para mim, o sentido da vida é simplesmente viver. Sim, eu acredito em Deus e creio que a vida tem um propósito. O que acontece é que creio que a vida tem um sentido diferente para cada um de nós e cabe a cada um descobrir qual é o seu. Se você faz algo que te completa e que você literalmente pagaria pra fazer ou que não se importa em ser remunerado ou não, é porque já se desfez desses mecanismos de troca ou de causa e efeito que regem a maior parte das áreas da nossa vida. Esse é o principal passo pra entender qual é o sentido da sua vida, o seu chamado, aquilo pelo qual você quer que seja lembrado quando deixar de existir, pois só ao entender isso nós nos libertamos da escravidão da busca infinita pelo prazer e pela felicidade.

 

 

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s