Qual a sua opinião sobre o judaísmo?


Pergunta enviada pelo https://curiouscat.me/ACIDBLACKNERD

Eu tenho ascendência judaica por parte de pai, logo não sou judeu. Para ser judeu você tem que ter vínculo por parte de mãe. A família do meu pai é descendente de judeus que vieram ao Brasil fugindo da Inquisição, e infelizmente também sofreram perseguição da igreja católica aqui no Brasil, tendo sido obrigados a se converterem. Esses cristãos novos adotaram sobrenomes de árvore como Figueiredo, Carvalho, Pereira, etc.

Pessoalmente sou protestante. Durante muitos anos meu melhor amigo foi um judeu messiânico. Foi uma amizade maravilhosa e que agradeço muito a Deus por ter tido, porque me ensinou muita coisa sobre o judaísmo. Por incrível que pareça, nunca disse ao meu amigo sobre a minha ascendência para que ele não tentasse me converter. E acho isso engraçado. Se você tem uma ascendência você vale mais para uma religião que outra pessoa, ou seja, seu valor pode ser definido por um atributo genético.

Antigamente eu era bastante sionista. Cria que Deus tinha um povo e ele era os judeus, e que eu como cristão era filho por enxerto mas que o pacto que ele tinha com Israel era inquebrável. Mesmo os judeus sendo o povo que mais colaborou para o avanço da humanidade e tendo mais riqueza que os cristãos, já não tenho mais base teológica pra crer que Deus ama um palestino diferente de um israelense, ou que ele tem um plano terreno em favor da atual nação de Israel, que sim, é um exemplo na questão de valores e direitos humanos, mas também não está eximida de cometer erros que devem ser denunciados.

Na questão palestina, eu me compadeço com os palestinos, mas não creio que haja espaço ou condições para um Estado Palestino. Esse embate não tem solução no curto prazo, logo eu creio que a solução de um só estado, pregada pelo Reza Aslan, seja a única viável, em que Israel resolva agraciar os palestinos com direitos políticos. Com isso, a natureza judaica do Estado acabará, mas haverá uma chance de convívio pacífico. E como a cultura judia é superior, existe a possibilidade de seus valores assimilarem palestinos moderados conforme o tribalismo for mitigado.

Já teologicamente, a minha visão cristã de GRAÇA não poderia se opor mais a visão de LEI mosaica que alguns judeus ainda defendem. É óbvio, para existir, o judaísmo rabínico, não existindo mais um templo, teve de se reformar, e hoje existem vários sectos do judaísmo com visões mais moderadas. E creio que é por isso que o judaísmo, apesar da Torah ser mais violenta que o Alcorão, ser infinitamente mais pacífico que o Islã, já que eles tiveram que se reformar várias vezes sendo minorias por milênios em terras estrangeiras e sendo perseguidos. Apesar disso, mesmo não acreditando, é inegável que boa parte do sucesso do povo judeu se dá não só pela benevolência divina mas pelos valores culturais que são advindos de sua tradição milenar.

Um comentário

  1. Pig, respondo a suas ponderações, e procurarei ser polido. Meu sobrenome é Oliveira, o que poderia denotar uma origem genealógica judaica. Mas não dou valor nenhum a essa circunstância, visto que sou de origem católica, o tio que me criou era extremamente “carola”, e eu, em minha infância e adolescência, e em parte de minha vida adulta, fui católico autêntico, pois até congregado mariano eu fui. Mas, de tanto estudar religiões (até o islamismo mereceu minha curiosidade, não tendo escolhido esta opção quando descobri que Maomé tinha aulas com um frade católico e um rabino judeu, tendo feito uma mistura das duas crenças, que resultou no Islamismo), comecei a questionar que uma Pessoa da Trindade tinha de ser torturado na cruz, para que a outra Pessoa (o Pai) perdoasse o pecado de Adão e Eva, transferido à humanidade como uma doença hereditária, e escolhi logicamente o Judaísmo como a religião autêntica, aquela transmitida a Abraão e sua descendência. Mas atenção! Não transformemos a crença religiosa em algo parecido a uma descendência baseada em circunstãncias hereditárias! Não, fiz um curso de religião e me converti com observância de todo o ritual necessário: circuncisão, aprovação do Rabinato, depois de interrogado por uma Comissão Religiosa. E estou muito satisfeito com minha religião atual: libertei-me do pavor do inferno, e vou vivendo a minha vida, amando todos os seres humanos igualmente.É isto aí. Saúde e paz a todos os leitores. Fortaleza, CE, 24 de setembro de 2021. Francimar de Oliveira. Atenção: a Torá não é mais violenta do que o Alcorão. Este é muitíssimo mais violento do que a Torá. Sds. e paz a você e sua família.

    Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s