10 motivos para ser vegano


Olá amiguinhos!

Pergunta feita pelo https://curiouscat.me/ACIDBLACKNERD

Desde o início desse ano, eu me tornei vegetariano por uma série de motivos, e também estou pouco a pouco cortando alimentos de origem animal, o que é difícil, já que requer uma habilidade na cozinha para reinventar minha alimentação. Olhando pra trás, o primeiro filme que me fez refletir sobre a exploração animal na indústria foi “A Fuga das Galinhas”, no ano de 2000. Fiquei imaginando quantas pessoas não saíram do cinema naquele ano e foram diretamente para algum fast food comemorar “A Fuga das Galinhas” comendo pedaços dos personagens.

O motivo pelo qual aquilo me pareceu um absurdo cômico é que toda a temática do filme gira em volta da humanização de um tipo de animal que não tem voz para lutar pelos seus direitos. No filme, Ginger, a galinha que protagoniza a história, é prisioneira de uma granja aonde ela e suas amigas são obrigadas a botarem ovos para os donos da fazenda. Um dia Ginger descobre que por motivos econômicos a dona irá optar por acabar com a granja e matar todas as galinhas para fazer tortas, o que seria mais rentável. Desesperada, a personagem mostra uma força e determinação incomum para uma heroína do cinema, lutando com todas as suas forças – sem precisar apelar pela ajuda de um personagem masculino – pelo seu direito de existir.

As situações que o filme emulam hoje me parecem uma óbvia paródia daquilo que já ocorreu no passado, já que todas as cenas da granja parecem emular o cenário de um campo de concentração, como se todas as galinhas ali apenas representassem o sofrimento que os judeus tiveram que suportar nas mãos dos nazistas no quando do Holocausto, quando 6 milhões de seres humanos, simplesmente por serem judeus, foram desumanizados, escravizados e depois mortos. Só de pensar que tudo aquilo que as galinhas desse filme se livraram de fato ocorreu com seres humanos que não conseguiram se salvar, meus olhos marejam de lágrimas.

Agora vamos logo aos 10 motivos:

1- Meio Ambiente

Caso não usássemos animais como fonte de alimento, não precisaríamos utilizar água, solo e recursos naturais para plantar soja que alimentasse os animais que comemos. Toda essa água, todo esse solo, todos esses recursos poderiam ser usados para plantar mais alimentos. Isso não só seria mais ecológico e econômico como evitaria a derrubada de florestas para expandir as plantações.  A produção de vegetais é muito mais eficiente do que a produção de carne e outros subprodutos. Uma plantação de milho em 100 hectares, por exemplo, pode alimentar cerca de 2.500 pessoas. Se esta área for utilizada para produção pecuária, apenas 8 pessoas serão alimentadas.

2. Redução do risco de doenças

Não são poucos os estudos que relacionam o consumo de ovos, carnes e laticínios ao aparecimento de diversos tipos de câncer. Entre os principais, estão o de estômago, o de cólon, o de próstata e o de mama. Além de proteger contra diversos tipos de câncer, uma alimentação vegana é comprovadamente uma ferramenta poderosa na prevenção de doenças cardiovasculares.

3. Digestão

A digestão da carne é uma custosa ao organismo, que consome energia e causa cansaço após sua ingestão. A alimentação vegetariana é leve e não sobrecarrega o organismo, o que não só melhora o funcionamento do seu aparelho gastro-intestinal como melhorará o seu sono.

4. Condições de Trabalho

Segundo o Ministério do Trabalho, a atividade comercial brasileira que mais emprega mão de obra escrava ou em condições análogas à escravidão é a pecuária. Quando você escolhe cereais, frutas, hortaliças, sementes e outros vegetais de produtores próximos à sua residência, você está colaborando diretamente para um comércio mais justo e evitando a proliferação do trabalho escravo em nosso país.

5. Economia

Segundo o Índice Geral de Preços, em qualquer cidade brasileira, verduras, cereais, frutas e legumes são sempre mais baratos que carne, ovos e laticínios. Embora a indústria pecuária consiga preços incrivelmente baixos para seus produtos – se considerarmos a destruição ambiental e toda a cadeia destrutiva que suas atividades movimentam -, uma alimentação baseada em vegetais é mais barata.

6. Nutrição

Produtos lácteos comprados no mercado são cheios de hormônios que estragam nossos próprios níveis hormonais e podem causar danos à saúde – desde a acne, câncer de mama ou períodos menstruais pesados ​​e dolorosos. É possível trocar o leite de vaca pelo o de amêndoa ou leite de coco. De igual modo, existem opções como carne de soja e outras alternativas para obter proteína de que hoje são obtidas por origem animal. Com exceção da vitamina B12, todas as demais vitaminas não precisam ser suplementadas.

7. Emagracimento

Em suma, os vegetarianos são mais magros do que os não vegetarianos. Existe uma série de estudos que demonstram isso. E faz muito sentido se você pensar que todos os produtos de origem animal contêm colesterol e gorduras saturadas. Estudos realizados pelo Dr. Neal Barnard mostraram que uma dieta vegana pode realmente desativar os genes da gordura. Além disso, o simples fato das pessoas exercerem uma disciplina acerca daquilo que estão ingerindo já as previne de comer muitos alimentos gordurosos, já que muitos deles são feitos com animais.

8. Sabor

Eticamente, vivemos na primeira época em que é possível pararmos de usarmos animais contra a sua vontade. No passado, animais eram necessários para empurrar charretes, para nossa locomoção, nosso alimento e nossa vestimenta, mas hoje existem outras formas mais baratas e eficientes de obter todos esses benefícios sem precisar fazer nenhum animal sofrer. Quanto ao sabor, crer que o sabor de um pedaço carne vale todo o sofrimento pelo qual a indústria causa aos animais, implica em considerar que o prazer sensorial humano tem mais valor que a vida de um animal. Se isso fosse verdade, seria ético alguém torturar um animal caso isso lhe causasse algum prazer. Mas é óbvio que não é. Todos nós sabemos que é injusto um animal inocente ter sua vida roubada e sofrer só para que alguém possa ter uma refeição mais gostosa.

9. Empatia aos animais

Todos nós temos um impulso natural a gostarmos de animais. É por isso que achamos injusto ao vermos alguém batendo num cachorro na rua. Nós sabemos que o cachorro é inocente, que não entende o que fez, e que não pode apanhar só porque não está andando pro lado que o dono quer. Nós gostamos de cachorros, temos empatia por eles e nos colocamos no lugar deles porque conseguimos ver traços de sentimentos no olhar e semblante deles. É por isso que nós achamos bárbaro quando vemos que há países em que pessoas comem carne de cachorro. Se achamos um horror a crueldade com o cachorro, por que não deveríamos nos indignar com a crueldade com os demais animais?

A indústria da carne é implacável. Vemos os produtos acabados, embalados e prontos para a venda, e muitas vezes com imagens de vacas e galinhas com rostos felizes, porém, isso não poderia estar mais longe da verdade.  Sabemos que os bois são mortos de forma cruel. Sabemos que as vacas choram dias ao serem separadas de seus filhotes ainda enquanto estão os amamentando. Sabemos que os pintinhos machos são mortos asfixiados assim que saem do ovo nas granjas, já que não podem botar ovos, e até as galinhas, depois de ter seus bicos retirados com ferro quente, são escravizadas durante 15 anos em cubículos aonde serão mortas assim que pararem de por ovos. Se você sente afeição pelos animais e tem consciência de que você não gostaria de passar pelo que eles passam, se você ama a sua liberdade e acha toda a forma de sofrimento desnecessário abominável, pode considerar ser um vegetariano como um ato de respeito por eles e você verá que não só ficará em paz com a sua consciência como também perceberá que se tornará uma pessoa bem mais sensível e empática com a dor das pessoas a sua volta.

10 – A Lei do Mais Forte é imoral

Bem ou mal, infelizmente existe a Lei do mais forte. O nazista tinha mais força que o judeu e por isso legitimou o que fez. De igual modo, brancos eram mais fortes que negros e os escravizavam, mulheres são tratadas como coisas no mundo islâmico porque são mais fracas, e por fim, animais são feitos de comida e agasalho por nós humanos, porque os subjugamos pela força. Dessa forma, conclui-se facilmente que a vida só é mais justa e igualitária quando os mais fortes escolhem conscientemente não oprimirem os mais fracos. Não adianta muito o fraco ter essa consciência, já que ele não tem poder pra coagir o forte.

Por isso, é só quando nós, humanos, enquanto o lado mais forte, tratarmos o mais fraco com conscientemente, iremos construir um mundo mais justo. Em Isaías 11:6 há um versículo que explica bem essa ideia:

 

A justiça será como uma faixa em seu peito, e a lealdade o seu cinturão. O lobo conviverá com o cordeiro e o leopardo repousará junto ao cabrito. O bezerro, o leão e o novilho gordo se alimentarão juntos pelo campo; e uma criança os guiará. A vaca e o urso pastarão juntos, seus filhotes dormirão lado a lado e o leão comerá palha como o boi.

O que esse trecho do livro de Isaías tenta falar sobre o futuro ideal é a ideia em que as relações de poder entre nós e os elementos a nossa volta não deveria ser feita de forma que um precise perder para o outro ganhar. Isso vale para as nossas amizades, para nossos negócios, para nossos relacionamentos e para a forma como comemos. Se há uma forma de nos alimentarmos sem que outros precisam sofrer, então essa é a forma mais justa.

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s