Olá irmãos!

“NÃO SERÁ RETARDADA NENHUM DAS MINHAS PALAVRAS; E A PALAVRA QUE FALEI SE CUMPRIRÁ,DIZ O Senhor Deus.” EZEQUIEL 12:28

Hoje, como sempre faço, estava meditando na palavra de Deus quando meus olhos se assustaram ao perceber que uma importante profecia bíblica pode vir a se cumprir graças as eleições brasileiras de 2018. Como todos sabemos, a bíblia é a palavra inerrante de Deus e através dela nosso Senhor nos revelou o que ocorreria nos últimos dias. É claro, os incrédulos não acreditam na bíblia e por isso mesmo Deus fará com que essas pessoas soberbas sejam pegas de surpresa enquanto que nós, verdadeiros e únicos filhos de Deus, estaremos preparados, pois nós sabemos que basta olharmos para as escrituras para vermos nas profecias bíblicas os eventos que estão acontecendo no nossos dias.

Se vermos Lucas 21:24, veremos que Jerusalém seria pisada por gentios (islâmicos) até que o final dos dias chegue. Acontece que hoje Jerusalém está dividida, tendo a maior parte de sua área histórica localizada no setor Oriental da cidade, que hoje é advogada pelos Palestino. Porém, com a chegada do ungido dos nossos dias, Donald Trump, Jerusalém foi declarada capital indivisível de Israel. Logo, é questão de tempo até que a mesquita que está no local do Antigo Templo seja derrubada para a construção de um novo tabernáculo.

Desde os acontecimentos do 11 de setembro de 2001 qualquer pessoa com conhecimento bíblico tem percebido que aquele evento provocou o cumprimento das profecias encontradas em  Daniel 11. Nessa passagem, o profeta Daniel revela que haverá grandes massacres gerados pelo terrorismo, medo, espanto, ocasionando a invasão do rei do norte (aqui pode ser ou a Otan, os EUA na figura de Trump ou a Rússia, na figura de Vladimir Putin) aos países do oriente médio (reino do sul) . Como temos visto, ordas e ordas de terroristas islâmicos fingindo ser pobres refugiados vem entrando na Europa para estuprar as mulheres e roubar o povo europeu. Muitos cristãos verdadeiros e conscientes, vendo todo esse quadro, vem advertindo sobre a necessidade de uma nova Cruzada como única saída para esse quadro calamitoso. Nessas circunstâncias, é apenas questão de tempo até que os cristãos da Europa se conscientizem e levantem uma nova cruzada para dar uma solução final e definitiva ao problema islâmico, invadindo os países islâmicos e assim arrancando todo o mal pela raiz.

Imagem relacionada

Dessa forma, quando os cristãos se reunirem e perceberem que é necessário aniquilar esses islâmicos de uma vez por todas antes que nossa civilização cristã seja extirpada, uma coalizão de países cristãos irá formar uma aliança para varrer do mapa todo o mal islâmico em nome de nosso Senhor. Assim como em 1096, no quando da primeira Cruzada, os cristãos irão usar seu poder de revolta e indignação para revidar todas as crueldades que os islâmicos tem feito contra a nossa fé. Tudo indica que hoje quem lideraria uma retaliação contra esses imundos muçulmanos seria ou a Polônia ou a Hungria, países que se recusam a receber a orda de refugiados, que na prática não passam de terroristas em potencial.

Como o Islã é uma ideologia que se alimenta da morte de inocentes, tudo indica que provocarão uma forte retaliação ao Ocidente. Os países ocidentais, não tendo outra escolha e defendendo nossa civilização, serão obrigados a fazer um ataque final, provavelmente com bombas atômicas, para aniquilar da história essa ideologia maldita antes que ela nos destrua.

Jesus em Matheus 24:15 disse que no livro de Daniel está a mensagem daquilo que ocorreria nos últimos dias. Logo, nessa guerra, que precederia os últimos dias, o Rei do Norte  (possivelmente Donald Trump) pisará em Jerusalém, e o Egito, país islâmico mais populoso, não será poupado. A bíblia diz que o rei do Norte tomará as riquezas do reino do Sul, que é exatamente o que Trump diz que os EUA deveriam ter feito na Guerra do Iraque, que os EUA deveriam ter tomado o petróleo iraquiano. Logo, podemos imaginar que no caso de uma invasão aos países do Oriente Médio, Trump colocaria em prática o que disse e tomaria as riquezas daqueles países.

 

Aí muitos povos se revoltarão contra o rei do Sul. Entre eles haverá alguns homens violentos da terra de Israel; eles se revoltarão, obedecendo a uma visão que tiveram, mas serão derrotados. O rei do Norte virá com o seu exército… Nem mesmo os melhores soldados do exército do sul poderão impedir o avanço das tropas do Norte. O inimigo fará tudo o que quiser com os soldados do sul, e não haverá ninguém que resista. Ele invadirá a Terra Prometida e a conquistará completamente.

Daniel 11:13-15

E é nesse quadro apocalíptico que o Brasil pode vir a ter um importante papel nessa profecia, caso elejamos para presidente Jair Bolsonaro, que já demonstrou que é um aliado incondicional do Estado de Israel – já inclusive tendo se referido aos refugiados muçulmanos sírios como “escória do mundo”. Ele, como único candidato de direita, cristão e contrário ao globalismo, ao gayzismo, ao comunismo e à islamização do Ocidente, diferente de qualquer outro político brasileiro, teria a coragem de jogar o Brasil numa guerra, ao lado de Donald Trump e dos países cristãos do Norte, em nome do cristianismo e contra os países islâmicos do Reino do Sul. Então, nós, cristãos, não devemos nos esquecer que o que realmente está em jogo não é apenas a troca de um presidente ou o futuro do nosso país ou dos nossos filhos. Nessas eleições, estaremos escolhemos de qual lado ficaremos nessa batalha profética entre o bem e o mal. Eu já fiz a minha decisão. E você? Já fez a sua?

Resultado de imagem para caminho de deus caminho do diabo

Anúncios