Trump quer armar professores para evitar mais massacres nas escolas – boa ideia?


Olá amiguinhos!

Ontem a rede de TV esquerdopata e satanista CNN promoveu um debate sobre desarmamento. Diferente de outros, esse, televisionado, foi sediado num estádio lotado pelos residentes de Broward, condado em que ocorreu o último massacre  numa escola. Outro detalhe picante, é que no debate, quem fazia as perguntas eram os sobreviventes e os pais das vítimas, todos tomados de uma raiva evidente e de uma indignação contra as armas. Pois bem. De um lado, Marco Rubio, o queridinho desse blog, senador republicano da Flórida, que já deveria saber que estaria participando de um circo armado para sua humilhação; do outro, o senador demoniocrata Nelson.

No vídeo acima, se você entender inglês, verá que Rubio foi intelectualmente violentado em frente as câmeras. A CNN construiu o circo perfeito para constranger Rubio a moderar seu discurso pró-armas. E aparentemente, conseguiram. Rubio disse ser favorável a elevar a idade mínima de compra de armas  para 21 anos e, alegando que a medida salvaria vidas, também defendeu o banimento de alguns tipos de cartuchos. Tudo indica que, ao dobrarem Rubio, a mídia americana conseguiu votos republicanos o suficiente para restringir as armas de assalto nos EUA.

Mas aí os rednecks irão se perguntar: Mas e o meu direito de portar uma metralhadora ou rifle de assalto? Os comunistas agora querem tirar o meu sacrossanto direito de me defender?

É claro, para muita gente, o próprio fato de proibir a venda de armas de assalto para doentes mentais é uma atitude comunista, já que TODOS deveriam ter o direito de se defender e o governo não teria o direito de te negar esse direito, mesmo se você for maluco. Como sabemos, muitos americanos não estão nem aí para esses casos isolados de massacres em escolas. Se a morte de algumas crianças é o preço para a liberdade irrestrita de armas, então pra eles está ok. Eles preferem dizer que foi uma “tragédia” que não poderia ser evitada, e que se há culpados, são esses esquerdistas malditos que proíbem cidadãos de bem entrarem armado nas escolas, tornando-as um alvo indefeso para esses atiradores perversos.

Para esses patriotas, o problema está em não deixar que pessoas entrem em escolas armadas, pois se houvesse algum professor armado, esse professor mataria o atirador e salvaria todas as criancinhas. Lindo, não? Sabe qual é o problema? Nesse último massacre na Florida, havia um policial na escola no momento do acontecimento, e para a alegria do atirador, que portava um fuzil de assalto e carregava infinitas munições, o pobre policial só tinha uma pistolinha com 8 balas. Primeiro, o policial demorou para localizar o atirador dentro da escola, já que o som das rajadas ecoavam de forma confusa. Ao perceber a localização do atirador, ao invés de confrontá-lo ou abrir fogo contra ele, o policial, sabiamente, percebeu que levaria a pior no confronto, apenas dispararia tiros que acabariam acertando outros alunos. Logo, o policial esperou a ajuda chegar, como está no protocolo, e em 5 minutos o atirador foi preso.

O nosso amado e glorioso fuhrer, Donald Trump – bendito seja seu nome – em resposta a esses eventos, resolveu atender aos pedidos da NRA (National Riffle Association – instituição que faz lobby pra venda de armas ) e deu a brilhante ideia de que o correto seria armar 20% dos professores das escolas. Sabendo que as escolas estariam repletas de professores armados até os dentes, esses atiradores nunca mais agiriam em escolas. Ao ouvir tais propostas, confesso que meus olhos começaram a lacrimejar e não contive a emoção. Agradeci a Deus por presentear a humanidade com a presidência de um homem tão genial.

Agora vejamos porque essa ideia é imbecil. 75% dos professores nos EUA são mulheres. Qualquer um sabe que, em geral, os homens tem armas numa proporção muito maior que as mulheres. Então, digamos que um determinado número de professores resolva se armar. A discussão é: o trabalho do professor é ensinar ou proteger os alunos? Digo isso porque é necessário treinamento para saber usar uma arma. O professor gastaria tempo que deveria usar para preparar suas aulas para ir pro estande de tiro treinar. E como todos sabem, na vida real, o alvo não fica parado. Ele faz de tudo para não ser alvejado. Nessas condições, a maioria dos tiros dado pelos policiais treinados não acerta o alvo. Agora imagine o impacto emocional de um professor ter que reagir a uma situação de massacre quando são seus próprios alunos que estão feridos no chão? Será que isso prejudicaria sua concentração?

No gráfico acima, vemos que, dentre os países desenvolvidos e socioeconomicamente homogêneos, aqueles com mais armas possuem maior taxa de homicídios, já que tanto as tentativas de assassinato como as tentativas de suicídio se tornam mais efetivas com o uso de armas. A título de curiosidade, o país com maior regulação de armas, a Inglaterra, teve 8 homicídios no ano passado. Na Austrália, após um maluco atirar em crianças numa escola nos anos 90, o governo conservador restringiu a posse de armas e nunca mais houve um massacre. Estatisticamente, a criminalidade não é explicada pelo número de armas num país, mas pela sua desigualdade social.

Por último, o principal motivo pelo qual essa medida é louca. Se o professor tiver uma pistolinha e o atirador uma arma de assalto com munição infinita, a chance dele salvar o dia ao estilo Rambo não é das maiores. Agora pense que os policiais entrem na escola ao ouvirem os tiros. Eles não sabem quem é o atirador. Mas eles estão vendo um sujeito armado trocando tiros com alguém enquanto tem crianças mortas no chão. Vocês acham mesmo que a polícia não poderá acertar o professor pensando que é o atirador? Pois é. É por isso que nunca essa ideia estúpida foi colocada em prática nos EUA.

Pessoalmente, defendo o direito das pessoas se defenderem, mas creio que tudo tem um limite. Eu não entendo o porquê que alguém tem que ter o direito de ter uma metralhadora. Pra quê? Será que alguém precisa de uma metralhadora pra caçar? Se o direito de armamento fosse de fato ilimitado, todos teríamos o direito de termos uma bomba atômica, e como qualquer especialista em política externa alerta, quanto mais países possuem ogivas nucleares, maior a possibilidade de haver uma guerra nuclear. Se os EUA entende que nem todo país pode ter bombas atômicas, porque qualquer um pode possuir uma arma de assalto?

Como vemos todos os anos, a ideia de distribuir indiscriminadamente armamento pesado a qualquer um uma hora acaba levando uma arma as mãos de uma pessoa doente mental. Fica claro que deve haver algum controle, não só de antecedentes criminais, mas da própria saúde mental do possível comprador, assim como o registro da arma ao nome do portador, para responsabilizar este caso ele a entregue nas mãos de um criminoso. Além disso, requerer um diploma num curso de tiro e um exame de vista seria o mínimo pedido para assegurar que a pessoa tem condições de usar o que está comprando.

Por fim, termino citando o tio Ben: “com grandes poderes, vem grandes responsabilidades”. Ao concedermos a alguém o direito de ter uma arma, que nada mais é que uma máquina que produz destruição, estamos, na prática, dando a pessoa o poder matar. Logo, creio que não é todo mundo que mereça possuir esse tipo de poder, nem esse tipo de responsabilidade.

Anúncios

Um comentário

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s