10 MOTIVOS: Trump não é um Bolsonaro. Ele é o Lula americano.


Olá amiguinhos!

Terminada a jornada eleitoral americana minha mente perturbada conseguiu descansar um pouco nesse feriado para fazer algumas interessantes elucubrações.

Seria Trump a versão americana do Bolsonaro?

Não necessariamente. Trump é um bilionário, e nem se trata de um self made man, já que herdou dinheiro e o principal, CONEXÕES, do pai. Dessa forma ele seria muito mais a mistura entre um Silvio Santos com um João Dória. Um grande comunicador que tem um bom retrospecto financeiro graças, também, aos favores recebidos do setor público.

Bolsonaro e Trump compartilham de uma peculiar modalidade de sinceridade que podemos caracterizar como politicamente incorreta. Eles são basicamente a reação a anos de esquerdismo cultural que acabou castrando a possibilidade de dizermos aquilo que pensamos sem sermos reprimidos pelo sistema. Logo, eles falam o que o povo pensa. Eles são a voz do povão.

Se analisarmos a fundo a agenda de Trump veremos que ela pouco se parece com a de conservadores virtuosos como Reagan e Thatcher. Trump inclusive comprou uma página inteira no New York Times nos anos 80 para criticar Reagan, repetindo as mesmas asneiras que hoje profere e que lhe garantiu uma enxurrada de votos. O bilionário americano é muito mais alinhado com um outro tipo de direita, bem diferente da americana.

Trump é praticamente um avatar da extrema-direita europeia, eurocética, protecionista e anti-imigrante. Sua agenda pouco se difere da de Geert Wilders na Holanda, de Petry Frauke na Alemanha e da nossa querida Marine Le Pen, na França.

Mas porque um Lula?

 

1- Discurso pros iletrados.

Lula é um dos seres mais desprezíveis e ordinários que já pisaram sobre essa Terra, mas uma coisa devemos reconhecer. Esse filho da puta era demasiadamente esperto e possuía uma capacidade ímpar de se comunicar com o brasileiro iletrado e “descamisado”. Trump não fica pra trás. Ele também possui esse talento.

2- Vendedores

Um bom político geralmente é um bom vendedor. As vezes um vendedor de sonhos, outras, de esperança, outras, de medos, outras, de lixo. Lula vendia lixo. Ainda não sabemos bem o que Trump vende. O que sabemos é que ambos são excelentes vendedores.  Enquanto Trump vendeu dezenas de prédios e produtos ao redor do mundo Lula obteve êxito vendendo o Brasil para empreiteiros, tal como os da Odebrecht e da Andrade Gutierrez.

3- Apocalípticos

 

“Eu quero saber se o povo está na merda. Eu quero tirar o povo da merda em que ele se encontra”- Lula

 

“The american dream is dead – O sonho americano está morto”. – Trump

Ambos Lula e Trump chegaram ao poder fazendo uso de uma retórica alarmista. Pra ser franco, no caso de Lula, em 2002, a situação estava muito pior que a dos EUA hoje. O desemprego era mais de 10% enquanto o desemprego nos EUA é de 4%. Mas ambos foram bem sucedidos em galvanizar a percepção negativa perante a situação para se promoverem como a mudança a ser escolhida.

4- Cínicos

 

“Só Jesus Cristo ganha de mim” (sobre honestidade)” – Lula

 

“Ninguém respeita mais as mulheres que eu.” – Trump

É evidente que a pessoa tem que ser muito presunçosa para se comparar a Jesus Cristo. Nem eu que sou um canalha sou capaz de fazer uma coisa dessas. Esse é um sinal de cinismo enorme.

Trump não fica atrás. Quando perguntado sobre seu comportamento chauvinista em relação ao ‘sexo frágil’ Trump alegou que NINGUÉM respeitava as mulheres mais que ele. Essa frase foi proferida depois de diversas declarações, entre elas, a de se orgulhar por agarrar mulheres pela vágina, de dar em cima de mulheres casadas, de julgar mulheres pela sua aparência, etc. Se isso é respeito eu acredito que eu preciso de um novo dicionário.

5- Franco-atiradores

“Eu não quero incendiar o País, eu sou a única pessoa que poderia incendiar o País. Não quero fazer como Nero, não quero, sou um homem de paz, tenho família” – Lula

“I think we’ll win before getting to the convention, but I can tell you, if we didn’t and if we’re 20 votes short or if we’re 100 short and we’re at 1,100 and somebody else is at 500 or 400, because we’re way ahead of everybody, I don’t think you can say that we don’t get it automatically,”  “I think it would be — I think you’d have riots. I think you’d have riots. I’m representing a tremendous, many, many millions of people.”  -Trump. (Resumindo, Trump ameaça dizendo que haveria protestos caso ele não ganhasse a nomeação, mesmo sem o número mínimo de delegados necessários).

A tática mais calhorda de Lula era a de dividir para conquistar. A tática é antiga. Divide-se o país em duas partes e fica-se com a maior para vencer as eleições. Lula, dessa forma, sempre colocou branco contra negro, rico contra pobre, nordestino contra sulista. Para tanto, alegava que a elite e sua “mídia” tinham ódio da prosperidade dos pobres e por isso se opuseram ao seu governo.

Já Trump sempre apelou para uma retórica mais crua. Começou sua campanha dizendo que mexicanos traziam crime, drogas e eram espupradores, E ALGUNS, É CLARO, seriam boas pessoas. A ressalva feita por Trump não foi o suficiente para impedir que se gerasse um sentimento anti-imigrante no país. Só pra se ter ideia, o número de crimes de ódio contra minorias religiosas(muçulmanos) ou étnicas(latinos) só cresceu desde então mas não sabemos o quanto desse crescimento é fruto da retórica de Trump.

6- Mentirosos

“Eu mentia mesmo, falava números que não existiam” – Lula

“Eu não sei quem é David Duke” – Trump

Lula é um mentiroso costumas, de tal forma que até ele mesmo reconhece que é um grande pinóquio. Já Trump é um caso que precisa ser estudado a fundo. Apenas durante a campanha ele foi pego 17 vezes NEGANDO TER DITO COISAS QUE ELE DISSE EM VÍDEO. Aí você pode se perguntar: “Não pode ser. Deve ser a mídia esquerdista que inventou tudo”. Mas o problema é que tem o vídeo dele dizendo uma coisa num dia, e outra no dia seguinte. Assim como Lula, aliás, Trump aparenta mudar de discurso conforme muda de plateia.

A melhor das mentiras de Trump foi quando perguntado por Jake Tapper, no programa State of the Union da CNN, sobre o que ele achava do apoio que vinha recebendo de grupos racistas e neonazistas, inclusive de David Duke, ex-representante da Ku Kux Klan. Trump disse na cara mais lavada do mundo que não sabia quem era Duke. O problema é que Duke é uma figura nacionalmente conhecida e em 2000 Trump citou Duke numa entrevista.

7- Egocêntricos

“Tem hora que eu estou no avião, quando alguém começa a falar bem de mim, o meu ego vai crescendo, crescendo, crescendo… Tem hora que eu ocupo, sozinho, três bancos – o ego” – Lula

Não, eu nunca pedi perdão a Deus” – Trump

O culto ao próprio ego e a ostentação das suas notória “qualidades” são marcas reincidentes em muitos líderes populistas. Com Lula você percebe esse tipo de comportamento quando ele fala de seu passado paupérrimo no Sertão, sempre fazendo uma importante alusão ao fato de que sua mãe teria nascido analfabeta. Ele construía essa narrativa de coitadismo para se projetar como alguém maior do que é, para alimentar seu próprio ego. Já Trump é um egocêntrico assumido. Coloca seu nome em letras garrafais em todas as suas propriedades e sempre foi ultra-sensível com críticas. Certa vez, a décadas atrás, saiu uma matéria insinuando que ele teria mãos pequenas e ele se deu o trabalho de mandar fotos das mãos dele para a redação do jornal para desmentir o artigo.

8- Mulherengos

“Mas, naquele tempo, a sacanagem era muito maior do que hoje. Um moleque, naquele tempo, com 10, 12 anos, já tinha experiência sexual com animais… A gente fazia muito mais sacanagem do que a molecada faz hoje. O mundo era mais livre…” – Lula

“You know, it doesn’t really matter what [the media] write as long as you’ve got a young and beautiful piece of ass.” (Não importa o que a mídia diz contanto que você tenha uma jovem e linda bunda). – Trump

Enquanto que Lula, por limitações físicas e financeiras, tinha que recorrer às viuvinhas emocionalmente abaladas do sindicato para descarregar os seus instintos mais primitivos, Trump sempre foi um playboy. Teve várias namoradas, traiu todas as suas mulheres e numa inusitada ocasião, quando da morte do filho de John Travolta, Trump fez um artigo elogiando a esposa de Travolta, dizendo que ela resistiu as suas investidas e que admirava a fidelidade dela.

9- Odeiam a mídia não alinhada

“It is not ‘freedom of the press’ when newspapers and others are allowed to say and write whatever they want even if it is completely false!” – Trump

“hoje quem condena as pessoas são as manchetes”. “Estou indignado com esse processo de suspeição” – Lula

 

Lula, desde 2005, após o escândalo do mensalão passou a atacar sempre que podia aquilo que chamava de “grandimídia dazeliti”. Se parasse por aí tudo bem. O problema foi quando seu governo tentou passar a regulamentação da mídia, criando uma comissão que avaliaria as matérias. Evidentemente, essa prática, se aprovada, instauraria uma espécie de censura para que o governo reprimisse os jornais que o criticassem.

Trump, para ser justo, é atacado pela maioria esmagadora da mídia. E para ser mais justo ainda, até veículos de direita como o Wall Street Journal e a National Review só descem o sarrafo nele em todas as suas edições. Algo preocupante é que ele defende que sejam liberadas as leis anti-difamação para que ele possa processar os jornais que o atacam. Isso alarma muitos pois a primeira emenda da Constituição americana vedaria tal ato.  

10- Sucesso absoluto

“If I ever ran for office, I’d do better as a Democrat than as a Republican–and that’s not because I’d be more liberal, because I’m conservative. But the working guy would elect me. He likes me. When I walk down the street, those cabbies start yelling out their windows.”Playboy, 1990 (Eu preferiria concorrer como democrata que republicano. E não é porque eu seja mais democrata ou republicano, mas porque os trabalhadores iriam me eleger. Eles gostam de mim.) – Trump

Lula está realizando um trabalho admirável, da melhor qualidade. Estou muito otimista com relação ao seu governo. – Trump

 

Tanto um como o outro obtiveram resultados bastante positivos com seus discursos. Trump conseguiu vencer 17 candidatos muito mais preparados que ele nas primárias gastando infinitamente menos. Teve toda a mídia contra ele e conseguiu ainda vencer sua opositora democrata, ainda que tenha perdido por mais de 1 milhão de votos no voto popular. Lula com seu discurso conseguiu não só evitar o que seria um eminente processo de impeachment após o Mensalão mas também logrou a sua reeleição e ainda colocou uma anta como Dilma no seu lugar.

Se bem que no final da história Lula pode não ter um fim dos melhores. Basta esperarmos pra ver se Trump terá para si um final feliz.

 

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s