Acima reproduzo o resultado da última pesquisa Datafolha. O instituto GPP dá a Garotinho uma vantagem ainda maior. O que vale ressaltar é o crescimento do candidato na capital, seu principal reduto de rejeição. Aliás, a rejeição de Garotinho já chega a 40% em muitas pesquisas, o que o inviabiliza como vencedor num provável segundo turno.

Aproveito a oportunidade para fazer um mea culpa. Desde o início do ano passado ando desprezando a candidatura do Pezão, que sempre achei que não ia vingar. Pois bem… ESTAVA ERRADO. O candidato do PMDB terá mais tempo de tv e a campanha mais cara do Estado. Sendo assim, é praticamente impossível que ele não esteja num segundo turno com o Garotinho. Minha percepção errônea se dava pelo fato do seu antecessor, Sérgio Cabral, ter uma aprovação de 18%, o que não lhe transferiria um percentual razoável para ser um candidato competitivo.

Meu principal erro foi não notar que o povo do Rio tem memória muito curta. Tudo bem esquecer os erros do Garotinho – que governou o Estado em 1998! -, mas esquecer as mutretagens do PMDB é o cúmulo da amnésia.

Anúncios