Últimas pesquisas para governador do Rio de Janeiro


1. Tudo na mesma

Pesquisas do Gerp, Vox Populi, GPP e, agora, do Ibope, elas por elas, nada mudou após a saída do Cabral do governo. Na frente –sistematicamente- entre 30% e 40% os que não marcam nenhum candidato, optando por branco, nulo e não sabe. Garotinho e Crivella continuam liderando. Garotinho um pouco a frente, no entorno dos 20%. Crivella, em seguida, um pouco abaixo dos 20%. Somam surpreendentes quase 40%. Os dois trocam votos parcialmente na mesma base, evangélica e popular.

2. Infante 

Garotinho lidera com folga no Interior. E como radialista, tem uma rede de inserções em rádios. Faz uma distribuição capilar de uma “prestação de contas” sobre sua atuação em 2014 e o que fez antes. Crivella lidera na Capital. E ambos lideram na Baixada e São Gonçalo, com ampla vantagem. Crivella –depois de ser ministro- viu seu piso aumentar. Dos 14% anteriores, para 16%, em números redondos.

3. Pé grande e calça curta

Logo após assumir o governo no lugar de Cabral e aumentar exponencialmente a sua exposição, Pezão passou a se situar no entorno superior dos 10%. E aí está. Três meses depois de sua posse, esperava-se que estivesse um pouco acima. Afinal, na conjuntura atual –pela exposição na mídia- ele é candidato sozinho. A partir de 5 de julho, acaba a propaganda do governo, não pode mais inaugurar nada e os demais passam a ter uma cobertura eleitoral. O jogo complica para ele.

4. Cidade da Música

Cesar Maia –também surpreendentemente- se mantém no entorno dos 10%. Surpreende porque não tem nenhuma exposição, não faz pré-campanha e ainda é coberto por um noticiário especulando sobre sua candidatura a partir das informações vazadas pelo PMDB. Nas contas do PMDB e de setores do PSDB, sua candidatura afetará Pezão na Capital, já que, na Capital e em Niterói, Cesar Maia aparece em segundo lugar. As pressões vindas da estratégia do PMDB-RJ para eleger seu candidato com apoio em nível presidencial continuarão até as convenções.

5. Petista

Lindbergh também surpreende, mas negativamente. Depois de uma avassaladora vitória para senador e apontado como favorito, vai se equilibrando nos 10%, apesar do noticiário que cobre sua candidatura, a pré-campanha que realiza e o apoio de Lula. E ainda terá que enfrentar a pressão da base aliada para que Lula apareça em todos os programas dos candidatos da “base-aliada”.  Mesmo privilegiando Lindbergh, não poderá se negar a aparecer nos demais, confundindo o eleitor.

6. Briga

Miro vai sendo prejudicado pelo noticiário que dá conta dos conflitos internos entre PSB e PROS em função da elegibilidade de chapas conjuntas de deputados e que o atingem como candidato. Com isso, ele que vinha passando a fronteira dos 3%, volta a ficar no entorno negativo desses 3%.

7. Fronteira

A perspectiva hoje é a mesma dos últimos meses: quem estiver na fronteira dos 15% tem grande chance de ir para o segundo turno.

8.Senado

Uma novidade no Rio: os institutos de pesquisa não conseguem testar os nomes para o senado, pois mesmo os três nomes que são indicados ainda não têm certeza total de suas candidaturas.

9. Copa

O mais provável é que nada mude até o final da Copa. E que só pesquisas pós-Convenções e pós-Copa, a partir do dia 15 de julho, poderão informar se há tendências sobre o quadro atual, estável desde março.

10. Pesquisa Ibope

O levantamento indica empate técnico entre o deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ), o senador Marcelo Crivella (PRB), e o atual governador do Estado, que sucedeu Sergio Cabral, Luiz Fernando Pezão (PMDB). Garotinho aparece com 18% das intenções de voto, contra 16% de Crivella e 13% de Pezão.

Dentro da margem de erro, de três pontos porcentuais para mais ou para menos, os três pré-candidatos estão empatados tecnicamente. O Ibope entrevistou 1.204 eleitores com 16 anos ou mais, que moram no Estado do Rio de Janeiro, entre os dias 7 a 11 de junho de 2014.

O pré-candidato do PT, senador Lindbergh Farias, tem 11% da preferência do eleitorado, e o ex-prefeito e agora vereador César Maia (DEM) aparece com 8%. O deputado federal Miro Teixeira (PROS) e Tarcísio Motta (PSOL) têm 1% cada. Os eleitores que disseram que votariam em branco ou nulo totalizam 27%, enquanto os que não souberam ou não responderam são 6% do total.

11.Rejeição

Apesar de liderar a pesquisa dentro da margem de erro, Anthony Garotinho tem a maior rejeição entre o eleitorado do Rio de Janeiro: 32% disseram que não votariam nele de jeito nenhum. César Maia é o segundo com maior rejeição (24%), seguido pélo governador Luiz Fernando Pezão, com 18%, e o senador Lindbergh Farias, que tem 14%.

Crivella e Miro Teixeira têm 13% de rejeição, e Tarcísio Motta aparece com 11%. Os brancos e nulos no quesito rejeição são 11%, e 12% não sabem ou não responderam em quem não votariam de jeito nenhum.

12.Segundo turno

O Ibope também quis saber dos eleitores em quem eles votariam em um eventual segundo turno. Em um primeiro cenário, caso o pleito tivesse Garotinho e Crivella no segundo turno, cada um dos dois teria 25% dos votos se a eleição fosse hoje. Os votos brancos e nulos totalizariam 43% do total e 7% disseram não saber em qual dos dois votaria.

Em outra hipótese, com Garotinho e Pezão, o deputado federal do PR venceria o atual governador do Rio: 30% das intenções de voto contra 20% do sucessor de Sergio Cabral. Os brancos e nulos são 42% e 8% não sabem em quem votariam.

Na terceira possibilidade, com Crivella contra Pezão, o governador do Rio de Janeiro também sai derrotado. Crivella tem 31% dos votos, contra 19% do governador. Outros 43% disseram que votariam branco ou nulo, e 7% não sabem qual dos dois pré-candidatos escolheria.

Um quarto cenário coloca frente a frente Lindbergh Farias (PT) e Pezão (PMDB). Neste recorte, Pezão tem 23% da preferência, contra 22% de Lindbergh. Brancos e nulos são 47% do total e 9% não sabem.

Na quinta simulação, com Lindbergh contra Garotinho, este tem 29% da preferência contra 20% do petista. Os brancos e nulos são 44% do total, e 8% não souberam dizer qual dos dois escolheria.

Outra hipótese coloca na disputa César Maia contra Pezão, que teria 22% dos votos. Maia conquista uma fatia de 19%. Brancos e nulos são 50% dos eleitores, e 9% não sabem.

Crivella também venceria Lindberh Farias em um eventual segundo turno. O senador teria 29% dos votos, contra 20% do petista. Brancos e nulos são 44% do total, e 8% não sabem.

Anúncios

8 thoughts on “Últimas pesquisas para governador do Rio de Janeiro

  1. Maria Tereza 24/06/2014 — 12:26

    Pezão ta beirando o 10% mas tem 3% de margem de erro na pesquisa do IBOPE, então ele pode estar até com 16%, empatando com o Crivella.

    Curtir

  2. garotinho tem toda esta rejeição pq é conservador social

    Curtir

  3. Se fosse conservador economicamente eu votaria nele sem pestanejar. Se…

    Curtir

  4. o dona desta merda não passa de um libertário kkkkkk

    Curtir

  5. O ‘dona” é conservador.

    Curtir

  6. só por milagre aécinho do pó tem mais de 10% dos votos no rio kkk

    Curtir

  7. Elton dornelas da Silva 14/07/2014 — 15:05

    As Pesquisas nao condiz com a Realidade….Garotinho tem quase ou mais de 30% de intencoes de Votos….Em Outubro vamos saber se estou sendo Utopico demais ou se minha percepcao e verdadeira,rsrs…Mais repito:E certo ele ir para o 2 Turno,mais no 2 Turno nao sei se vencera as eleicoes pois serao todos contra ele…Abracos!!!

    Curtir

  8. Fora garotinho!!!!!!

    Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close