Primeiro casamento gay triplo é realizado nos Estados Unidos


As americanas Doll, Kitten e Bryann formam o primeiro trio gay que conseguiu legalizar a união no mundo.

As mulheres se casaram em uma cerimônia civil em agosto de 2013 no estado de Massachusettes, Estados Unidos, todas vestidas de branco e acompanhada de seus pais.

Este foi o primeiro casamento triplo da história e só ganhou destaque na imprensa internacional nesta semana por conta de uma entrevista do jornal britânico Daily Mail.

A revista Marie Claire comentou a entrevista relatando como as mulheres se conhecerem. Ao que consta, Brynn e Doll se conheceram em 2009 em um site de namoro, elas namoraram por oito meses e começaram a morar juntas.

A terceira mulher só apareceu em 2011 quando as duas resolveram procurar uma terceira pessoa usando um site de relacionamento e encontraram Kitten.

Para oficializarem o casamento, elas precisaram contratar um advogado de família especialista em uniões homossexuais. Ele conseguiu elaborar documentos para ligar as três mulheres e no final ficou Bryan e Kitten legalmente casadas e a Doll como “prometida” para as duas.

Quase um ano após o casamento, as três mulheres estão felizes pelo nascimento do primeiro filho que foi produzido através do tratamento de fertilização in vitro usando o esperma de um doador anônimo. A ideia do trio é que todas elas engravidem, resultando em três crianças.

Fonte: http://noticias.gospelprime.com.br/casamento-gay-triplo-eua/

 

Comento:

 

Quem acompanha o blog a mais tempo sabe que o príncipio mais quisto pela minha pessoa é a liberdade. Defendo a liberdade de crença, de opinião, de imprensa e etc. Sendo assim acho que cada um pode fazer o que bem quer com sua vida desde que não interfira na vida alheia. Vou mais além. Defendo que cada um possa fazer o que quiser com sua vida, mesmo quando a atitude é desvantajosa ao indivíduo.

No caso do casamento gay, não vejo problema na união estável entre dois homens, duas mulheres, três ou mais grupos de pessoas, animais ou coisas. Sendo assim, defendo que os pares devem ter os direitos cabidos de pensão e até mesmo de adoção se possível.

Casamento e bizarrice

Já quando o assunto é casamento ainda sou um pouco mais resistente. Isso porque o casamento é a célula matre da família. Na minha visão o casamento é, por definição, a união de um homem e uma mulher. Digo isso pois quando você descaracteriza o significado do casamento a primeira consequência é a descaracterização da família. Se você permite que o casamento deixe de ser a união entre um homem e uma mulher você abre as portas para todo o tipo de bizarrice.

Lógica relativista

Se um homem pode casar com uma mulher porque não poderia casar com duas mulheres, simultaneamente?

 

Se um homem pode casar com uma mulher porque não poderia casar também com um homem?

Se uma mulher pode casar com uma mulher porque três mulheres não podem se casar?

Se dois animais da mesma espécie podem casar porque não poderíamos chamar a união de dois animais de espécies diferentes de casamento?

Se mais de duas pessoas podem se casar porque um homem não poderia casar com um animal?

Se um homem pode casar com um animal porque não poderíamos chamar a união de dois animais da mesma espécie de casamento?

Se no passado era proibida a união de pessoas de “raças” diferentes e hoje é permitido, porque não permitir também todos os tipos de casamentos que um dia foram proibidos? 

Se um homem pode casar com um animal porque não poderiam casar também com um objeto?

Se toda a forma de amor é válida e moral, sendo apenas o amor a principal justificativa para um casamento, porque um homem não poderia casar com sua irmã? Ou com sua mãe? Ou até mesmo com sua vó, seu avô e seu pai? Porque não com todos ao mesmo tempo?

Toda essa “lógica” utilizada acima é o que chamamos de relativismo. Se tudo é bonito, então não há referencial de beleza. Logo, se tudo é bonito, nada é bonito. Quando você descaracteriza o que é algo você perde o referencial desse algo e o resultado é a abstratização desse elemento. Se tudo é certo, nada é certo. Se tudo é deus, nada é deus. Se tudo é moral, nada é moral. Se tudo é perfeito, nada é perfeito. E portanto: se tudo é casamento, nada é casamento; se tudo é família, nada é famíla.

3 comentários

  1. duas casadas e uma “prometida”, será que o padre que fez o casamento engoliu essa?? (a mulher do meio tem parece um homem o.Ó )

    Curtir

  2. duas casadas e uma “prometida”, será que o padre que fez o casamento engoliu essa?? (a mulher do meio parece um homem o.Ó )

    Curtir

  3. Casamento é a união entre um homem e uma mulher para constituir família. É assim desde que o mundo possui seres humanos. Quem quer comparar casamento a qualquer tipo de união está completamente equivocado.
    “Casamento” de três mulheres: olha, elas podem ficar juntas que é uma coisa delas. Podem fazer vários filhos de fertilização, pois a lei permite. Achar que é ético: não concordo. Não vai deixar de ser bizarro, tenho pena destas crianças que não vão ter uma referência masculina na vida delas, que é importantíssimo para construir a identidade e caráter deste ser humano.
    Ambos os sexo são importantes para a formação da humanidade. Cada um com sua dignidade e função. Querer dizer que homem e mulher são igual é pura bobagem. Crianças têm o direito de ter pai e mãe. Se não é possível, se aconteceu algo errado para que não ser assim – é uma coisa. Agora querer que crianças sejam geradas assim por opção é abominável!

    Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s