Ipea corrige pesquisa sobre abuso contra mulheres


Ipea corrige pesquisa sobre abuso contra mulheres

 

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou nesta sexta-feira, 4, que houve um erro na pesquisa divulgada no dia 27 de março que trazia a informação de que 65% dos brasileiros concordavam que mulheres com roupas curtas merecem ser estupradas.

Na verdade, 26% dos entrevistados concordaram com essa afirmação e 70% discordaram total ou parcialmente (veja arte divulgada pelo Ipea abaixo). Segundo o instituto, houve inversão dos resultados na hora de divulgar os resultados.

 

 

“Com a inversão dos resultados, relatamos equivocadamente, na semana passada, resultados extremos para a concordância com a segunda frase, que, justamente por seu valor inesperado, recebeu maior destaque nos meios de comunicação e motivou amplas manifestações e debates na sociedade ao longo dos últimos dias”, diz a nota do Ipea.

 

 

 

Quanto à outra questão que causou polêmica, o Ipea reafirmou os outros resultados: “Contudo, os demais resultados se mantêm, como a concordância de 58,5% dos entrevistados com a ideia de que se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros.”

 

O diretor responsável pela área de Estudos e Políticas Sociais do Ipea, Rafael Guerreiro Osório, segundo a nota, pediu sua exoneração assim que o erro foi detectado.

 

Repercussão. O resultado divulgado na semana passada gerou polêmicas nas redes sociais. A jornalista Nana Queiroz, de 28 anos, criou o movimento #EuNãoMereçoSerEstuprada em que mulheres de todo o País postaram fotos em que empunhavam cartazes que repudiavam agressões.

 

Ela se pronunciou após ser informada pelo Estado do erro. “Mesmo assim, 26% ainda é um número muito alto. A nossa campanha continua”, afirmou Nana, que estava em reunião com a Polícia Federal na hora em que foi avisada. 

Fonte:http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/ipea-corrige-pesquisa-sobre-abuso-contra-mulheres

 

Comento

Mais uma vez eu estava certo. É óbvio que o resultado da pergunta “Mulher com pouca merece ser estuprada?” deveria ser inferior a porcentagem de pessoas que disseram sim a pergunta “Mulher vestida de forma comportada pode evitar ser estuprada?”, pois a primeira pergunta é condição para a segunda.

Fora isso, o IPEA faz pesquisas nas casa das pessoas em horario comercial, o que faz que seus participantes sejam majoritariamente mulheres de baixa instrução, o que justifica o resultado.

Além disso, vale ressaltar que essa não foi uma pesquisa que indicou machismo na população brasileira. Foram feitas 27 perguntas e em 25 delas as pessoas foram abertamente contra a violência contra a mulher. Em apenas duas das perguntas (que agora sabemos que estavam erradas) a pesquisa indicou machismo – e essas foram as únicas perguntas abordadas pela nossa mídia viesada e manipuladora.

Anúncios

1 thought on “Ipea corrige pesquisa sobre abuso contra mulheres

  1. parabens, acertou em cheio

    Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close