EXISTE PRECONCEITO CONTRA ASIÁTICOS NO BRASIL?


Chinês vendendo Arroz

Asiáticos e seus descendentes estão em todas as partes do Brasil nos dias de hoje. Eles dividem a sua cultura com os nativos da terra que os acolheu. Entretanto, como povo brasileiro tratou e vem tratado os imigrantes vindos de terras asiáticas?

O preconceito étnico no Brasil contra asiáticos na maioria dos casos se apresenta da mesma forma que no caso dos negros e da mulher. isto é sempre se revelando disfarçadamente por métodos muito difíceis de serem apontados.

Em outros países são comuns espancamentos e criação de grupos racistas contra imigrantes, no Brasil simplesmente são feitas piadas de gosto duvidoso, além da criação de apelidos relacionados à etnia das pessoas.

Frases como “você consegue enxergar com esse olho fechado?”, “Quando você vai construir um game novo” e apelidos do tipo japa, China, Cheneisada, são comumente atribuídos aos imigrantes asiáticos no país.

 

A grande maioria dos brasileiros nunca se assumiria como  xenofóbico (expressão direcionada ao preconceito ou asserção a imigrantes). Em uma breve pesquisa pelo site Yahoo respostas pessoas respondia a questão “você tem algum preconceito contra asiáticos?” todas as repostas foram negativas, entretanto,  quem nunca ouviu alguém fazer piadas a respeito de pessoas de origem asiática.

O brasileiro ainda precisa evoluir muito para que se possa considerar uma sociedade livre de racismo ou xenofobia. Por enquanto ainda existem muitos que se iludem com a idéia de uma pátria onde todos são iguais.

Leia mais: http://nuvendigital.com/blog/2012/01/09/preconceito-contra-asiaticos-no-brasil/#ixzz2txWapofu

 

Comento:

O assunto é complexo mas meu veredito seria de que não existe preconceito contra asiáticos. muito pelo contrário, nós, “brasileiros normais” admiramos muito a cultura dos descendentes nipônicos, seu apego ao trabalho e seu esmero nos estudos. Depois que vim para São Paulo pude ter uma visão mais ampla sobre esse assunto. Ao perguntar a vários amigos nipodescendentes, nunca nenhum me disse ter sido alvo de preconceito. No entanto, é preciso pontuar uma coisa.

O brasileiro adora brincar com quem não tem intimidade. Não raras as vezes vi pessoas se referirem a nipodescendentes como japas, jaspions ou pokemons. Aliás, eu mesmo já chamei um japa de pokemon uma vez e a resposta foi um palavrão nervoso por parte da pessoa. Ele ficou ofendidíssimo, mesmo sabendo que eu estava brincando. Disse-me que o que tinha feito era tratar a etnia dele no mesmo nível de um animal e que o que tinha feito era a mesma coisa que chamar um negro de macaco. Bem, nunca mais repeti esse descuido.

O que vi em São Paulo são duas realidades: a dos nipodescendentes que lutam para preservar sua cultura e a daqueles que já estão completamente inseridos na cultura brasileira, desprezando qualquer resquício de identificação com a Terra do Sol Nascente. Este último tipo compõe a maioria dos “japoneses” que conheci em São Paulo.

O japoneses já sofreram preconceito no Brasil? Claro que sim, principalmente no período da Segunda Guerra Mundial. Já foram oprimidos no Brasil? Sim. Assim como os negros, muitos vieram para o Brasil trabalhar em condições insalubres no campo e foram explorados pelos agricultores da época. O que vem ao caso é que esses são eventos que já não produzem eco histórico na nossa sociedade e não há porque exagerarmos esse assunto só para polemizar.

Preconceito é o que existe nos EUA, onde as pessoas se referem aos seus “black friends”, “asians friends”, “hispanic friends” ao invés de chamar seus acólitos simplesmente pela alcunha referida: a de amigo.

20 comentários

  1. eu posso afirmar que tenho simpatia pelos japoneses, as vezes me refiro a eles de “japas” mais como um jeito de abreviar a forma de se referir a eles, nunca me passou pela cabeça que isso poderia ser visto como uma ofensa, e seu comentário final dá uma visão objetiva e ampla da forma como eles vem sendo tratados em nosso país.

    PS: confesso que estou até com receio de comentar algo por aqui, pois da ultima vez que visitei o blog vi várias postagens e fiz vários comentários, mas moderaram a maioria deles, sinceramente não entendi o porque, pois até eu reconheço quando falo alguma bobagem e peço que não publique…mas já vi postagens mais fúteis ou ofensivas postadas aqui e acabam sendo publicadas, explique-se Acid =-/

    Curtir

    • ta difícil moderar os comentários Daniel. Sinceramente, não me recordo de ter moderado algum comentário seu ultimamente. Vou ver aqui os que estão em processo de moderação. Desde já, desculpe, se moderei foi sem querer.

      Abraços Daniel !

      Curtir

      • será que não foi o Ryo? ele também é moderador daqui, mas só vejo você atuando de forma ativa e respondendo alguns comentários de vez em quando…
        mas obrigado por esclarecer isso, e desculpa se de vez em quando acabo exagerando em meus argumentos.

        até mais e tenha um ótimo fim de semana!

        Curtir

    • Se você parar para pensar só de se referir a eles de japa já é preconceito,pois nenhum japones no Brasil tem nome,são todos chamados de japa.
      Muitos deles nasceram aqui,serviram exercito daqui e ainda são obrigados a escutar “japa”.Se caso houver uma guerra envolvendo o Brasil esses japas vão pra guerra defendendo o Brasil e não o Japão!!!!!

      Curtir

      • Exatamente. Ocorre que eu nasci no Brasil: legalmente (jus solis) sou brasileiro. Outra coisa é ter no meu corpo correndo o sangue de japoneses (jus sanguinis), fato que obviamente influiu e influi no meu modo de ser. A questão se torna problemática quando sou objeto de piadas, gozações e apelidos por conta da característica física. Nasci, cresci e serei enterrado em terras brasileiras. Portanto, sou brasileiro, sim e com orgulho.

        Curtir

  2. kkkkkkkkkkk
    até hoje nunca me chamaram de pokemon, mas já chegaram a sacanear meu amigo Raphael por ser parecido com o Harry Potter, o carinha fica muito puto quando o chamam assim XP

    poucas são as vezes que comento algo no seu blog, gosto mesmo é de acompanhar as noticias postadas aqui, achei até interessante uma das ultimas postagens que falava do anime Sakura Card Captor, se puder gostaria de sugerir uma postagem que falasse um pouco sobre a situação atual dos animes no Brasil, é incrivel como andam sempre em alta em vários sites na internet, mas de alguma forma acabaram perdendo seu espaço na tv aberta e deixando milhares de crianças, adolescentes, jovens e até adultos que curtem esse tipo de animação a ver navios, ficaria muito grato de saber mais ou menos como isso se deu e se existe alguma chance deles voltarem a brilhar nas nossas telinhas num futuro não muito distante? até mais e continue com seu ótimo trabalho

    Curtir

  3. O preconceito q sinto eh diferente… nao eh opressor e muito menos transparente como contra os negros.
    Existem estereótipos que machucam muitas vezes…
    Somos vistos como nerds e no mundo dos relacionamentos, somos subestimados. Garotas q assumem ter queda por japoneses sempre falam q 99% das amigas nao entendem e ate brincam com o fato. O simples fato de ser japones, vem juntos vários rótulos pre-concebidos.

    Curtir

    • Os estereótipos são criados independente da sua etnia…. na questão de relacionamento entendo que seja mais complicado pq o padrão de beleza não é o asiático, mas existem mtas pessoas no mundo que se encantam pelas diferenças. Eu tenho uma queda por japoneses e asiáticos e minhas amigas acham isso engraçado e sempre perguntam o porque… bom eu não tenho a resposta, é simplesmente o meu gosto.

      Curtir

      • Sim, o simples fato das amigas não entenderem é uma fonte de frustração enorme para os orientais, e muitas se deixam influenciar… Alias, elas nem percebem o dano.
        Quanto a questão profissional, intelectual, amizade, convivência, etc não sinto nada…. até somos bem valorizados.

        Curtir

  4. Não digo que há racismo contra asiáticos no Brasil. O que há, na verdade, é ignorância e burrice por parte de certas pessoas. Em todos os lugares do mundo sempre vai haver um ignorante frustrado que discrimina tudo o que ele acha “diferente”. Mas pessoas assim são uma minoria e, na maioria das vezes, são pessoas com alguma frustração ou coisa do gênero. Igual caras que batem em mulher por sofrem de impotência sexual ou por terem sido traídos. Sempre há algum trauma por trás.

    Curtir

  5. Pelo que eu sei os japoneses são pessoas muito educada, eu me refiro aos japoneses originais 100% nascidos no Japão e que nunca foram ao Brasil, agora um japonês nascido no Brasil acaba pegando uma característica forte, prefiro ficar longe destes, igual a chineses, eu moro na China e os chineses são pessoas receptivas (nem todos), as os chineses criados nos EUA (nem todos tb) são muito bizarros…

    Curtir

  6. Muitas pessoas não percebem mas Eu acho que existe preconceito contra orientais sim ! não tanto com mulheres mas com homens de etnia oriental. Um dos maiores culpados disso é a propria midia ,infelismente as pessoas só enxergam e acreditam no que a midia mostra….por exemplo …. raramente se ve um homem de etnia oriental em alguma novela,muito menos tendo o papel principal,alguem por acaso já viu um oriental na novela beijando uma atriz bonita e famosa???eu nunca vi….normalmente fazem papel de bobo,quase sempre quando entrevistam os orientais fazem alguma piadinha ou colocam aquelas musiquinhas ridiculas,muitos podem achar isso normal,mas quem tem etnia oriental sabem como é ridiculo,…. ou seja com a midia mostrando tudo isso acaba meio que vamos dizer…. “queimando” a imagem dos orientais,é lamentavel isso !!!

    Curtir

    • Com certeza, Marcio, por isso para 99,9% das mulheres no Brasil, o homem oriental não e uma opção de relacionamento.

      Curtir

  7. Na minha opinião, como asiática, existe sim preconceito contra orientais no Brasil. Preconceito, pré-conceito: o conceito prévio sobre um indivíduo que pode ser um mero passante na rua. É a prepotência de julgar o outro, de pensar que se sabe tudo sobre ele/ela só por causa da aparência, criada por esteriótipos sociais e reforçados pela mídia. Um simples “ching ling”, “pastel de flango”, “arigatô”, “sayonara”, “sushi”, “sashimi”, “pokémon”, pode parecer uma mera brincadeira para quem diz mas, é muito fácil interpretar isso como sarcasmo, principalmente quando vindo de um desconhecido. Não só sarcasmo mas também falta de respeito, deboche. Imagine para quem ouviu isso ou coisa pior 1001 vezes desde a infância. Isso fica, isso ofende. Para alguns nem tanto. Outros, riem. Outros já perderam as esperanças de que um dia poderão ser respeitados e considerados cidadãos brasileiros, por mais que o sejam. Considero também como injúria racial indireta (“A injúria racial está tipificada no artigo 140, § 3º do Código Penal Brasileiro e consiste em ofender a honra de alguém com a utilização de elementos referentes à raça, cor, etnia, religião ou origem.”). Digo indireta porque é sempre possível e conveniente dizer que “era brincadeira”, “é frescura sua” ou “a sociedadezinha está muito intolerante”. Às vezes também é a ingenuidade perversa, em que, pelo fato de “já ter virado piada” não é do conhecimento geral que certos ditos são ofensivos para quem são direcionados. Em outras ocasiões, algumas perguntas são inocentes e fáceis de perceber que não estão carregadas de maldade. Depende da situação e depende da pessoa. Há quem respeite e admire, há quem não saiba o quanto ofende e há quem enxergue os orientais eternamente com desdém e desrespeito.

    Curtir

    • Você está certa Iris , por existir uma grande diferença da cultura e tradição , que os descendentes carregam de seus ancestrais e “principalmente a diferença de fisionomia entre orientais e ocidentais” , o preconceito existe…..Maquiado em forma de alegria e descontração. Brincar com as pessoas é algo desejável , desde que não as ridicularizem , inferiorizem ou desonrem . Brincar é uma distração recreativa, afetiva , construtiva e rica . O país é formado por uma rica miscigenação de raças , somente por este fato , todos neste pais deveriam ter um sentimento de igualdade e fraternidade que service de exemplo para todo o mundo. Mas infelizmente a xenofobia é uma realidade presente e forte . Os brasileiros, descendentes de japoneses representam quase 1% da população do país , é como uma gota d’água no oceano. Cabe a cada um…..fazer uma reflexão sobre seu sentimento de igualdade e fraternidade , por que muitas vezes , o mal social é um reflexo do mal individual .

      Curtir

    • Concordo com a parte do preconceito e como todo preconceito baseado em caracteristicas etnicas se enquadra como racismo. Eh muito mais brando do que o racismo contra negros e indigenas e nao se aplica tanto ao mercado de trabalho mas certamente o racismo e sentido no meio social, onde o japones tem o esteriotipo do cara intelectual e contido, magro, fraco, pequeno e fragil. Talvez pareca inocente mas o termo “Japa” e a traducao de “Jap” que era a forma offensiva de se chamar um japones durante a segunda guerra mundial. Como ja foi dito anteriormente, a quantidade de personagens de origens niponicas na TV brasileira e quase nula e sempre tem pouquissima importancia na trama. Os japoneses assim como os negros sao invisiveis… Nem o racismo e visto.

      Curtir

  8. Iris, concordo plenamente com seus comentários. Sou asiático e já me senti ofendido diversas vezes por conhecidos e, principalmente, por desconhecidos que acham engraçado chamarem-me de jaspion, pokemon, olhos puxados, ching ling, arigato, etc. Infelizmente há muitas pessoas ignorantes e com falta de respeito no Brasil. Acredito que a grande maioria dos brasileiros desconhecem ou ignoram a existência desse tipo de preconceito contra asiáticos, mas eu posso afirmar que existe sim, pois já sofri muito com isso. Quero ser tratado como igual, como ser humano, assim como procuro tratar a todos os indivíduos, sem distinção. Procuro não ofender ninguém e não gosto de ser ofendido. Já tive que engolir muito sapo, para não ter que me envolver em confusão com pessoas ignorantes, mas é triste que ainda existam tantas.

    Curtir

  9. verdade no brasil infelizmente existe muitas pessoas racista contra negros,asiáticos e até brancos muitos amigos me chamam de japa,ninja,sushi a vezes fazem até piadas que não agradam-me

    Curtir

    • A Iris fez um comentário muito lúcido. Sou de etnia asiática e sou nascido no Brasil. Assim como o Alberto, já fui ofendido por chacotas e deboches gratuitos e continuo a engolir sapos para não ter maiores problemas. Mas acredito que precisamos colocar esse assunto em pauta cada vez mais para toda sociedade brasileira pois nossos decendentes merecem um Brasil mais justo nesse sentido.
      Sobre o papel dos homens asiáticos na telona ou na telinha, pode-se ver que na maioria dos casos o personagem é geralmente retratado de maneira asexual e estereotipada. A mulher asiática também é estereotipada na mídia e muitas vezes retratada como “mulher” de um caucasiano. Cabe também a nossos atores, roteiristas, marqueteiros, etc. a não aceitar trabalhos que perpetuam esses preconceitos e estereótipos.
      Recentemente percebi que quando há um cidadão de etnia asiática que obtém sucesso e projeção, se faz questão de chamá-lo pelo seu nome e destacar que é brasileiro. Já quando não é esse o caso, a pessoa já é rapidamente tratada como japonês, china, etc.
      Vide o caso dos atletas olímpicos decendentes de asiáticos …. agora, apenas nesse contexto, é que são considerados com a igualdade e respeito que todo brasileiro tem direito.

      Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s