Entrando pra história

Atualmente a morte é a passaporte para a beatificação de qualquer figura. Já há quem coloque o Mandela no mesmo status de Gandhi, Martin Luther King e Madre Teresa. Na minha opinião é nesse grupo em que ele se encaixa: o de personalidades superestimadas. Luther King era pastor e um conhecido adúltero. Gandhi achava que os aliados não deveriam fazer uso da força contra os nazistas, pois o correto seria usar a resistência pacífica. Madre Teresa era contra qualquer medida de controle de natalidade, o que só ajudava a perpetuar a situação de miséria absoluta a qual tentava amenizar.

Mandela, preso e injustiçado

Mandela ficou mais de 20 anos preso na ilha de Robben, de onde saiu com vários problemas de saúde. Frederick De Klerk, último presidente durante o Apartheid já admitiu que Mandela ficou muito tempo na prisão. No entanto, o crime pelo qual Mandela recebeu pena perpétua, o crime de traição, existe em qualquer lugar, sendo que em muitos lugares é imputado a pena de morte. Em 1985, o presidente Peter Botha propôs um indulto a Mandela caso ele renunciasse a qualquer forma de violência. Mandela recusou.

Mandela, o amigo da galera

Fidel Castro, Muanmar Kadafi, Robert Mugabe, Arafat e muitos outros ditatores cruéis (todos comunistas, é claro) eram os amigos com que Mandela andou. Enaltecido nas TVs, um homem que segundo os jornalistas dedicou toda a sua vida à paz, não bate certo com o homem que no final dos anos 50 defendia acerrimamente a luta armada a fim de conduzir África à via marxista. Goste-se ou não, o senhor carismático e sorridente que hoje vemos na TV foi o responsável por numerosos atentados de uma violência semelhante ou superior à da maioria dos grupos terroristas que aprendemos a temer neste século XXI.

Corrupção

Para terminar, as suspeitas de corrupção ainda o perseguem, assim como o inexplicável enriquecimento dos seus colegas de partidos. Quanto à África do Sul, se é verdade que a linha que separava brancos e negros se foi apagando, a linha que separa a pobreza e a fome dos luxos dos oligarcas e dos funcionários do partido apresenta-se a cada dia mais carregada. Hoje a corrupção é um problema tão forte na África do Sul que o próprio bispo negro e Nobel da Paz Desmond Tutu afirmou que o atual governo sulafricano é pior que o Apartheid. Em muitos sentidos, a fala de Tutu é incontestável.

Capital do estupro

Desde o fim do Apartheid, o CNA, partido de Mandela, conseguiu distribuir bastante a renda do país. Hoje 19% dos mais ricos são negros. Mas o combate a miséria, uma de suas bandeiras, mostrou-se um insucesso -98% dos mais pobres ainda são negros. Outros pontos negativos que sucederam o final do Apartheid foram a explosão da AIDS e a onda de violência nas grandes cidades. Hoje, na África do Sul, é mais fácil uma mulher ser estuprada do que aprender a ler. Detalhe: tanto o estupro quanto a AIDS tem sua incidência concentrada nos negros sulafricanos.

Governo Mandela

Quando Mandela foi eleito presidente, muita gente botou em dúvida sua capacidade de governar uma nação problemática. Aquele surrado argumento: não tinha preparo para a coisa. Não tinha diploma, não tinha pedigree. Pois bem. O governo de Mandela ficou aquém de muitas expectativas. No final das contas, o único verdadeiro mérito que Mandela merece é o de não ter sido revanchista com os brancos que o enjaularam na prisão. Mas será que ele fez isso porque foi bonzinho? Claro que não. Em 1994, ainda havia um receio de que o país vivesse uma guerra civil. Um êxodo em massa da população branca do país, como aconteceu no Zimbábue, destruiria a economia do país, uma vez que quase toda a mão-de-obra qualificada era branca.

Mandela acabou com o Apartheid?

Por mais que a mídia repita que foi ele que voluntariamente pôs um fim ao louco regime de cotas que regia a África do Sul, a verdade é bem mais complicada. Desde os anos 70 o Ocidente declarou embargo econômico a África do Sul, o que era extramamente ruim para os brancos, que nos anos 90, num plebiscito onde negros não votaram, decidiram o fim do Apartheid.

Socialismo do CNA

Nessa última década mais de 3 mil fazendeiros brancos foram assassinados. A razão é que existem muitas terras para os brancos e poucas terras para os negros. O que o governo fez? Redistribuiu. Assim como no Zimbábue, deu errado. Sem a expertise e a capacidade de investir muitos dos recebedores das terras as tornaram improdutivas. A produção dimuiu e o preço dos alimentos aumentou. Quem se prejudicou mais com o aumento no preço dos alimentos? Os mais pobres. Apesar disso, com o final do embargo econômico o setor de mineração tem feito a economia sulafricana crescer de forma consistente.

Figura simbólica

Quando falam do Mandela geralmente dão uma ênfase muito maior aquilo que ele disse do que o que ele fez. Creio que as pessoas fazem isto porque o regime do Apartheid  era tão nefasto que é preciso um herói para fazer um contraponto a ele. Só que no caso de Mandela, o herói não tinha super poderes. Enfim, fora da prisão Mandela continuou sendo aquilo que já era dentro dela: uma figura simbólica.

Anúncios