Hoje o mundo lamenta a morte de Nelson Mandela, mas se esquecem de lembrar das vidas que foram ceifadas nos ataques do CNA nos anos em que Mandela era o líder do movimento.

Anúncios