A inauguração oficial da Black Friday será na madrugada desta sexta-feira, mas na internet já aparecem reclamações sobre o evento. A consumidora Maria Conceição Santos registrou uma queixa no site Reclame Aqui. Segundo ela, há lojas aumentando os preços antes do dia oficial das ofertas.

“A maquiagem já começou. Passei esta semana avaliando preços de geladeira e máquina de lavar pratos. O Ponto Frio tinha a geladeira da Brastemp em promoção no valor de R$ 2014, no dia seguinte aumentou para R$ 2141 e hoje estava acima de R$ 2200. Minha pergunta para essas lojas é: qual é o verdadeiro Black Friday? Se querem copiar Estados Unidos, o façam verdadeiramente e não com maquiagem.”

O consumidor Carlos França Leão também reclama no Facebook: “Estou acompanhando o valor do Motorola Moto G Colors de 16GB, pois estou na expectativa que o mesmo caia de preço na Black Friday! Percebi que o site Submarino já aumentou o preço do mesmo, que era de R$ 703,12, para R$ 899. O Walmart também alterou de R$ 703,12 para R$ 799 e as Lojas Americanas, de R$ 703,12 para R$ 759,05. Está é o preço à vista hoje pago no boleto. Espero que a empresa no dia 29/11/2013 não retorne para o preço anterior pois aí não haverá desconto algum. Fique ligado pois essa Black Friday pode ser lorota, enganando e iludindo nós consumidores com descontos não existentes.”

Questionadas pelo Estado, a Submarino e a Americanas afirmaram que o smartphone não fará parte das ofertas da Black Friday. “Todos os produtos em promoção estarão identificados com o selo ‘oferta Black Friday’”, dizem as empresas em nota.

Um post de Martha Furtado Kanagusko ganhou repercussão nesta quinta-feira. Ela acompanhou o preço de um celular e deu um print dos preços nos dias 26, 27 e 28 de novembro. A foto teve mais de 600 compartilhamentos.

“Olha o absurdo: estou monitorando o preço de um celular no Submarino que quero comprar, mas vou esperar até sexta-feira pela ‘Black Friday’ para ver se tem algum desconto. Ontem o celular Motorola Razr HD estava R$ 879 à vista no site Submarino e hoje de manhã qual não é minha surpresa: o mesmo celular está por R$ 1275 à vista!!!”

Segundo a internauta, a loja entrou em contato com ela para explicar a alta de preço – dando a mesma justificativa que foi enviada à reportagem do Estado. “A ouvidoria do Submarino entrou em contato comigo alegando que o produto no qual dei print não vai entrar na Black Friday e que eles negociam descontos com o fabricante dos produtos e por isso o preço oscila. Até aí ok, mas então por que o ‘preço real’ do produto mudou também? No primeiro print estava ‘De R$ 998 por xxx’ e no segundo print está ‘De R$ 1699 por xxx’. Entendo os descontos oscilarem por dia, mas quer dizer que o valor do produto altera dependendo do dia também?”, pergunta a consumidora.

O leitor Francisco Ferreira também deixou sua queixa no Facebook do Estadão: “A TV Sony KDL-60R555A na Americanas.com estava no começo da semana R$ 5.400. Hoje já está por R$7.000″, comenta. A Americanas novamente afirmou que o produto não fará parte das promoções da Black Friday- que terão uma marcação específica.

Já a leitora Ana Carol Canabarra relata que o Walmart aumentou há cerca de três dias o preço da máquina de lavar e secar de 8,5 kg prata da LG. “De R$ 2.400 passou para R$ 2.900, destoando do mercado. Detalhe: Eles têm, geralmente, um preço competitivo”.

Daniela Lago Miranda, por sua vez, relatou também no facebook do Estadão que está em busca de um jogo para o videogame Wii. “Ontem pesquisei nas Lojas Americanas e ele custava R$ 269, hoje estava por R$ 329″

Procurados pelo Estado, Walmart e Ponto Frio ainda não se manifestaram sobre as reclamações.

Fonte: http://blogs.estadao.com.br/no-azul/2013/11/28/black-fraude-esta-de-volta-dizem-internautas/

Comento:

A Black Friday é um fenômeno intrissecamente ligado a cultura americana e a sua predileção ao capitalismo real. As lojas lá resolvem queimar os estoques perto do Dia de Ação de Graças para comprar os produtos que venderão no Natal. Aqui no Brasil não existe o Dia de Ação de Graças. Somos um povinho de mal agradecidos mesmo, mas até ai tudo bem. O que faz a Black Friday não dar certo aqui é o fato de não  sermos um país realmente aberto economicamente. Com impostos asfixiante, direitos trabalhistas infindos e uma burocracia soviética fica impossível para os varejistas abaixarem os preços brutalmente. Daí eles aumentam dias antes e depois dão um descontinho pra enganar os trouxas.

Anúncios