Que deprimente! Por mais que eu seja um ferrenho defensor da liberdade religiosa, é impossível não abominar uma situação como essa, provocada pelo puro fanatismo religioso. Seria uma inocência da minha parte dizer que isso foi provocado pela “religião” em sentido genérico. Não. Isso foi motivado por um tipo de fenômeno específico e crescente no nosso país, que é o fanatismo evangélico, tipificado pela arrogância, pelo preconceito, pela ignorância e pela ambição.

No caso em questão, por que a menina foi orar logo antes do ENEM? Será que ela achou que só porque estava orando ia poder entrar depois de todo mundo? Será que ela sentiu que deus a estava chamando para orar naquele momento? Se de fato ela achava que foi deus que a fez orar, então porque ela ficou tão descontrolada? Tudo se resume numa só palavra: imaturidade.

Anúncios