‘Santa’, cubana chega a SP para Mais Médicos e chora em recepção


Uma das médicas cubanas que trabalhará no Programa Mais Médicos do governo federal chegou à cidade de Embu-Guaçu, na Grande São Paulo, e foi recepcionada nesta sexta-feira por cerca de 50 pessoas em um restaurante do município. Santa Ester Covas Gonzales foi recebida com um café da manhã completo e chegou a chorar no momento de seu breve discurso. Bastante tímida, a cubana evitou falar a respeito das polêmicas em torno do programa, como, por exemplo, a questão salarial.

Além de Santa Ester, como já ficou conhecida pelos que participaram da recepção, outros dois médicos cubanos trabalharão no Estado de São Paulo: um deles em Pedreira e o outro em Santo Antonio da Posse, interior paulista.

Entre os que participaram do café da manhã, estavam o prefeito de Embu-Guaçu, Clodoaldo Leite da Silva, o secretário da Saúde, Ronaldo Bueno, funcionários da prefeitura e até padres. Aos párocos, a médica fez um pedido e acabou se emocionando. “Estou agradecida demais. Não esperava todas essas pessoas aqui. Quero agradecer ao povo brasileiro. Meu nome é Santa. Padres, cuidem de mim”, disse a cubana, aplaudida e interrompida pelo choro.

Santa Ester chegou ao Brasil no dia 21 de agosto e ficou em Brasília por cerca de 20 dias, onde estudou e se informou sobre o programa do governo federal. Depois da estada na capital da República, a médica esteve em São Paulo por três dias para, depois, chegar a Embu-Guaçu. Ela trabalhará na Unidade Básica de Saúde Paulo Maneta, no bairro Cipó.

Formada há 26 anos, Santa Ester é da capital cubana de Havana, onde estudou e se especializou em medicina integral geral e se tornou mestre em reabilitação e pediatria. “Posso ajudar em muitas coisas”, disse a cubana. Além disso, a médica passou por algumas missões na Venezuela e no Paquistão – ela trabalhou com vítimas do terremoto que devastou o país asiático em 2005.

“Foi muito difícil (no Paquistão). Ajudei muitas pessoas. Foi uma experiência muito boa para a formação de qualquer médico. Trabalhei com médicos de vários países”, disse a cubana.

Apesar de já estar pronta para trabalhar, Santa Ester terá que esperar o registro do Conselho Regional de Medicina (CRM). Enquanto isso, ela continuará se informando sobre a saúde no território brasileiro. “Estou estudando os programas de saúde, a secretaria municipal de saúde está me ajudando a conhecer as medicações, as leis etc. Minhas mãos e minha vontade estão à disposição.”

A médica cubana fez questão de elogiar o Mais Médicos e a oportunidade de trabalhar no Brasil. “É uma experiência maravilhosa, muito boa. Estou muito feliz por participar do Programa Mais Médicos. Quero agradecer a muitas pessoas, principalmente à presidente Dilma Rousseff e à secretaria municipal de saúde de Embu-Guaçu.”

O prefeito da cidade paulista também agradeceu ao governo federal e disse que ainda espera outros 13 médicos do programa para trabalhar em Embu-Guaçu. “Quero me solidarizar com o Padilha (Alexandre, ministro da Saúde) porque pela primeira vez existe um debate em cima da saúde no País. Temos o benefício da discussão sobre o maior problema do Brasil. Sou 100% favorável à vinda dos estrangeiros, sejam de onde for. Importamos todos os profissionais. Por que só não se importam médicos?”, questionou Clodoaldo da Silva.

Ele disse ainda que a cidade necessita de mais médicos, assim como todo o País, e que a saúde em Embu-Guaçu é precária. “A situação da saúde no município é precária, ainda mais nós, que estamos distantes de São Paulo. Os médicos preferem trabalhar mais próximos de suas casas, então temos dificuldades de trazer médicos. Mesmo assim, aqueles que estão aqui chegam atrasados, têm que sair mais cedo, pois os horários não batem”, afirmou.

O secretário de Saúde Ronaldo Bueno também comemorou a chegada da médica à cidade da Grande São Paulo e disse que a administração municipal fará de tudo para que o Mais Médicos dê certo. “É preciso levar médicos até a população. Acredito muito no programa, gostaria muito que desse certo e estou empenhado para isso. O que o município precisar, estamos dispostos a fazer. Estamos acomodando ela no município. Ela tem dificuldade de comunicação, mas é tímida, está distante da família, mas com o tempo isso será superado”, disse Bueno.

Santa Ester está hospedada em um hotel em Embu-Guaçu, mas a prefeitura está procurando uma casa para alugar, de preferência que seja perto da UBS onde a cubana irá trabalhar.

 

Comento

Eles podem ser maus médicos, mas são excelentes cabos eleitorais.

Um comentário

  1. Cuba deve ter médicos de sobra pra ficar mandado-os aos montes aqui pro Brasil, conheci duas médicas que irão atuar na nossa cidade, bom quase não entendo direito oque elas falam, o Dr. Leandro era meio chato como pessoa (mas até que é um ótimo profissional), mas ao menos tentava escrever com letras de forma quando alguém lhe pedia, agora ficou um pouco mais difícil pra saber oque elas escrevem naqueles receituários médicos e repassa-los para os farmacêuticos.

    Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s