(Estado de SP, 25)

1. Comprar o tablet da Apple no Brasil significa comprar o segundo iPad mais caro do mundo, segundo levantamento da corretora australiana CommSec. No País, o aparelho mais recente (quarta geração) custa, em média, US$ 791,40 (ou R$ 1.741), na versão Wi-Fi de 16 gigabytes (GB). O valor só é inferior ao da Argentina, onde o dispositivo custa US$ 1.094.

2. O ranking, chamado pela CommSec de Índice iPad, listou os preços cobrados em 46 países. O economista-chefe da corretora, Craig James, diz em vídeo divulgado no YouTube que o índices têm como base a noção da paridade do poder de compra, segundo o qual o câmbio pode ser ajustado para que um bem tenha o mesmo preço em países diferentes.

3. O valor do aparelho no Brasil é 58,6% superior ao adotado nos Estados Unidos e informado no site da Apple (US$ 499, sem taxas). Lá, o preço pode variar conforme os impostos cobrados por cada Estado. O iPad só é vendido abaixo de US$499 em dois países: Canadá e Malásia. Entre as regiões em que o tablet pode ser comprado com pouco mais de cinco notas de cem dólares estão Hong Kong, Japão, Austrália e Índia.

Comento

Um país que só perde oportunidade como o Brasil só pode sofrer desses problemas. Temos um dos big macs mais caros do mundo. Nossa indústria agoniza enquanto nos tornamos recordistas em exportação de commodities. Muitas das nossas indústrias não conseguem competir com a China e acabam fechando as portas. A saída encontrada é elevar os encargos tributários nas importações. Além disso, nossa baixíssima infraestrutura e os altos encargos trabalhistas ajudam a tornar do Ipad um item destinado somente a elite.

 

Anúncios