O voto favorável aos embargos por parte do ministro Celso de Mello jogou uma ducha de água fria naqueles (que diferente de mim) ainda tinham alguma esperança que era possível fazer justiça nesse país.

Como esse assunto me gera demasiado asco nem vou me alongar muito, mas vou apontar algumas consequências:

1- As penas dos mensaleiros serão diminuidas e muitos deles jamais serão presos. No máximo poderão cumprir suas levíssimas penas no regime semi-aberto.

2- Provavelmente os mensaleiros serão inocentados do crime de formação de quadrilha.

3- Poderá haver embargos infrigentes dos embargos infrigentes, ou seja, esse julgamento pode demorar hein…

4- Como a Dilma escolheu 2 novos ministros (Barroso e Zavasky, dois juízes apegados a nossa lei, tão favorável a bandidagem), bem provavelmente haverá mudança no resultado de sentenças.

5- Cria-se um precedente a favor da impunidade.

6- Pelo menos não há chance de prescrição dos crimes.

7- Abre-se caminho para dois tipos de prescrição de crimes. A primeira hipótese seria em decorrência de uma redução das penas de formação de quadrilha. A segunda, um julgamento superior a oito anos — o que não é descartado por especialistas

8- Os poderosos jamais serão presos nesse país, e mesmo quando condenados, sempre acham uma brecha na lei para salvá-los. Esse episódio mostra como a impunidade é regra nesse país. Justiça que tarda é justiça que falha.

 

Anúncios