LGBTABCD…XYZ

Antigamente o movimento gay era simbolizado pela sigla GLS, hoje a sigla é LGBTT. O último T é de transgêneros e surgiu para englobar transexuais e travestis. E, cá entre nós, prestou só um desserviço, pois todo mundo acha que os travesti e transex é a mesma coisa. Como as pessoas normais não precisam saber a distinção, muitos morrem sem ter a mínima ideia do que seja ambas as coisas.

Pilares da sexualidade

Segundo o Dr. Cláudio Picazio, sexólogo, que conseguiu isolar os 4 pilares da sexualidade humana e explicar como que esses pilares se combinam, formando as mais diferentes variações de gênero, identidades, papéis e orientações sexuais.

1-Gênero é o seu sexo biológico. É o que o médico vê quando você nasce. Biluzinho ou potoquinha. São dois: Homem e Mulher.

2-Orientação Sexual tem a ver com desejo, com atração. Com quem você quer ir pra cama? Com alguém do seu sexo? Com alguém do sexo oposto? Tanto faz? São três, respectivamente: Homossexual, Heterossexual e Bissexual.

3-Papel Sexual tem a ver com comportamento. Você é mais masculino ou mais feminino? Uma mulher caminhoneira está num papel masculino. Um homem que pinta as unhas está num papel feminino. Note que Papel Sexual não tem nada a ver a com Orientação Sexual – ou seja, um homem efeminado ou uma mulher masculinizada não necessariamente são homossexuais. Assim como um cara todo machinho não é necessariamente hetero. Papéis sexuais são grande fonte de discriminação, uma vez que é exatamente como a sociedade percebe você. E se esse papel não está em acordo com o que se espera do seu Gênero, o povo se escandaliza.

4-  Identidade Sexual. E é exatamente ele o responsável pelos travestis e transexuais. Identidade Sexual é como você se percebe. Alguns chamam de sexo cerebral. Na sua cabeça, você acha que é o que? Homem ou Mulher? Um menino hetero típico tem gênero masculino, papel masculino, orientação heterossexual e identidade é masculina. Ponto. Mas um e-jovem típico, enrustido, tem gênero masculino, papel masculino, orientação homossexual e uma identidade também masculina. Ele não quer ser mulher, ele só curte outros garotos. A única diferença entre um menino gay e um hetero é sua orientação sexual. E o mesmo vale pras meninas hetero e lésbicas e entre todos estes e os bissexuais.

Apesar de parecidos, existe uma coisa que faz toda a diferença.

Transexuais

O transexual nasceu homem, mas não se sente como tal, adotando roupas do sexo oposto, consumindo hormônios e logo se decide pela cirurgia de mudança de sexo.  No caso das transexuais, porém, a identidade sexual não está de acordo com o seu sexo biológico. Independente do gênero (podem nascer homens ou mulheres), papel (tem os mais masculinos até os bem efeminados) e orientação (existem transexuais hetero e transexuais homo), o que define o transexual é que seu corpo é de um sexo, mas seu cérebro é de outro. São mulheres presas num corpo de homem, ou vice versa.

Travestis

O travesti, ainda que ele tenha o mesmo desejo e invista em roupas e hormônios femininos, tal qual o transexual, mantém o órgão genital masculino. Não se sabe ainda como, nem por quê, mas os travestis não tem uma identidade só, masculina ou feminina. Eles têm as duas. Eles se sentem homem e mulher, os dois conceitos se misturando dentro deles como ingredientes num liquidificador. Ora eles se sentem mais femininos, ora mais masculinos, mas ambas estão sempre presentes e eles não têm o desejo de anular nenhum dos dois lados. Infelizmente, seus corpos nascem com apenas um sexo – homens ou mulheres. O que eles fazem então? Adaptam o seu corpo para alcançar, o máximo possível, essa outra metade da essência deles que veio faltando. Os que nascem homens, a maioria, querem por peitos e quadril, etc. Mas não cortam o pau fora.

Resumindo, se não quer operar é travesti, caso queira operar é transexual.

Cher, diva de muitas drags.

Drag Queen

Drag queen e drag king são pessoas que se mascaram como sendo do sexo oposto, fantasiando-se com o intuito geralmente profissional de fazer shows e apresentações, na maioria das vezes em boates e bares GLBTT, de cujo movimento fazem parte. Muitos fazem também o trabalho profissional levando correio elegante. Chama-se drag queen o homem que se veste com roupas de mulher, e drag king a mulher que se veste como homem. São conhecidos pelos seus exageros no vestir, nos modos, na maquiagem e pelo estilo cômico de se apresentar.

Tranformistas

Transformistas ou Crossdressers são pessoas que vestem roupas usualmente próprias do sexo oposto, sem que tal atitude interfira necessariamente em sua orientação sexual. Ou seja, uma pessoa crossdresser não necessariamente pautará sua orientação ou seu papel sexual em função desse seu fetiche por roupas do sexo oposto. Sendo assim, ele(a) pode ser heterossexual, homossexual ou bissexual.

Como trocar de sexo?

Segundo especialistas, transexuais que não recorrem a cirurgia de troca de sexo correm sérios riscos, como “intenso sofrimento e possibilidade de auto-mutilação e até de suicídio”. Muitos transexuais vinham conseguindo na Justiça o direito de trocar sexo e nome em seus documentos. Por isso o governo brasileiro tentou instituir uma portaria para que os transexes possam fazer a cirurgia gratuitamente pelo SUS, no entanto, devido a polêmica a portaria foi anulada. Muita gente estranhou o fato de que um homossexual, com seus próprios recursos, não poder recorrer a um psicólogo para reverter sua orientação; porém, se a portaria do governo entrasse em vigor, transgêneros fariam a operação de troca de sexo com dinheiro público.

Todo travesti é homossexual?

Não, ai entra a polêmica. Identidade de gênero não tem necessariamente a ver com orientação sexual, são coisas diferentes e qualquer combinação é possível. Muitos transgêneros são bissexuais ou sentem atração pelo sexo oposto. É o caso de Lou (lésbica) e Gabi (travesti), bem como o de Martine (ex-Martin) Rothblatt (transexual) e sua esposa Bina (que já era casada com Martin antes da cirurgia e continuou casada com Martine depois). É por isso que existe tanta resistência a permissão de transexuais masculinos poderem usar os mesmos banheiros e vestiários de mulheres.

E você, se descobrisse que se apaixonou por um transgênero, assumiria o romance ou deixaria o preconceito falar mais alto?(rss)
Fonte(s):

E-jovem
passageirodomundo

Anúncios