Aborto: o que nós perdemos e o que eles ganham?


4c78e-aborto2

Justicativas
É mais que desnecessário dizer que o aborto é um atentado à vida, por mais que se procure justificar sua prática, nenhum de seus defensores arrisca a sofrer na pele aquilo que acha justo que os fetos sofram. As argumentações abortistas a 1ª vista parecem válidas, porém jamais tirarão o caráter criminoso do ato, que não passa pelo crivo do “não faça com os outros aquilo que não quer que façam com você”.

Fetofobia
Infelizmente, há uma epidemia ideológica (fetofobia), em todos os países na busca de justificativas para descriminalizar esta prática, com os mais subjetivos argumentos. No fundo o que se busca é o pansexualismo, os chamados direitos sexuais, o sexo fácil, ideologias do gênero, promovidos por órgãos da ONU, formando uma mentalidade distorcida, oferecendo condições de se viver uma vida sem regras éticas. Para tal feito, a esquerda e a mídia tem tido sucesso em conseguir tratar os fetos como coisas, indignos de vida ou direitos, descartáveis, não-humanos. Alguns políticos, como o deputado Marcelo Freixo, chegam a usar o termo hominização dos fetos para dizer que tais seres não seriam seres humanos.

Sexo irresponsável
Veja bem, o sexo deve ser livre, o que ele não pode ser é irresponsável. A prática sexual é um meio para se perpetuar a espécie, mas jamais um fim em si mesmo. Todos os seres vivos o praticam, mas com a responsabilidade de se auto perpetuar. O ser humano (o único) encontrou, nesta prática, muito mais por um prazer lúdico do que a responsabilidade natural. O que está em jogo é a divinização do sexo pelo sexo, um ato ao qual todos teriam “direito”. Para aumentar tal direito o Estado deveria legalizar o aborto, para que as pessoas tivessem uma preocupação a menos na hora de se promiscuirem.

Pirâmide financeira

Existe uma forma simples de acabar com a economia de um país: destruindo sua previdência. Como o povo envelhece é necessário que jovens entrem no mercado do trabalho para pagarem os benefícios dos aposentados. Esse sistema previdenciário aos moldes de uma pirâmide financeira (onde quem entra paga por quem já trabalhou, sem ter a certeza que alguém entrará no futuro para pagar pelos benefícios dele) é um prato cheio para um desastre. Nos EUA 12% da população é aposentada e custa 6% do PIB do país, já o Brasil gasta 12% do PIB com apenas 6% de aposentados.

Redução de Natalidade
Diante deste quadro, como promover o aumento da promiscuidade e diminuir a natalidade ao mesmo tempo? Aborto! Logo eufemismos surgem como o “aborto seguro”. Assim, existe uma grande oportunidade capitalista, através das clínicas e produtos correlatos. Se cada aborto custa, no mínimo 300 dólares(são feito 1 milhão por ano), calcule quanto lucraria a indústria da morte se tal prática fosse legalizada? Que tipo de poder e de lobby teriam no Congresso? Sabendo que cada parte do corpo do feto custa mais de 100 dólares cada, quanto essa indústria movimentaria?

preços do procedimentos abortivos e custo das partes do feto para venda.

Políticos

É claro, fundações internacionais continuam financiando o movimento abortista, talvez interessados nos lucros ou apenas na redução da natalidade. Enquanto isso, legisladores de esquerda e juízes politicamente corretos insistem em defender essa prática (que é tão vil quanto lucrativa), mesmo contra a vontade do povo.

 

Anúncios

13 thoughts on “Aborto: o que nós perdemos e o que eles ganham?

  1. Pessoalmente sou a favor apenas em casos de risco de vida para a mãe ,em casos de estupro ou em caso de bebês com anencefalia,ou seja ,estou de acordo com a lei brasileira,fora isso sou totalmente contra o aborto.Primeiro,antes a vida da mãe do que a do bebê,pois caso contrário,quem irá cuidar da criança?Segundo,não tem coisa pior que você saber que é fruto de um estuprador,as consequências psicológicas são sérias,é uma sequela que a pessoa irá ter para o resto da vida; e terceiro porque viver ou ter um filho com má formação do encéfalo é triste e deprimente.

    Curtir

  2. Existem outros tantos argumentos que poderiam ter sido utilizados ai, mas só vi conveniencias. Se voce fosse mulher e sofresse violencia sexual e engravidasse? Teria mais abandonaria a criança num orfanato? E o que dizer sobre a defesa do feto e ignorar as crianças que eles se tornam, passando fome, pedindo dinheiro no sinal sendo totalmente ignoradas? Por que é mais fácil castrar um cachorro que uma mulher conseguir uma laqueadura? Porque uma mulher deve se submeter a uma laqueadura e um homem não pode nem ouvir a palavra vasectomia? Isso é ser pro feto não pro vida. Esse post é uma expressão da opnião pessoal de quem o escreveu e não expoe a realidade como é. Eu não concordo com o aborto por irresponsabilidade de ambos os parceiros, mas nem por isso vou esquecer de que há outras premissas nesse contexto. O que dizer de uma criança de 11 anos que é estuprada repetidamente por um tio até engravidar?
    E porque só as mulheres são cobradas por isso?
    Já parou pra pensar que o aborto só existe pq também teve a participação de um homem ou os fetos são feitos com o dedo? (nem que fosse só durante uma gozada)
    Pq os homens não são cobrados por isso?
    Quando os homens não se sentem a vontade abandonam a mulher gravida os filhos e tudo bem! No máximo uma pensãozinha.
    Eu estou gravida e antes de estar gravida eu era uma pró feto desmiolada que saia rasgando pano pra quem abortava, e hoje estando gravida mesmo do meu marido que me apoia e é um bom homem consigo entender os motivos que levam uma mulher a abortar. É algo que só quem tem um utero sabe.
    Pra mudar a realidade do aborto deve-se mudar os homens não encher a cabeça das mulheres de mais culpas e cobranças além das que já carregamos.
    Não sou a favor de machismo ou de feminismo, mas de equilibrio e igualdade. Eu não desejaria pra nenhum homem a angustia e o drama que passa uma mulher gravida sozinha abandonada pelo marido, namorado etc, não desejaria pro meu pior inimigo o terror de ser estuprada por um parente contar e não acreditarem ser ameaçada e julgada de culpada por ser estuprada.
    Homens que desejam que não haja aborto criem um mundo sem fome, violencia sexual, machismo estupido, protejam suas mulheres e não as abandone, instinto maternal não é só cuidar de um bebê, mas até impedir que ele nasça sob circunstancias criticas. ou vocês nunca ouviram falar do caso de femeas que matam seus filhotes quando não há condição de criá-los? E é por que são animais, diferente de nós que nos julgamos superiores e temos inumeros recursos para ajudar uns aos outros. Desculpe o desabafo.

    Curtir

  3. Cara Fernanda, obrigada pelo comentário.

    1- Vivemos num país machista. Isso é um fato. Mas, ao meu ver, um país cada vez menos machista, onde cada vez mais as mulheres alcançam seu espaço. No entanto, não é fazendo uso do feminismo inflamado que esse quadro irá melhorar, muito pelo contrário. Reparei que você usou uma argumentação muito emocional, do tipo HOMENS X MULHERES. A realidade é muito mais complexa do que isso e envolve muitos outros fatores que não podem ser enxergados pela ótica do coitadismo.

    2- É evidente que o aborto é um ato imoral, porém creio que ele possa ser justificável em alguns casos, tendo você pontuado alguns. Apesar disso, reenfatizo: em alguns casos. Exceções não podem virar regra.

    3- Creio que o planejamento familiar seja a melhor saída para esse problema, posto que reduziria tanto o número de abortos ilegais como o número de gravidezes indesejadas.

    4- Desculpe-me, somos humanos. Não é concebível para nós assassinar a nossa prole. É isso que nos diferencia dos animais.

    5- Talvez eu não tenha me expressado suficientemente claro nesse ponto. Na minha visão, a vida da gestante vale mais que a do feto, tanto que em caso de perigo de vida desta o aborto deve ser feito. No entanto não vejo a vida do feto como algo descartável. Não considero esse ponto de vista como pró-feto e sim como pró-bom senso.

    DEUS ABENÇOE SUA GESTAÇÃO!

    Curtir

  4. Críticos da criminalização do aborto afirmam que é melhor matar o feto do que encher os orfanatos de crianças sem ter quem cuide e que isso aumentaria a criminalidade. Isso significa que é justo tirar a vida de um bebê que ainda nem nasceu porque ele poderá no futuro se tornar um criminoso? É justo aplicar pena de morte às vítimas de uma sociedade que não proporciona uma boa educação e condição social para que o indivíduo cresça com a consciência da ética e das leis que evitam o estado natural de conflito? É justo condenar à morte quem ainda não cometeu nenhum crime para que mereça ser penalizado?

    Curtir

  5. Abortistas são animais hedonistas, portanto devem ser tratados por qualquer ser humano com o mínimo de bom senso e o mínimo de ética como animais hedonistas.

    Curtir

  6. Se a mulher não quer ter o filho, não engravide. Se engravidou e não quer cuidar do filho, doe para um orfanato ou para uma igreja, mas não mate o seu próprio filho.

    Mães que não possuem cuidado ou não possuem recursos para cuidar de seu filho possuem total liberdade de doá-los para outras pessoas ou instituições criarem.
    Algumas tentam abandonar os bebês nos lixos para não passarem vergonha ao chegar nesses locais. Algo meio ilógico, mas infelizmente ocorre.

    Em uma escala de desgraças, é melhor um ser humano passar fome, não ter as duas pernas, ser cego, ter o cérebro incompleto, do que que ser morto.
    A vida humana é o bem mais supremo que existe.

    Curtir

  7. A questão do aborto é muito mais complexa que podemos imaginar.Acredito que deve sim ,haver abortos em casos de violência sexual,porém,o sistema do nosso país não está preparado para lidar com nenhuma questão polemica ou anti-convencional,vivemos em uma sociedade onde tudo se torna banal e tolerável,onde os meios se tornam extremos criando assim uma falsa idealização de mundo.Os jovens são puramente irresponsáveis (não estou generalizando),por este motivo vemos tantas adolescentes grávidas e com certeza essas adolescentes optam por abortarem para assim,retornarem a sua “antiga vida”.Vocês não acham que se o aborto for legalizado de fato,ele irá se tornar algo banal?(quero dizer as pessoas iram perder o bom senso de usar a camisinha,pois muitos não estão nem preocupados com as famosas DSTs, mais sim, se irão ter ou não bebês).
    PS:Estou lendo blog pela primeira vez e me pergunto da aonde você tira criatividade para escrever seus textos?Eu tenho um blog e muita preguiça e acredito que não escrevo muito bem pois não tenho seguidores nele :p
    http://www.diversidadenosdiferencia.blospost.com

    Curtir

  8. O texto seria melhor se o foco fosse no aspecto moral da coisa, mas cria teorias e um ar puritano.

    ”Infelizmente, há uma epidemia ideológica (fetofobia), em todos os países na busca de justificativas para descriminalizar esta prática, com os mais subjetivos argumentos. No fundo o que se busca é o pansexualismo, os chamados direitos sexuais, o sexo fácil, ideologias do gênero, promovidos por órgãos da ONU, formando uma mentalidade distorcida, oferecendo condições de se viver uma vida sem regras éticas”

    Isso ficou bem sem noção. Qual a relação de aborto com pansexualismo, que nem sequer é promovido(fui saber o que era isso agora) e ideologia de genero?

    ”Veja bem, o sexo deve ser livre, o que ele não pode ser é irresponsável. A prática sexual é um meio para se perpetuar a espécie, mas jamais um fim em si mesmo. Todos os seres vivos o praticam, mas com a responsabilidade de se auto perpetuar. O ser humano (o único) encontrou, nesta prática, muito mais por um prazer lúdico do que a responsabilidade natural. O que está em jogo é a divinização do sexo pelo sexo, um ato ao qual todos teriam “direito”. Para aumentar tal direito o Estado deveria legalizar o aborto, para que as pessoas tivessem uma preocupação a menos na hora de se promiscuirem.”

    A razão do sexo existir é sim para perpetuar a espécie, mas sua função não se resume nisso. E eu sei que o brasileiro é burro e irresponsável mas, deixar de usar camisinha sabendo que pode abortar é demais. Não acredito que isso vai acontecer.

    Curtir

  9. Prezada Antonella, obrigado pelo comentário. O aborto em si é um ato reprovável por todos os prismas. Quanto a legalização dessa prática, é um fato que ONG´s internacionais como a FORD e Rockfeller que financiam grupos apoiadores dessa legalização.

    Curtir

  10. Tiro minha criatividade de conversas que tenho. Quase todo post nasce de uma conversa de bar.

    Curtir

  11. a imagem de topo já fala tudo: Em todos os países do mundo em que o aborto é legalizado, só pode ser feito até 12 a 20 semanas de gravidez, quando o embrião ainda não é chamado de feto pois não tem condições de viver fora do útero (tampouco tem toda essa forma humana). Logo, uma imagem forte dessas jamais aconteceria… exceto em 1 país: os EUA (aposto meu carro que essa foto só pode ser de lá), pois, pasmem, nos states não há limites para idade gestacional do aborto, por isso o absurdo da foto. Os americanos, tão adiantados em quase tudo são tão bárbaros nesse aspecto (e na política externa tbm). Pela forma e tamanho é quase certo que esse feto estava pronto para nascer, já tinha entre 37 e 40 semanas de gestação

    Curtir

  12. vish, meu comentario nao apareceu?

    Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close