Comentário da semana: Graças a deus não sou branco


ScreenShot002
ACID BLACK NERD JÁ ESTÁ EM SEGUNDO LUGAR NO RANKING DO WORDPRESS. RUMO AO TOPO! http://botd.wordpress.com/?lang=pt-br

Casuísmos

Muitas vezes agradeço a deus pelo fato de não ser branco, de ter sido criado na periferia e de nunca ter sido rico. Motivo? Caso eu fosse branco seria muito mais difícil para mim defender, por exemplo, o fim das políticas de cotas. Os oportunistas logo diriam: “Ah, é muito fácil para você ser contra as cotas, você é loiro, quero ver se fosse negro se teria a mesma opinião. De igual forma também diram: “Ah, é muito fácil você ser a favor do livre mercado quando você nasceu rico, quero ver se fosse pobre…”. De certa forma, num debate, uma pessoa com os mesmos ideais que tenho, só que branca e rica, teria muitas dificuldade de não cair nas armadilhas da desonestidade intelectual.

Racismo coitadista

O que mais me surpreende é o fato de alguém achar que tem mais moral que outros para falar de algum assunto apenas pelo fato de possuir uma certa cor de pele. Na minha opinião, pouco importa a cor da pessoa ou seu “social background”, o que importa é o peso de seus argumentos.

Comentário da semana 1

O primeiro comentário da semana pertence a alguém que, ou não leu o texto ou simplesmente é mais um analfa funcional. O post é 10 motivos para ser contra as cotas raciais.
17/08/2013 @ 22:04  

Então, seja coerente, larga a mão de pensar só no seu umbigo, pelo jeito que você pensa duvido que já foi em um albergue, ou em uma favela, a questão é que quase a metade da população é parda ou negra, e somente 4 a 5 % conseguem entrar em universidades públicas, ou seja sem as cotas seria quase impossível essa população conseguir ingressar no ensino superior, até poderia acabar com as cotas se a educação pública fosse de qualidade ( porque a maior parte dos negros estudam em escola publica, no ensino médio). E negros não tem as mesmas oportunidades que os brancos de um rolé na faculdade de medicina da USP, você não achará nenhum negro lá, a não ser os seguranças, isso quer dizer que os lugares hierárquicos mais altos ainda não foram assumido pelos negros, nos EUA por exemplo se não houvesse racismo não iria demorar tanto para um negro ser presidente, e o que você me diz do apartheid ? Você pode dizer que não há raças, mas não é isso que vivenciamos diariamente, todos os negros já foram descriminados um dia, por mais que você não veja ainda á uma parede invisível que cobre a visão da sociedade. Pode sim um negro rico, ultrapassar um pobre, seus argumentos me convenceriam se você postasse uma relação de negros ricos no Brasil, talvez não passaria de 4 %, ou seja a concorrência deles nem se compara com os mais favorecidos. Achei seus argumentos sem consciência, mas te indico dar uma passeada em uma favela converse com um mendigo e veja como o país trata “Todos quer são humanos”. Outra sugestão é que você assista esse documentário talvez lhe ajude a refletir .http://www.youtube.com/watch?façajabáemoutrolugar (claro se você tiver coragem de assistir até o final)

Resposta
ACid BLaCK NeRD
18/08/2013 @ 1:35 

Cara Jessica, obrigado pelo comentário.

1- Já morei um ano num albergue em SP e hoje moro num apartamento em frente a uma favela. Não me julgue sem me conhecer, isso é coisa de hipócrita.

2- Tenho parentes favelados,brancos e negros. Pouco me importa a cor da pele deles. Não é a cor o motivo da pobreza, mas todo um sistema socioeconômico que começa no péssimo ensino de base.

3- É essa noção racista de que existe brancos e negros é que perpetua o racismo. Todos somos iguais.

4- Estudei no ensino público e passei para uma universidade pública. Tive cotas? Não. Sou branco? Não. Sou rico? Não. Me esforcei? MUITO. Sendo assim, meu exemplo pessoal é a prova de que é possível vencer as adversidades da vida através do trabalho. É muito mais fácil culpar os outros(no caso, “os brancos”), difícil é perseguir seus sonhos e agarrar as oportunidades.

5- Como estudei na primeira universidade a implementar essa loucura que é o sistema de cotas raciais, pude viver as consequências dessa medida. Mais da metade das vagas para cotistas não é preenchida porque eles não conseguem a nota mínima, que é 2. Logo, muitos estudantes bons ficam sem vaga para que alunos sem base entrem na universidade. Só gostaria de lembrar que esses estudantes ganham uma bolsa em dinheiro do governo e que muitas vezes têm mitas dificuldades para acompanhar o ritmo, principalmente no início do curso.

6- A solução do Brasil não é cota para isso ou para aquilo. Isso é uma medida paleativa. A solução é melhorar o ensino de base, para todos, tanto para brancos como para os negros. Uma reforma educacional é a única coisa que pode fazer com que o filho de um pobre tenha chances de competir com um rico. Mas é claro, os políticos preferem que as cotas do que uma reforma. Alienar é sempre melhor.

7- Não existem negros fazendo medicina na USP? Qual o problema? Eles tiveram igual chance ao ingresso através do vestibular, correto? Então não me venha com coitadismo. O que faz com que pessoas de cor não ascendam socialmente é a precariedade do ensino de base. Ao invés de estarmos discutindo cotas, deveríamos estar dissertando sobre uma reforma educacional que colocasse o filho pobre(tanto o branco como negro) com chances de competir com o filho do rico.

8- E por último, o Apartheid era um absurdo pelo simples fato de separar pessoas pela cor de suas peles, assim como acontece no sistema de cotas raciais.

Abraços.

Cotas “raciais” não. Cotas sociais sim! Um negro de classe média não precisa mais de uma cota do que um branco pobre.

Comentário da semana 2

O segundo comentário dessa semana é o típico comentário que geralmente eu não publico aqui, pois só fala besteira e ainda vem me xingar. É típico de defensores do sistemas de cotas agredirem seus adversários, uma vez que seus argumentos são sempre fraquíssimos e todos apoiados no coitadismo. Como vocês verão abaixo, a desonestidade intelectual deve ser combatida com fatos, não xingamentos.

18/08/2013 @ 0:29 
somente idiota p falar q todo povo brasileiro e descedente de africano….vai estudar mais seu lixo….p sua informacao na decada passada. teve pesqiisa genetica confirmando q quase metade das pessoas de cor parda sao.mamelucas (indio com branco).
onde ja viu falar q mameluco e africano seu imbecil e outra coisa nao ha nada q comprove q.todos os.brasileiros sao afrodescedentes…eu tenho descedencia japonesa e europeia…

Resposta
ACid BLaCK NeRD
18/08/2013 @ 0:49 [Editar]

0- Colega, em nenhum momento eu disse que mameluco é africano. Você deve ter tirado isso da sua fértil imaginação. Releia o texto e veja a besteira que você escreveu. O nome disso que você fez é tática do espantalho. Típico de gente burra. Refutam algo que você não disse e depois acham que venceram a discussão.
1- Caro Alisson, obrigado pela educação (típica de quem defende cotas). Aliás, cadê essa pesquisa que você disse que existe? Ela existe mesmo ou a fonte é a sua imaginação?

2- Quanto ao perfil da ancestralidade genomica brasileira, essa é a realidade:

Um exemplo: 97% dos brancos brasileiros têm ancestrais europeus pelo lado da linhagem paterna. Nesse mesmo grupo, as linhagens maternas se abrem numa árvore de três ramos: 39% são européias, 33% ameríndias e 28% africanas. Ao todo, 61% dos brasileiros brancos têm herança indígena ou africana em seu patrimônio genético, sempre pelo lado materno.

Fonte: http://veja.abril.com.br/201200/p_102.html

http://veja.abril.com.br/201200/p_109.html

http://www1.folha.uol.com.br/folha/bbc/ult272u300314.shtml

http://comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=8&id=51

3- Só porque seu pai ou mãe não são negros, não quer dizer que algum antepassado seu não seja negro. Por acaso você estudou toda a sua árvore genealógica? Cuidado para não ter supresas.

4- Chamar uma pessoa de imbecil e de lixo é uma excelente amostra daquilo que você defende. Vocês sempre apelam para a ignorância. É claro, não têm argumentos. Seu próprio comentário evidencia qual de nós dois é o verdadeiro lixo.

Abraços.

6 comentários

  1. odeio quáquer pessoa que e favor das cotas perdi uma vaga no cefet de RJ por causa de um cotista burro e vagabundo que só foi fazer a prova porque a mamãe pediu

    Curtir

    • Caro João, por favor, essa não é uma questão de ódio ou amor, e sim de coerência.

      1-Você não pode odiar alguém apenas por causa de uma ideologia. Devemos defender aquilo que pensamos com argumentos pragmáticos. Fixe seu ódio às cotas, não às pessoas que as defendem, pois muitas delas são cegas e nunca tiveram a chance de deixarem de ser manipuladas. Cotas é apenas mais uma medida paleativa que políticos usam para jogar a educação às traças.

      2-Além disso, cotas raciais só alimentam o racismo uma vez que elas tentam melhorar a vida dos negros pobres, mas não fazem nada com os brancos pobres. Logo podemos observar que o problema é a pobreza e não a cor do pobre.

      Curtir

  2. “Os negros merecem a cota, porque sofreram com a escravidão o que implica e muito na pobreza e nas periferias das grandes cidades”… Acredite, foi um professor que disse isso…

    Curtir

    • Caro Alexandre, obrigado pelo comentário.

      1- Se fosse uma questão de merecimento eu até poderia concordar com o seu professor. No entanto, não creio que alguém merece algo apenas pelo fato de ter nascido em determinada condição.

      2- Não sou contra as cotas, sou contra as cotas raciais porque já está comprovado que elas se constituem numa medida paleativa e demagógica que, na prática, não melhora a situação do grupo. Nos EUA, as cotas raciais já estão sendo retiradas. Na Califórnia e no Texas acabou as cotas. Resultado? O número de negros nas universidades aumentou. Resumindo, cotas são ineficazes.

      3- O racismo e a discriminação existem, mas não ocorrem por falta de cotas e sim por falta de educação de base. Se o nosso ensino fosse bom creio que as disparidades seriam menos. Porém, ainda que nosso ensino fosse ótimo, ainda asim haveria disparidade entre “raças”, posto que em nenhum lugar do mundo existe representatividade plena sem cotas. Veja bem, a própria perpetuação do conceito de branco e negro promovida pelo Estado já um instrumento forte em favor do racismo.

      4- Ainda que cotas criassem igualdade (não criam, prejudicam a coletividade e apenas envernizam o problema), elas não resolvem o problema: a pobreza e a precariedade da educação. Sinceramente, não consigo apoiar uma medida que beneficia claramente um negro pobre e não beneficia um branco pobre – vice-versa. O problema é a educação.

      5- É muito difícil não olhar para a situação dos brasileiros sem se perguntar qual o porquê? Seria o preconceito? Bem, poderíamos dizer que esse é um fator que pesa, mas todos sabemos que o racismo está diminuindo em intensidade e é cada vez menos aceito. Sendo assim, se houvesse uma correlação direta a situação da população negra iria gradativamente melhorar, o que não ocorre. Seria genético? Bem, o conceito de raças foi derrubado pela genética, logo sabemos que não há diferença de potencial entre pessoas de genótipos diferentes. Seria cultural?Hum, nos EUA eu afirmaria que sim, pois lá a cultura negra realmente está associada com fatores prejudiciais a eles, mas aqui a realidade é completamente diferente. Nossa sociedade não discrimina por cor mas sim por condição social. Não existe bairro negro e bairro branco no Brasil, o que há é bairro rico e bairro pobre.

      6- Enfim, eu apoiaria cotas raciais se houvesse um histórico no Brasil que proibisse o ingresso de negros nas universidades. O que de fato ocorre é que no Brasil há um sistema que impede o ingresso de pobres advindos do ensino público. Um negro rico consegue facilmente fazer faculdade, coisa que um negro ou um branco pobre não conseguem sem muitíssimo esforço.

      Portanto, as cotas sociais são muito mais coerentes e não alimentam acirramentos entre as pessoas.

      Abração! Volte sempre.

      Curtir

  3. Concordo plenamente com você quanto as cotas raciais, porém ainda não consegui me decidir quanto a qualidade das cotas sociais. As cotas são uma medida paleativa, não importando a cor de pele a qual ela favorece. Se uma pessoa que vem de uma escola horrível, acho óbvio que nao conseguirá acompanhar as aulas da faculdade. Porém, tenho conflitos emocionais que conflitam com minha linha de pensamento racional, não seria o dever moral das pessoas fornecer condiçoes iguais a todos?
    Obviamente que sim, mas isso nao sera conseguido atraves da admissao de alunos com nivel de estudo menor do que o minimo em faculdades. Os esforços deveriam estar concentrados em melhorar a qualidade do ensino de base (assim como vc disse) para que o sistema meritocratico no qual nossa sociedade se baseia sobre possa ser restaurado, pelo menos em parte.
    Qual sua opinião?
    Obrigado.

    Curtir

    • Cotas sempre diminuem a eficiência de qualquer sistema. No entanto, a educação pública não só deve tentar ser eficiente mas penso que ela tem um papel de tentar diminuir desigualdades sociais dando oportunidades a todos, nesse sentido vejo as cotas sociais de forma diferente

      Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s