Hoje a mídia americana esconde que Martin Luther King era um pastor. O motivo é puro preconceito contra religiosos. Mas existe algo que a mídia também esconde sobre Martin Luther King. Se sua vida como ativista político o tornou um personagem histórico, sua vida pessoal foi um mar de lama e imoralidade.

Muita gente vem escrevendo alguns exageros sobre a vida sexual de King. Abaixo os trechos de uma matéria:

“Reverendo” King: Pervertido Sexual e um Tirano

Um dos amigos íntimos de King, reverendo Ralph Abernathy admite em sua autobiografia que King tinha um “fraco por mulheres” e era viciado em relacionamentos extraconjugais.  

É amplamente conhecido que King foi um mulherengo adúltero. Sob as ordens do procurador do governo americano, general Bobby Kennedy, o FBI grampeou o escritório de King e quartos de hotéis de 1963 a 1968. Essas gravações notavelmente registraram suas transações com agentes comunistas, mas também selvagens orgias sexuais inter-raciais que incluíam atos de perversão.

Os ajudantes de King usavam dinheiro doado a sua igreja para pagar prostitutas para fazerem sexo com ele. King frequentemente pagava para ter duas prostitutas ao mesmo tempo. Essas chocantes gravações foram seladas por 50 anos por ordem do juiz federal John Smith Jr. em 31 de janeiro de 1977. Em outras palavras, não podemos estudar todos esses escabrosos detalhes até o ano de 2027. 

Porém, muito se pode aprender com alguns dos chocantes fatos registrados nas fitas de King.

1-O Washington’s old Willard Hotel foi o local onde King forçou uma mulher branca a beber e a fazer sexo com ele. Em Las Vegas ajudantes de King pagaram U$ 100,00 dólares para cada prostituta que se juntasse as orgias sexuais com ele. 

2-Em Nova Iorque após beber ameaçou uma jovem mulher branca que trabalhava pelos direitos civis a se submeter aos seus estranhos gostos sexuais ou ela seria jogada da janela do 13º andar do prédio em que estavam. Ela sucumbiu a prova de lealdade a King. 

3-Na Noruega, King estava nu quando foi abordado pela polícia enquanto perseguia uma mulher pelas escadas de um hotel. 

4-Em Los Angeles, um dentista que apoiava King ficou indignado quando descobriu que sua esposa o traía com o líder dos direitos civis. King foi forçado a fugir da cidade após o dentista furioso tentar matá-lo. Esta fuga foi em 20 de fevereiro de 1968. Logo depois, no mês de abril, outra pessoa atiraria em King.

Este é o tipo de homem que queremos apresentar aos nossos filhos e as gerações futuras para ser honrado como um herói nacional? 

É bem documentado que King era um adúltero e um mulherengo. Aqui está um relato de uma noite – antes de seu assassinato – como contou Ralph Abernathy em sua autobiografia And the Walls Came Tumbling Down. (Abernathy foi um amigo íntimo de King e estava com ele naquela noite).

Fonte:http://www.amazon.com/exec/obidos/tg/detail/-/0060161922/qid=1109268749/sr=1-2/ref=sr_1_2/102-8372275-0420102?v=glance&s=books

Anúncios