Origem legítima

A Marcha das Vadias surgiu em 2011, no Canadá, depois que um policial disse que mulheres não deviam se vestir como vadias para evitar estupros. Com a intenção de protestar contra esta ideia idiota (que o estupro é culpa das roupas das mulheres) criaram a Marcha um movimento que anos depois usaria figuras cristãs como objetos sexuais em masturbações em via pública.

Quebra das imagens na JMJ

A Marcha das Vadias que ocorreu em Copacabana durante a JMJ deixou um coisa clara: não há nesse movimento uma real luta contra preconceito, tampouco respeito ao próximo. Elas acham que apenas porque a igreja católica discorda de suas posições radicais, podem então usar imagens da padroeira do país como vibrador. É difícil imaginar que a inserção da imagem da Virgem Maria na genitália de uma feminazi irá colaborar na luta contra o preconceito e pelos direitos femininos.

Caso isolado?
De nada adianta dizer que esse foi um fato único no meio de um protesto legítimo. Não foi. Essas radicais estão se acostumando a afrontar tudo e todos que entram no caminho delas. Dentre as práticas que são costumeiras desse movimento podemos listar:

1-Invasão do espaço de igrejas para manifestações.

2-Atos de sexo explícito ou que simulavam sexo.

3-Mulheres nuas – quase todas horrorosas. Se elas não tem vergonha de mostrar suas pelancas, que pelo menos procurem malhar um pouquinho para não passar o ridículo que passam.

4- Cartazes que promovem um ideologia genocida(aborto). Uma pessoa coerente pode até aceitar que o aborto seja permitido em alguns casos, mas o que essas radicais defendem é que o aborto seja permitido em todos os casos. Para elas, a vida do feto vale menos que lixo – aliás, é para lá que alguns fetos abortados acabam parando mesmo. Mas a principal falácia que é repitida por elas é que o feto faz parte do corpo da mulher. Bem, isso é tão mentiroso que só faço 3 perguntinhas para as “feministas” que repetem essa asneira:

a- Já que o feto faz parte do seu corpo, ele tem o DNA igual ao seu, correto? Errado.

b- Já que o feto faz parte do seu corpo, ele tem o tipo sanguíneo igual ao seu, correto? Errado.

c- Já que o seu corpo é sua propriedade e você acha que tem direito de matar um feto dentro dele, será que você pode matar um ser humano que está dentro da sua casa? Mas não é sua propriedade? Não é porque algo está dentro de algo que lhe pertence que você tem o direito de matá-lo.

Feminismo de verdade

O feminismo radical simplesmente quer transformar todas as mulheres em “homens”. O que elas defendem é que podem se promiscuir com qualquer um sem ter que se preocupar com a concepção. Isso é um absurdo. O problema com todo esse extremismo é que muitas demandas legítimas das mulheres acabam ficando esquecidas (violência doméstica, estupro, diferenciação salarial, etc).

Desvirtuada

Até creio que esse movimento tenha se orginado com o fim combater o preconceito. No entanto, como estamos cansados de ver, os piores movimentos da história começaram com ótimas intenções.

Anúncios