Irreversível

A aprovação de Cabral atingiu um nível(19%) que não tem solução em médio prazo. Sobram ao governador as seguintes opções:

1- Senado

Esse forte desgate tende a demorar para passar. Ele terá que, no mínimo, esperar até as eleições de 2016 para começar a pensar a se eleger para outro cargo público. Se sair em 2014 para o Senado certamente será derrotado. O que fica claro é que dificilmente ele conseguirá eleger seu filho a deputado como estava planejando.

2-Renunciar?

Cabral poderia renunciar e ser nomeado para um posto de primeiro escalão do governo Dilma. Mas será que Dilma vai querer carregar este fardo? Ela que já enfrenta fortes baixas de popularidade.

3-Embaixador

Dilma poderia colocá-lo como embaixador ou como representante do Brasil num organismo internacional. Isso faria que sua imagem saísse das manchetes e que pudesse voltar mais cedo a política.

4-Pezão esquerdo
O desgate de Cabral acabou com a candidatura de Pezão. Cabral poderia convocar Paes, que também foi atingido, mas este não aceitaria.

5-Beltrame

Cabral poderia apoiar o secretário de segurança, Beltrame. Porém, Beltrame não possui perfil nem vontade de concorrer ao governo do Estado do Rio (ele é gaúcho). Não vai jogar sua imagem no velório político do Cabral.

6-Lindbergh

Lindbergh parece ser a melhor alternativa de Cabral.  Caso o PMDB desistisse de disputar o governo do Rio e entregasse o tempo de TV para o Lindbergh, as chances de vitória seriam muito favoráveis. Garotinho e César Maia teriam muita dificuldade de vencer Lindbergh se ele tivesse a máquina estadual ao seu lado. Na hipótese de vitória do petista, os cargos da turma do Cabral seriam trocados pelo tempo de TV.

Anúncios