Obs: Estou passando as férias no apartamento do meu irmão que fica a poucos metros do Largo do Machado. Vi de perto o fato.

Fonte: Agência Brasil

No primeiro dia da visita do papa Francisco ao Brasil, manifestantes promoveram diversos protestos no centro do Rio de Janeiro. Pedindo mais liberdade para as mulheres (enfim, mais aborto né) e criticando a interferência da religião no governo, mulheres tiraram a roupa em manifestação.

Um beijaço gay ocorreu em frente à Igreja Nossa Senhora da Glória, no Largo do Machado, na zona sul. O grupo tomou conta das escadarias da igreja, que momentos antes estavam ocupadas por peregrinos da Jornada Mundial da Juventude. Com cartazes como do “Papa eu abro mão, quero mais dinheiro para saúde e educação”, os manifestantes protestam contra gastos públicos com a vinda do papa ao país.

O protesto reúne diversos grupos, como de estudantes, integrantes do movimento LGBT (lésbica, gay,bissexual, travesti e transexual) e pessoas com bandeiras de partidos políticos(de esquerda, é lógico). Policiais do batalhão de choque e da Força Nacional de Segurança acompanham os protestos a distância.

Comento:

Enfim, quem acompanha o blog sabe que tenho uma enorme repugnância da ideologia religiosa do sr. Silas Malafaia; porém, quando se trata de política, concordo com ele em muitos pontos. Reproduzo abaixo a opinião do religioso:

Há muito tempo que venho dizendo sobre a diferença entre ativistas gays e homossexuais. O segundo grupo quer viver apenas segundo a opção sexual que fizeram. O primeiro grupo quer ter privilégios e direitos acima de toda a coletividade social. Querem calar qualquer um que se opõe às suas práticas e objetivos, querem ter a liberdade para fazer o que bem entenderem, não respeitando os valores e princípios de ninguém. Eles clamam por direitos, mas o objetivo é cercear o direito dos outros e ter direitos para anarquizar, esculhambar, denegrir e enxovalhar quem quer que seja.

É bom que a sociedade brasileira veja quem são os verdadeiros intolerantes. Vão para a porta de uma igreja católica nus e seminus para afrontar as pessoas religiosas com seus atos obscenos. É UMA VERGONHA! E a imprensa sectária e parcial não faz um comentário para desaprovar uma conduta ridícula como essa.

Quem não respeita os valores dos outros, não tem autoridade para pedir que os outros respeitem seus valores!

A imprensa tem escondido o que nós já sabemos: já foram presos homossexuais dentro de igrejas se beijando, numa verdadeira afronta aos princípios constitucionais.

Considerações

1-Como todos sabemos, o Estado é laico. Isso não significa que o Estado deve ser irreligioso, e sim ser neutro em relação as religiões, não tendo uma religião oficial.

2- Quanto aos protestos, sou favorável a liberdade de expressão desses manifestantes, contanto que não afrontem a liberdade de culto alheia.  Tendo tanto lugar na praça para protestar por que se manifestaram justamente na escadaria da igreja?

3- São em situações como essas que agradecemos pelo fato de no Brasil não haver na prática o fundamentalismo religioso. Caso esses manifestantes tivessem feito isso no Irã ou na Arabia Saudita certamente os próprios fiéis mulçumanos teriam respondido violentamente. Já os nossos “fundamentalistas” crentes e católicos nem chamaram a polícia para resguardar a propriedade da igreja. São uns frouxos.

4- O grande problema dos ativistas gays é a falta de respeito. Imaginem a cena: O Papa, perante uma platéia 100% heterosexual que decidem, a um só tempo, a se beijarem apaixonadamente, O que significa isso? Má educação, falta de respeito. Simples assim, mas eles acham que é uma manifestação de ‘afirmação sexual’.

5- Agora prestem atenção. Se fossem os católicos que estivessem protestando contra os gays a mídia certamente teria reportado o ato como protesto homofóbico.

6- O mais irônico é que esses ativistas criticam quem querem, mas na hora de serem criticados apelam para a PL 122 para criminalizar a opinião dos outros.

Anúncios