10 motivos para ser a favor do impeachment de Sérgio Cabral


1 – Amigos dos empresários

Viajou no jato do futuro ex-bilionário Eike Batista pra ir à festa do amigo empreiteiro que tem contratos de R$ 1 bilhão com o governo do Estado do Rio de Janeiro. (O Globo)

2- Estádios faraônicos

Em sua gestão, o Rio viu bilhões de reais custeados com o dinheiro público via BNDES serem derramados em estádios enquanto a saúde e a educação estão em péssimas condições. Para fechar com chave de ouro, o Maracanã custou mais de 1 bilhão e ainda quem venceu sua  licitação foi justamente o grupo EBX, ligado a Eike Batista. É óbvio, o valor que a EBX teria que pagar para poder lucrar com o estádia seria de apenas 180 milhões.

3- Juquinha e o voo das babás

Depois de comprar um helicóptero de 12 milhões de reais , Cabral teve o despudor de levar em voos para sua mansão em Mangaratiba (avaliada em mais de 3 milhões de reais) até as babás de seus filhos. Por incrível que possa parecer, o dinheiro público serviu também para transportar até o cãozinho de seu filho, Juquinha. Pobre Juquinha, não sabe o quanto nos custa.

4- Isentou impostos
Renunciou R$ 50 bilhões para os cofres do Estado, beneficiando as empresas do amigo empresário, termas, motéis e até mesmo o cabeleireiro da primeira-dama Adriana Ancelmo Cabral. (Veja)

5 – Primeira-dama

Achou ético e moral que a primeira-dama, apesar de ter uma função pública, represente com o seu escritório de advocacia a Supervia e o Metrô Rio, concessionárias do governo. (Estadão)

6 – Muito solidário

Permitiu que a mesma primeira-dama recebesse, através de sua ONG Rio Solidário, toneladas de aço e ferro dos desmontes dos bondes tombados de Santa Teresa como doação para revenda. (Blog do vereador Paulo Messina)

7 – Bondinho

Descumpriu decisões judicias e sucatear os bondes de Santa Teresa, que são um símbolo da cidade, causando a morte de sete pessoas. (Jornal do Brasil) Além disso, manteve o empresário Julio Lopes à frente da Secretaria de Transportes, como se nada disso tivesse acontecido.

8 – Publicidade

Prometeu em campanha diminuir os gastos com publicidade, mas no governo aumentá-los para R$ 99 milhões ao ano. (Estadão)

9 – Polícia

Gastou com a terceirização de veículos da Polícia Militar valor suficiente para triplicar a frota. (Extra)

10– UPAs

Construiu Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) pré-moldadas de metal mais caras do que as de alvenaria. (O Globo)

11 – Bombeiros e médicos

Chamou de vândalos e irresponsáveis os bombeiros que em qualquer lugar do mundo são chamados de heróis. Não satisfeito, em outra oportunidade chamou médicos grevistas de vagabundos. Ao debochar de médicos e bombeiros, é visível que Cabral tem muito pouco apreço pela vida humana.

Em entrevista defendeu a legalização do aborto dizendo: “Quem nunca teve uma namoradinha que precisou abortar? “ Engraçado que esse hipócrita defende o aborto para os pobres, mas a vida dele ele acha que deve ser protegida.

12- Palácio das Laranjeiras

Mesmo podendo economizar recursos públicos morando na sede do governo do Rio, Cabral prefere morar num apartamento no Leblon, numa das ruas mais caras do Rio de Janeiro. Ao invés de ir de carro para o trabalho, Cabral parece que tem uma obsessão por andar de helicóptero. Quando questionado sobre a farra que faz com a verba pública, respondeu: “Outros  fazem também”.

13- Gangue dos Guardanapos

Cabral tem uma verdadeira paixão por Paris, já tendo batido todos os records de governante brasileiro que passou mais tempo na Cidade-luz. Numa dessas muitas viagens, secretários do seu governo comemoraram com guardanapos na cabeça uma negociata feita com o empreiteiro da Delta Fernando Cavendish.

Obs: Já está muito de noite e tenho que dormir. Infelizmente, os motivos não param por aqui. Quem sabe qualquer dia eu faça uma parte 2 com mais 20 motivos para colocar esse governador no olho da rua.

4 comentários

  1. Para mim que sou Goiano, fico decepcionado em ver na mídia os fatos ora comentados, para os nossos irmãos cariocas deve ser deprimente ver e assistir um filme dessa natureza, ademais, os cariocas que tem vergonha na cara e votaram nesse cidadão deve doer demais da conta, uma vez que, a confiança que depositamos em nossos representantes nas eleições, não é para receber decepção seja a que titulo for. Com a palavra os deputados cariocas para decidirem sobre o imbróglio do impeachment em tramitação naquela casa, pois 2014 está chegando e a hora daqueles que votarem contra, os leitores estão de olho…………………….

    Curtir

  2. AFINAL, O NAZISMO É OPOSTO AO COMUNISMO OU SEU IRMÃO GÊMEO? – UMA QUESTÃO HISTÓRICA MUITO MAL CONTADA!

    NAZISMO: 12 milhões de assassinatos (judeus, ciganos e outras religiões)
    COMUNISMO: chinês: 70 milhões de mortos
    Soviético: 20 milhões de mortos
    Cambodjano: 2/3 da população masculina adulta
    As torpezas do nazismo (nacional-socialismo) são por demais conhecidas, mas nunca é demais reforçar a repugnância que nos causam os horrores da guerra e o extermínio de 8 milhões de judeus em câmaras de gás ou mortos de doença ou fome nos campos de concentração. Contudo, não se dá o mesmo destaque aos crimes cometidos pelas ditaduras comunistas, como a soviética, contando 20 milhões de mortos, a chinesa, com cerca de 70 milhões de mortos, principalmente pelo sequestro dos cereais das vilas para serem trocados por armas. Um pequeno país do sudeste asiático é exemplo acabado de quão sanguinário é o comunismo. Esse pequeno país, chamado Cambodja sofreu uma revolução comunista nos anos 70, dirigida por um pigmeu chamado POL POT. Pois bem, esse assassino que se queria humanista eliminou 2/3 (dois terços) da população adulta masculina do país em menos de 5 anos. O país se tornou uma nação de mulheres, velhos e crianças. Homem adulto, só no exército.
    Até aí, nenhuma novidade. É simples ocultação estratégica esquerdista, facilmente desmascarada. Entretanto, uma visão por demais generalizada, cuja penetração e domínio na forma de pensar do brasileiro mediano, muito mais grave e difícil de ser desmentida é a propaganda que coloca em lados opostos NAZISTAS e COMUNISTAS. Aqueles, seriam de direita, com uma orientação pró-capitalismo liberal, enquanto os comunistas seriam anticapitalistas. Portanto, visões políticas opostas.
    Neste artigo, vou evidenciar que ambos os modelos de ditadura são extremamente próximos um do outro e severamente distantes da democracia liberal/conservadora. Para esse fim, vou elencar alguns elementos dos “25 pontos de fundação do partido nazista, de 1923 (Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei – NSDAP)” e analisá-los, comparando-os com os princípios e práticas comunistas. Também faço algumas observações pertinentes ao Brasil de hoje:
    a. “Nós combatemos a prática parlamentar, origem da corrupção, de atribuição de lugares por relações de Partido sem importar o caráter ou a capacidade”
    Já aqui vem uma declaração clara de oposição à democracia representativa, tornando-a sinônimo de corrupção. Todos sabemos sobre a corrupção do Parlamento, mas não é ela também presente em igual medida ou até mesmo mais intensa no executivo? Estaria o Judiciário completamente livre da corrupção? A resposta, óbvia, é NÃO e NÃO. A qualidade da democracia decorre do sistema de pesos e contra-pesos dados pelo equilíbrio entre os poderes, gerando uma fiscalização mútua. A eliminação da corrupção é trabalho para várias gerações de aperfeiçoamento democrático e NUNCA será alcançada de um só golpe.
    SEMELHANÇA AO COMUNISMO: como se sabe, os regimes comunistas aboliram as práticas parlamentares, substituindo-as por comitês locais de trabalhadores (na União Soviética, chamados soviets) que encaminham posicionamentos conforme as decisões do Partido Comunista, ou seja, há um controle completo do processo legislativo por parte do Partido.
    BRASIL, HOJE: é perceptível um movimento no Brasil atual contrário ao Parlamento, com a mesma alegação de corrupção feita por NAZISTAS e COMUNISTAS, em sua época. O que, obviamente, os opositores ao Parlamento não dizem é que, na sua ausência, alguém irá tomar seu lugar no processo legislativo e aí, sim, será um escolhido “de cima” e não pelo povo.

    b. “O primeiro dever do cidadão é trabalhar, física ou intelectualmente. A atividade do indivíduo não deve prejudicar os interesses do coletivo, mas integrar-se dentro dessa e para o bem de todos”.
    Aqui há a introdução de um elemento exclusivo de ambas as ditaduras NAZISTAS e COMUNISTAS: O COLETIVISMO. Aliás, a característica definidora das ditaduras atuais é o apelo ao coletivismo. É claro que essa consideração basta para escancarar a irmandade dos dois regimes ditatoriais. A rigor, a diferença entre os dois modelos de coletivismo é que para o NAZISMO, o coletivo supremo é o Estado, enquanto que para o COMUNISMO é o Partido o coletivo supremo. É claro que nos regimes coletivistas ocorre o desaparecimento da consciência individual e o ser humano desce à pior degradação moral, pois tudo o que faz estará correto, desde que não se oponha ao coletivo. É abertura máxima para assassinatos, estupros, encarceramentos, mutilações, proibições, censuras etc etc.
    BRASIL, HOJE: vivemos hoje o triste crescimento dos coletivismos em detrimento da consciência individual. As pessoas estão perdidas e buscam se agarram a alguma razão determinada por algum “coletivo”, tais como: gays, negros, usuários de drogas, índios, feministas, ecologistas, excluídos, moradores de rua, de religiões afro etc etc. Basicamente se você tiver algo a dizer fora das “verdades” ditadas por esses coletivos, simplesmente, será ignorado, quando não estigmatizado. Recentemente, bastou um certo deputado afirmar, seguindo sua religião, ser contra o “casamento gay” para ser tachado de monstro ignóbil, pior que os piores assassinos.

    c. “A supressão do rendimento dos ociosos e dos que levam uma vida fácil, a supressão da escravidão do juro”
    A oposição (ao menos no discurso) ao chamado “capitalismo financeiro” está consistentemente presente nas duas ideologias. Seus ideólogos alardeiam que os bancos são movidos por ganância, que sugam da sociedade e que em nada contribuem para o desenvolvimento nacional, devendo, pois, serem severamente controlados. Ocorre que é muito bem sabido por economistas e financistas que os bancos exercem uma irrigação de recursos no sistema econômico que permitem investimentos de longo prazo (10, 15, 20 ou 30 anos) fazendo com que a economia flua com estabilidade e crescimento.
    BRASIL, HOJE: a campanha contra os bancos é diuturnamente empreendida pelos esquerdistas, embora os banqueiros brasileiros sejam os maiores financiadores dos esquerdistas que estão no poder. Ironia do destino?

    d. “Pedimos a nacionalização de todas as empresas que atualmente pertencem a trusts (multinacionais)”.
    Ora, ora. Quantas vezes ouvimos os partidos esquerdistas bradarem contra as multinacionais? Ouço isso desde criancinha. Como afirmar que um programa que afirma algo assim seja capitalista ou neoliberal?
    BRASIL, HOJE: os comunistas do Brasil aprenderam as doçuras do grande capital, desde que sigam financiando suas campanhas e suas ONGs. O inimigo mais abertamente declarado é o grande capital financeiro e o agronegócio.

    e. “Pedimos a criação e proteção de uma classe média sã, a entrega imediata das grandes lojas à administração comunal e o seu aluguel aos pequenos comerciantes a baixo preço. Deve ser dada prioridade aos pequenos comerciantes e industriais nos fornecimentos ao Estado, aos L”ander (distritos) ou municípios”.
    Aqui, o NAZISMO mostra sua vocação insofismável para o socialismo. É a repetição da estratégia COMUNISTA de dividir as empresas e entregar suas partes a corporações sindicais. Foi feito na União Soviética, através dos soviets. Nesse ponto as duas ideologias não se parecem: são absolutamente a mesma e única!
    BRASIL, HOJE: o movimento comunista se concentra em sabotar o direito de propriedade. É uma estratégia velada, pois não vão se expor prematuramente. Dou como exemplo as invasões de propriedades rurais e urbanas, os movimentos de desapropriação, como o Movimento Passe Livre (estatização do transporte público e tarifa zero). Há, inclusive, um projeto de emenda constitucional determinando que os conflitos de posse imobiliária deverão primeiramente ser mediados pela “sociedade civil” antes de qualquer judicialização. Ou seja, o sujeito invade sua propriedade e pronto: está criado o conflito. Aí, você vai esperar alguma “sociedade civil” mediar o conflito (e isso pode demorar anos) para só depois requerer a desapropriação judicial.

    f. “Pedimos uma reforma agrária adaptada às nossas necessidades nacionais, a promulgação de uma lei que permite a expropriação, sem indenização, de terrenos para fins de utilidade pública – a supressão de impostos sobre os terrenos e a extinção da especulação fundiária.”
    Outro ponto de insofismável unidade entre NAZISTAS E COMUNISTAS: uma reforma agrária baseada na expropriação. Foi feito em praticamente todos os regimes comunistas: União Soviética, China, Vietnã, Cuba etc etc.
    BRASIL, HOJE: talvez seja esse o ponto mais visível do programa COMUNISTA. Tudo se faz para desorganizar o campo e aplicar uma reforma agrária. Invasões, destruição de propriedades, matança de animais, sabotagem do direito de reintegração de posse entre tantos outros. A ironia é que o AGRONEGÓCIO se tornou a âncora do governo esquerdista, pois possibilitou comida barata e superávit comercial.

    g. “Pedimos que o Direito Romano seja substituído por um direito público alemão, pois o primeiro é servidor de uma concepção materialista do mundo.”
    A estratégia de criar um “Direito Nacional”, desvinculado da tradição do Direito Romano é um passo fundamental no caminho da revolução, seja do NAZISMO, seja do COMUNISMO. O Direito Romano é baseado na noção de AUTORIA SUBJETIVA: a pessoa humana é responsável integral por seus atos e detentora de direitos subjetivos. A cultura revolucionária criou o “direito coletivo” tensionando o “direito individual”. Assim, quando é útil, aciona-se o “direito coletivo” (estado, nação, povo, grupos de operários etc) para esmagar o indivíduo. Não foi isso que fizeram os bolcheviques? Não foi isso que fez a “Juventude Hitlerista”?
    BRASIL, HOJE: há tantos “direitos coletivos” vilipendiando a individualidade que se pode dizer que há uma epidemia. É o MST invadindo e expropriando o proprietário, é o Movimento Sem Teto invadindo casas e apartamentos. É o Movimento Gay (nunca confundir com a homossexualidade) ditando como as famílias devem ser constituídas e como educar seus filhos. É o movimento indígena querendo separar 1/3 da área nacional para si (500 mil indígenas). É o movimento negro querendo sobrepor a cor da pele como fonte de direitos especiais etc etc.

    h. “Pedimos a luta pela lei contra a mentira política consciente e sua propagação por meio da Imprensa. Para que se torne possível a criação de uma imprensa alemã, pedimos que… Os jornais que forem contra o interesse público devem ser proibidos. Pedimos que se combata pela lei um ensino literário e artístico gerador da desagregação da nossa vida nacional; e o encerramento das organizações que contrariem as medidas anteriores”.
    Aqui, dois temas caros aos DITADORES, tanto NAZISTAS quanto COMUNISTAS, o controle da imprensa e da produção artística. O argumento é que o jornal publicou alguma coisa “contra o interesse público”; ai, ai, ai. Eles sempre foram caras-de-pau: quem é que vai determinar se o jornal é contra o interesse público, o governo??!! Vamos relembrar que na UNIÃO SOVIÉTICA só havia jornal estatal, sendo o principal deles o PRAVDA. Até hoje em CUBA só há um único jornal: o GRANMA. Sempre foi assim, em todas as experiências comunistas: imprensa, só estatal! A diferença que se pode identificar entre os dois modelos é que no NAZISMO, a imprensa não precisava ser estatal, bastava seguir o governo; já no COMUNISMO, não há espaço para essa firula: toda a imprensa é estatal.
    BRASIL, HOJE: quando a esquerda era oposição, louvava dia-e-noite a liberdade de imprensa e foi por esta muito ajudado em seu projeto de poder. Quando se tornou governo, começou a defender o “controle da mídia”. Hoje, está no PROGRAMA DO PARTIDO, em espaço de destaque: “LUTAR PELA DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA”. Democratização da mídia é eufemismo para controlá-la. Dizem que é o povo e a sociedade civil quem irá compor as “CÂMARAS DELIBERATIVAS SOBRE A MÍDIA”. Vou aqui passar uma senha, sem medo de erro: quando o partido esquerdista fala em “sociedade civil” ele está se referindo a ONGs, CONSELHOS, GRUPOS todos compostos, financiados e montados por seus companheiros.

    i. “Pedimos a liberdade no seio do Estado para todas as confissões religiosas, na medida em que não ponham em perigo a existência do Estado ou não o ofendam o sentimento moral da raça germânica.”
    Como não perceber aqui a perfeita correspondência NAZISTA/COMUNISTA na questão religiosa. A Igreja sempre foi muito perseguida tanto em um quanto n’outro REGIME. Diz a premissa: “as confissões religiosas serão permitidas desde que não representem risco para o estado”. Ora, em uma tal condição, qualquer coisa serve como pretexto para intervenção nessa ou naquela religião. É o esmagamento da liberdade religiosa.
    BRASIL, HOJE: o partido esquerdista ainda não avançou o que gostaria, mas já caminhou alguma coisa rumo ao amordaçamento religioso. A pressão midiática imposta a um crente ou católico faz com que tudo o que o sujeito defenda, com base na sua fé e nas Escrituras é apresentado como carregado de ranço, de atraso, de obscurantismo. Parece que o único comportamento adequado a um homem de Fé Cristã é isolar toda a sua moral religiosa da vida prática.

    j. “Para levar tudo isso a bom termo, pedimos a criação de um poder central forte, a autoridade absoluta do gabinete político sobre a totalidade do Reich e suas organizações, a criação de câmaras profissionais e de organismos municipais encarregados da realização dos diferentes L”ander, de leis e bases promulgadas pelo Reich.”
    Se havia alguma dúvida sobre a origem comum do NAZISMO e do COMUNISMO, agora ela se desfaz completamente. PODER CENTRAL FORTE, BASEADO EM CORPORAÇÕES DE OFÍCIO (SINDICATOS), portanto, longe de um Congresso Representativo, é o eixo central de distribuição do poder político dos DITADORES, tanto os COMUNISTAS, quanto os NAZISTAS.
    BRASIL, HOJE: a estratégia está clara. O governo esquerdista corrompe ao máximo o Parlamento com cargos, verbas, ministérios para que a opinião pública passe a considera-lo nocivo e dispensável. Assim, no momento oportuno, será apresentada a proposta de sua eliminação ou subordinação ao executivo. O quê foi o chamado MENSALÃO senão uma tentativa de corrupção maciça do CONGRESSO?
    Procurei resumir de modo simplificado a UNIDADE FUNCIONAL entre os modelos NAZISTA e COMUNISTA para resgate de uma realidade histórica que vem sendo muito manipulada por ardilosos ENGENHEIROS COMPORTAMENTAIS COMUNISTAS. O objetivo dos estrategistas é colocar em pólos opostos os regimes NAZISTA e COMUNISTA, quando, na verdade, são irmãos gêmeos univitelinos; opostos , sim, à DEMOCRACIA REPRESENTATIVA E LIBERAL! Alguém disse e aqui repito: “O preço da liberdade é a eterna vigilância!”

    Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s