Machismo?

Gente, vejam esse vídeo de comédia acima. Nele uma pessoa se faz de homossexual e fica dando cantadas nos homens que passam pela rua. Felizmente, a maioria das pessoas simplesmente o ignorou, mas tenho certeza que se alguém o tivesse xingado pelo desrespeito certamente seria considerado homofóbico.

Experiências pessoais

Pode não parecer, mas está ficando cada vez mais comum receber cantadas de homossexuais. Eu mesmo já recebi algumas em alguns lugares surpreendentes.

1- No meio da rua

 

Certa vez estava andando pro trabalho e um homem (me lembro eu que ele era afrodescendentem, era forte e deveria ter uns 1,90 m), se aproximou de mim e sussurou: “gostoso“. Na hora eu fiquei sem entender nada. Por que um homem tão visivelmente masculino me chamaria de gostoso? Olhei para trás e tentei notar se ele não estava falando com outra pessoa. Não, ele pra mim mesmo. Fiquei extremamente constrangido e segui em frente como se nada tivesse ocorrido.

2- Numa lanchonete

A algum tempo atrás eu estava fazendo um curso e um dos professores era visivelmente gay – inclusive era casado com outro homem. Como sou um cara amável e respeito as diferenças, sempre tratei ele bem como trato qualquer outra pessoa. Acho que pelo fato da maioria dos homens tratar mal os gays, ele deve ter achado que minha conduta cristã em relação a ele poderia ser um sinal de que eu era homossexual.

Uma vez estava numa lanchonete e de repente sinto, por trás, uma mão acariciando o meu cabelo. Quando virei era o meu professor homossexual, com uma cara completamente normal, como se não estivesse fazendo nada de mais. Resolvi, com cuidado, levantar-me e deixar o final do meu lanche ali mesmo para não arrumar problema com ninguém.

O pior é que outras pessoas do meu convívio social estavam vendo e poderiam imaginar que eu era gay. Poderiam até imaginar: “Tá vendo, esse cara se faz todo de certinho, mas está deixando um gay casado fazer carinho no cabelo dele na frente de todo mundo. Além de ser veado, é um destruidor de lares”.

Conclusão

Por motivos naturais, um homem hétero não gosta de ser vítima de investidas de homossexuais. Isso vai muito além da questão da sexualidade. O homem, desde criança, aprende que é ele que deve tomar a atitude ativa no jogo da sedução, ou seja, é ele que deve abordar as mulheres.

Passividade

 

Ao ser abordado, o homem se vê numa posição passiva, diferente daquela que sempre esteve acostumado. Além disso, ao ser abordado por um homossexual, um hétero pode se surpreender, pois é um acontecimento que ele nunca esperou. O que mais causa raiva é que nenhum hétero quer ser visto como gay, pois além da preconceito que ele sofreria simplesmente por ser visto como gay, isso poderia, na sua cabeça, dificultar as suas chances com mulheres.

Homofobia

Bem, o problema é quando a investida não é muito respeitosa. Quando se soma o desrespeito na investida com um possível preconceito por parte do investido a soma é quase sempre uma confusão. Geralmente esse fenômeno acaba gerando discussões e até mesmo brigas que podem ocasionar em agressões (que serão consideradas como crimes de homofobia).

Mal entendidos

Não devemos desconsiderar que mal entendidos sempre acontecem. Muitas vezes o gay só estava brincando ou achava que a pessoa já estava lhe dando liberdade para uma atitude mais “carinhosa”. Por isso, o mais recomendável é tolerar mesmo que possa parecer desrespeitoso e seguir em frente. A paz é o que interessa.

PL 122

Como o governo já se comprometeu em passar a PL 122, homofobia será considerada um crime inafiançável. Logo, podemos prever que muita gente irá se sentir mais a vontade para abordar homens, uma vez que a resposta deles poderá ser considerada homofobia. Se isso de fato ocorrer, acho que vamos ter que nos acostumar a levar cantadas. A melhor saída será aprender com as mulheres como é lidar com essa situação. Afinal de contas, a lei não estará do nosso lado.

 

Anúncios