Cason Trayvon Martin: Absolvição de assassino de jovem negro provoca protestos nos EUA


Antes de mais nada, para analisar esse é preciso mostrar como a grandimídia dazeliti é tendenciosa. Vejam aqui a reportagem da Globo sobre o caso.

Versão da mídia

Era uma vez um jovem e inocente menino de 17 anos chamado Trayvon Martin. Cheio de sonhos, Trayvon caminhava pelas ruas da Flórida a noite quando de repente um vigia, vendo que havia um negro desarmado por perto, começou a perseguir o pobre menino. Depois de lutar por sua vida, Trayvon foi cruelmente assassinado pelo vigia George Zimmerman, com um tiro no peito.

Detalhes do crime

O crime ocorreu num condomínio fechado que, de 2011 a 2012, chamou a polícia 402 vezes. Durante os 18 meses que antecederam o  assassinato, Zimmerman chamou a polícia 7 vezes. Em 7 dessas chamadas, Zimmerman relatou suspeita de que homens suspeitos rondavam a área, mas nunca disse a etnia dos homens sem ter sido solicitado pelos atendentes. Os crimes cometidos antes da morte de Martin, incluiram 8 roubos, 9 furtos, e um disparo. Residentes disseram que havia dezenas de relatos de tentativas de arrombamentos, que havia criado uma atmosfera de medo em sua vizinhança.

Quem era Trayvon Martin?

Martin tinha sido suspenso da escola no período da sua morte, essa era a sua terceira suspensão disciplinar do ano. Os motivos eram: atraso e evasão escolar. Outra suspensão em outubro de 2011 foi por causa de uma pichação, quando Martin foi observado por uma câmera de segurança em uma área restrita da escola efetuando a pichação de uma porta com a sigla “WTF”. Quando mais tarde ele foi procurado pelo departamento de polícia local, o policial encontrou várias peças de jóias das mulheres em sua mochila, que Martin disse que um amigo tinha dado a ele.

Envolvimento com drogas

Foto de Trayvon numa rede social

Numma de suas de suas suspensões, de Martin foi pêgo com um cachimbo de maconha e um saco contendo resíduo de maconha vazio.

Incidente anterior
Três semanas antes do crime, em 2 de fevereiro de 2012, Zimmerman chamou a polícia para denunciar um jovem olhando para as janelas de uma casa vazia. Zimmerman solicitou um carro da polícia, para averiguar o que estava acontecendo e esperou pela sua chegada. Até o momento que a polícia chegou, o suspeito fugiu. Em 6 de fevereiro, trabalhadores testemunharam 2 jovens negros no pátio do condomínio na mesma época que sua casa foi assaltada. No dia seguinte, a polícia descobriu o laptop roubado na mochila de um jovem negro, o que levou à sua prisão. Zimmerman identificou o jovem como a mesma pessoa que ele tinha visto olhando para janelas em 2 de fevereiro.

A arma do crime

Como a mídia vê o agressor morto e como a mídia mostra o homem que atirou para sobreviver.

Zimmerman tinha sido autorizado a transportar uma arma de fogo desde novembro de 2009.  Embora os voluntários de vigilância do bairro não sejam encorajados a portar armas, o chefe de polícia da cidade, Bill Lee, reconheceu que Zimmerman tinha o direito legal de levar a sua arma de fogo para o trabalho.

Uso político

A mídia fez de tudo para polemizar o assassinato de Trayvon Martin, destorcendo toda a história para fazer parecer que foi um crime de motivação racial. Como o crime ocorreu em 2012, até o presidente Obama disse que Trayvon poderia ser o filho dele. Até a campanha de Obama começou a vender um capuz igual ao que Trayvon usava. No capuz da campanha de Obama estava escrito: “Eu sou Trayvon Martin”. O que parecia evidente era que muitos políticos e grande parte da mídia estava, muito interessados em capitalizar com um crime de ódio racial no ano da reeleição do primeiro presidente negro.

A verdade sempre aparece

Zimmerman tinha hematomas atrás da cabeça, o que mostra que foi agredido por outra pessoa.

1-Mais tarde a verdade apareceu. O vigia que matou Trayvon não era branco, era latino, filho de uma peruana. A mídia ainda assim bateu o pé e continuou dizendo que era um crime racial.

2-Depois apareceram fotos de Zimmerman com o nariz quebrado depois do confronto com Trayvon. A luta com Trayvon acabou produzindo em Zimmerman uma série de hematomas. A mídia simplesmente desprezou essa informação.

3-A única testemunha do crime alega que viu Trayvon e Zimmerman brigando, ou seja, não se tratou de uma execução.

4- Registros de áudio anteriores apontam que Zimmerman estranhou um jovem de capuz correndo na chuva pelas casas.

5- Uma foto de Trayvon no facebook antes de sua morte tinha a seguinte legenda: made nigga (que é um código que significa que ele adentrara numa gangue).

Zimmerman depois do confronto com Trayvon, com o nariz quebrado.

Versão de Zimmerman

Segundo a versão de Zimmerman, Trayvon o atacou primeiro e teria tentado enforcá-lo. Acuado e temendo por sua vida, Zimmerman deu um tiro que acertou o peito de Trayvon. O fato do tiro não ter sido na região de maior chance de contato mostra que a intenção de Zimmerman era atirar em Trayvon, mas não necessariamente matá-lo. Se Zimmerman quisesse matar Trayvon ele teria acertado sua cabeça ou dado mais de um tiro.

Reparem que não há hematomas no corpo de Trayvon, o que prova a teoria de que ele era quem estava agredindo antes de levar o tiro. Testemunhas alegam que viram os dois brigando na chuva.

Ameaças

Integrantes de movimentos negros, como o Novo Partido dos Panteras Negras, estão ameaçando constantemente Zimmerman. Para eles, Zimmerman deve pagar com a vida pelo que fez.

Sentença

Mesmo contra toda a opinião pública, o júri absolveu Zimmerman. Segundo a lei do Estado da Flórida (stand your ground), o cidadão tem o direito de matar seu agressor em caso de legítima defesa. Em entrevista para o apresentador Anderson Cooper, uma das juradas disse que o júri tinha intenção de condenar Zimmerman, mas as provas e a lei do estado eram favoráveis ao réu, uma vez que o ônus da prova cabia para a acusação.

Protestos

Depois do veredito houve protestos, saques e arruaças por parte de indignados em várias cidades americanas.

Conclusão

Felizmente nos EUA existem leis que dão ao cidadão o direito de se defender e de matar em legítima defesa. Aqui no Brasil, se você dá um tiro num bandido que entra na sua casa você vai para cadeia e ele ainda corre o risco de ficar solto.

Ao contrário do que a mídia diz, nem toda morte de negro é motivada por racismo, nem toda morte de judeu é motivado por antissemitismo, nem toda a morte de hétero é heterofobia, nem toda a morte de homossexual é homofobia, nem toda morte de cristão é cristofobia. As provas não apontam que a motivação do crime foi devido a cor da pele de Trayvon, mas sim por causa da luta.

É muito fácil julgar Zimmerman por ter atirado no seu agressor. O fato é que se fosse Trayvon que o tivesse matado Zimmerman a mídia jamais estaria dando a esse caso a cobertura que está dando. Isso acabaria sendo apenas mais um número numa estatística. Afinal de contas, para a mídia, a vida de uns vale mais do que a de outros.

Anúncios

2 thoughts on “Cason Trayvon Martin: Absolvição de assassino de jovem negro provoca protestos nos EUA

  1. obama racista, espiao, senhor da guerra… e ainda ganhou Nobel da paz.

    Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close