Livro: Por que Obama conseguiu se reeleger?


O que passou passou

Geralmente não é correto fazer análises logo depois que o furacão acabou de passar. Isso ocorre porque muitas vezes demoram dias, meses, talvez até anos para percebermos quais foram os reais efeitos de um acontecimeto. Sendo assim, acabei de ler um livro que parece ser o primeiro trabalho a realmente entender o que de fato aconteceu nas eleições presidenciais de 2012.

O valor das minorias

No livro Barack Obama & the New America, Larry Sabato, especialista em ciência política da Universidade da Virginia, explica quais foram os fenômenos sociais que explicaram a reeleição de um presidente com um record econômico tão ruim. A resposta para o sucesso de Obama não estaria apenas em seu carisma ou no apoio irrestrito da mídia americana. O fato decisivo que possibilitou a vitória democrata foi a mudança estrutural da demografia dos EUA.

Mudanças demográficas

Romney obteve cerca de 60% do voto dos brancos, teve mais de 55% do voto protestante e venceu entre os eleitores da classe média alta. Isso bastou para que ele vencesse entre os eleitores independente, o que normalmente basta; porém, 2012 foi um ano diferente por alguns motivos:

1- A proporção de brancos que votou nessa eleição foi a menor da história. Em 1980 eram mais de 80%, mas em 2012 chegou perto de 70%. O crescente voto latino é um trunfo dos democratas que foi fundamental em 2012.

2- O número de protestantes nos EUA diminui vertiginosamente a cada ano. Sendo que em 2012 saiu a primeira pesquisa Gallup apontando que pela primeira vez na história do país menos de 50% dos americanos se declarava protestante.

3- A crise econômica e a alta dependência dos programas sociais do governo americano (Food Stamps) tornou 1/6 da população americana (50 milhões) reféns do governo americano. Era evidente que Romney iria diminuir impostos e esses benefícios para tentar aquecer a economia. Sendo assim, o medo dos republicanos se tornou uma arma poderosa para os democratas. O aumento da pobreza é extremamente benéfico para os democratas.

4- Americanos tendem a se tornarem mais conservadores conforme se casam e têm filhos. A taxa de casamento entre americanos diminui fortemente e a taxa de divórcio aumenta conforme o passar dos anos. Enquanto isso, a taxa de natalidade entre americanos está próxima da taxa de reposição (por causa dos latinos). Sendo assim, a desagregação da família americana favorece os liberais, que tem um histórico de conseguir o voto dos solteiros.

5- Estados com cultura mais conservadora (Virginia, Carolina do Norte, Texas e Colorado) estão recebendo um alto fluxo migratório de pessoas advindas de estados liberais onde a economia está pior. Desta forma, estados antes conservadores se tornam cada vez mais liberais.

6- Pesquisas feitas depois da eleição apontou que entre os héteros houve um empate(49% a 49%). No entanto, o repúdio do partido republicano ao casamento gay fez com que milhões de eleitores gays caíssem no colo dos democratas, dando a eles uma vantagem suficiente para vencer. Fica a lição: o partido republicano precisa aceitar o casamento gay e conquistar esses preciosos votos de homossexuais.

Poder das minorias

Em outras palavras, Obama venceu porque sua coalisão de apoio, a chamada Nova América, (negros, gays, pobres, latinos, asiáticos, irreligiosos, solteiros, mulheres) aumentou de forma abrupta sua participação na população americana nos últimos anos. A má notícia para os republicanos é que a tendência é que esses grupos apenas aumente ainda mais sua participação nas próximas eleições. Isso seria o fim do partido republicano.

A América tradicional

Romney venceu Obama:

Entre conservadores: 82% a 17%

Entre os indenpendentes: 50% a 45%

Entre brancos: 59% a 39% 

Entre homens: 52% a 48%

Entre protestantes: 56% a a 43%

Entre aiores de 40 anos: 52% a 48%

Entre héteros(empate):  49% a 49%

Entre quem tinha faculdade: 51% a 48%

Entre quem ganhava mais de 50 mil por ano: 52% a 46%

Entre homens casados: 60% a 38%

Entre mulheres casadas: 53% a 46%

A Nova América

Obama perdeu entre os grupos que compões a maioria da população, mas seu apoio massivo e leal entre minorias foi o suficiente para que fosse o primeiro presidente a perder entre independentes.

Abaixo as margens de vitória de Obama:

Entre judeus: 69% a 30%

Entre católicos: 50% a 48%

Entre irreligiosos:  70%  a 26%

Entre mulheres: 55% a 44%

Entre liberais: 86% a 11%    

Entre latinos:71% a 27%

Entre negros:93% a 6%

Entre asiáticos:73% a 26%    

Entre pobres: 63% a 35%    

Entre gays:76% a 22%

Entre quem não terminou sequer o ensino fundamental: 64% a 35%

Entre menores de 24 anos:60% a 36%

Capa do livro

A capa do livro é perfeita. Romney está sorrindo porque venceu entre os grupos que precisava vencer. Obama está esboçando um tímido semblante de satisfação. Essa satisfação é expressada pelo fato de Obama ter visto que o sólido apoio das minorias já seria o suficiente para não precisar vencer entre os independentes. Logo, a vitória de Obama foi o sinal que a Nova América deixou a América tradicional pra trás.

Quer ler o livro de graça? http://books.google.com.br/books/about/Barack_Obama_and_the_New_America.html?id=mYtS8ULIKWQC&redir_esc=y

Anúncios

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s