Comentário da semana: Será que apenas criticar o Jean Wyllys é homofobia?


Comentário da semana de hoje veio da postagem Danilo Gentili, o nada gentil, e Jean Wyllys brigam pelo twitter. Vejam abaixo:

 

Comentário da semana

Homofóbicos e religiosos como vcs são tão burros, cientificamente provado, que não entenderam o ponto que o Jean quis dizer.
Os héteros mortos não foram mortos por serem héteros.
Ao contrário dos gays.

Fechem os olhos mesmo. Amanhã será um filho de vocês.

 

Fica aqui o meu direito de resposta:

Caro Mauro, obrigado pelo comentário.

Esse blog está aberto ao debate franco de ideias.

Não critico a homossexualidade. Isso não cabe nesse blog. Tampouco uso argumentos religiosos, não creio que isso seja correto.

Você me julgou de duas coisas: homofóbico e religioso. O nome disso é calúnia. No entanto, você está lidando com uma pessoa equilibrada que sabe que a homofobia existe e que mensura o sofrimento que você deve sofrer. Em função disso, você está perdoado.

Vou deixar claro que nunca critiquei os gays, mas sim os ativistas gays, que gostam de rotular de homofóbicos e de fundamentalistas qualquer tipo de crítica. Graças a deus a maioria dos gays não são tão desonestos intelectualmente para fazer tal coisa.

Você disse que está cientificamente comprovado… no entanto, não há como saber se todos os crimes contra homossexuais são praticados por homofobia, crime passional ou crime comum. Uma delegacia do Espirito Santo resolveu apurar os 27 casos de suposta homofobia e descobriu que 22 desses suposto casos eram motivados por crimes passionais.

VEJAM O VÍDEO ABAIXO A PARTIR DO MINUTO 31:30!

 

Conclusão

Engraçado. Eu já critiquei o papa, pastores, até deus, mas nunca recebi críticas tão agressivas quanto como as que recebo quando critico o deputado Jean Wyllys. Ora bolas! Ser contra um deputado homossexual não significa ser homofóbico. Isso é desonestidade intelectual (se bem que todo o homofóbico será claramente contra um deputado gay).

Clodovil, polêmico e coerente

 

Por exemplo, Clodovil Hernandes era gay assumido e louvo a atitude dele em propor a PEC 280( que diminuiria os gastos do governo com esses deputados bandidos). Em contrapartida, o deputado Jean Wyllys, que também é gay assumido, defende que os deputados não ganham muito e critica aqueles que almejam “uma vida franciscana” para o legislativo.

Motivação homofóbica

Quanto ao comentário da semana, tive que relevar o que a pessoa disse, pois claramente ela não estava numa situação favorável. Como já falei aqui, nem todo o assassinato de homossexual é homofobia, da mesma forma que nem todo o assassinato de héteros é heterofobia. Para ser configurado crime de homofobia, deve-se haver motivação homofóbica por parte do agente do crime.

Ex: um homem estava abraçado com seu filho e um homofóbico cortou sua orelha com uma foice por achar que ele era gay. Nesse caso, a vítima não era gay, mas o crime foi praticado por motivação homofóbica. Logo, esse é um caso de crime homofóbico.

Agora vamos dar um outro exemplo:

Ex: João, gay assumido, é vítima de latrocínio. A vítima é gay e o criminoso hétero, mas não há motivação homofóbica. Logo, não é homofobia.

Ex: João e Juan estão andando na rua quando o ex-namorado de Juan, indignado com a traição, resolve se vingar. Não vamos presumir que isso possa ser homofobia.

Portanto, todos esses casos que são considerados crimes de homofobia devem ser analisados antes para que possamos chegar a uma conclusão honesta. Como pudemos ver no vídeo acima, menos de 20% dos casos de fato eram motivados por homofobia.

Isso prova:

1- Existe homofobia e gays são mortos por serem gays;

2- Nem todo caso de violência contra gays é realmente homofobia.

Homofobia

Homofobia significa aversão irreprimível, repugnância, ódio, preconceito que algumas pessoas, ou grupos nutrem contra os homossexuais. Bem, no comentário dessa semana eu fui chamado de homofóbico. Gostaria de salientar que eu nenhum momento denotei aversão, ódio ou preconceito contra homossexuais. Todos merecem respeito; porém, o respeito a uma pessoa não nos isenta de criticá-la educadamente quando necessário .

 

 

Anúncios

3 comentários

  1. Boa!
    Um outro problema são alguns professores de ótimas instituições que defendem esses ativistas gays, com discursos cheio de ódio. Afinal de contas, eles falam bem, sabem usar as palavras o que faz com que os alunos comprem essa ideia com facilidade…

    Curtir

    • A doutrinação esquerdista nas escolas é um fato. Eu mesmo sai do ensino médio com ideias horrorosas por causa desses professores. Felizmente a vida me deu a oportunidade de conhecer novas ideias.

      Cara, no colégio eu tinha um professor marxista que ficava achincalhando os alunos que tinham religião e que falava mal dos EUA a todo tempo. É um saco conviver com quem tem ódio no coração. No entanto, nosso dever é sermos pragmáticos e não usarmos da mesma desonestidade intectual da qual somos vítimas.

      Se eles apelam ao ódio, nos temos que rebater com amor. Se apelam para a ignorância, temos que rebater com a coerência.

      É importante frisar que existem pessoas boas e ruins em todos os pontos do espectro político. Não é por causa de discordâncias que vamos querer defenestrar os outros.

      Curtir

  2. Esse deputado é um chorão. Tudo pra ele é ofensa, exceto aquilo que prega a maldita ditadura gayzista que todo mundo é gay e mimimimi. Tá na cara que ele se vitimiza pra conseguir votos, tipo “Ain… Tadinho de mim”.

    Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s