10 motivos para ser a favor da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro

1- Lucro & cultura

A JMJ é um importante evento internacional que trará milhões de reais para a cidade do Rio de Janeiro devido ao turismo. Segundo o jornal espanhol La Razón, a JMJ em Madrid não custou nada aos bolsos do contribuinte e ainda trouxe 100 milhões de euros de benefícios para a cidade.

Um relatório divulgado pela organização da JMJ de Madri, mostrou um impacto de aproximadamente R$ 920 milhões . O estudo, realizado pela PwC, apontou que os gastos feitos por estrangeiros em Madri foram de 147 milhões.

Indicativos históricos mostram que os peregrinos permanecem no país de 4 a 6 dias a mais. Assim, ao visitarem a cidade, entram em contato com a cultura e seu interesse em retornar ao país de novo aumenta. Logo, sediar um evento desta magnitude é um positivo para  empresas,  restaurantes, hotéis, e etc. Na Espanha, o impacto econômico da JMJ foi de 5 mil postos de trabalho.

2- Chefe de Estado

Os gastos com a proteção do Papa não ferem a laicidade do Estado, pois além de ser chefe religioso, é chefe de Estado do Vaticano.

3- Preparação

O evento é uma importantíssima preparação para o Rio, que em breve sediará Copa e Olímpiadas. Na JMJ poderemos ver se principalmente o setor hoteleiro da cidade está preparado para receber uma grande quantidade de turistas ao mesmo tempo.

4- Incentivo à paz 

O evento é uma concentração pacífica e ordeira de pessoas que, na contramão de todas as tendência, irão pregar a paz e a tolerância entre a s nações. Em relação aos outros grandes eventos, esse é o que certamente é o que trará menos turismo sexual, brigas, consumo de drogas, mortes e etc.

5- Estado laico

O JMJ não viola a laicidade do Estado. Se violasse, outros países muito mais progressistas que o Brasil (Espanha, Austrália, Alemanha,etc) não teriam sediado o evento. De fato, o Estado brasileiro não parece ser laico, mas sim anti-cristão. Digo isso porque o dinheiro público é gasto para promover, realizar e divulgar as “passeatas LGBT`s”, “Carnaval”, “Viradas culturais”; todos esses eventos que promovem valores, comportamentos e crenças engajadamente contrários aos valores da maioria dos nossos contribuintes, que são cristãos. 

6- Custo

O custo da JMJ é muito menor que o custo o que o Estado gasta com Carnaval, das “Viradas Culturais”, das “Passeatas Heterofóbicas”, da “Festa da Virada” e outros tantos eventos marcados por mazelas, consumo de drogas e criminalidade. A razão pela qual esses eventos não recebem críticas e a JMJ é atacada duramente é porque parte dos dois grupos emergentes do nosso país (crentes e ateus/agnósticos) não veem com bons olhos a visita do Papa no Brasil.

7- Investimento

No Brasil, gastar dinheiro público com festas promíscuas como o Carnaval é considerado cultura, mas promover um evento que celebra a confraternização e a fé é considerável um pecado imperdoável. O evento não somente promove retorno financeiro como também promove a divulgação de valores que são benéficos para toda a sociedade. Sendo assim, os gastos com o transporte e  segurança e a isenção de impostos para as patrocinadoras do evento estão justificados.

Abaixo reproduzo três pontos importantes extraídos do site humanitates sobre as mentiras da mídia manipuladora:

8. O blog do senhor Paulo Lopes, veiculando reportagem da Folha de São Paulo, afirma que 25 milhões de reais serão gastos com transporte dos peregrinos, durante a JMJ.

Resposta: Falso! A reportagem do jornal fala de doação do governo que ainda não foi realizada, nem se sabe se será. Toda a verba pública alocada na JMJ até hoje trata dos 5 milhões, alocados para segurança, transporte e logística, realizada por meio de solicitação pública, para um Chefe de Estado. Muito menos que o dinheiro gasto para o Carnaval do Rio de Janeiro, em 2013 (cerca de 35 milhões), ou Virada Cultural paulista (cerca de 10 milhões).

9. No mesmo artigo, o senhor Paulo diz que a participação do governo municipal e estadual está vedada, por causa do suposto caráter laical do estado brasileiro.

Resposta: Falso! Os governos citados estão relacionados como parceiros porque o Papa Francisco é um diplomata! Ele é o Chefe de Estado de um país livre e com governo reconhecido. Se qualquer líder de uma nação vir à cidade, ele deverá contar com o apoio das autoridades, em nível municipal, estadual e federal, segundo a solicitação da organização.

10. O blog protestante Gospel + faz coro ao blog ateísta Paulo Lopes e critica a JMJ, dizendo que o evento gastará 118 milhões dos cofres públicos.

Resposta: Falso! O articulista, o senhor Tiago Chagas, usa como fonte do seu artigo informações do Globo, mas sem dar a fonte, que é esta. No artigo de O Globo podemos ler que grande parte do dinheiro é destinado à ações de segurança. Além disso, a própria articulista do jornal avisa que em Madrid o retorno financeiro da JMJ foi de 200%.

Anúncios