Direito de matar bebês na Bélgica

O Parlamento belga está prestes a expandir suas controversas políticas sobre o “direito de matar”(aborto)  para incluir o acesso à eutanásia para algumas crianças gravemente doentes.  Um consenso entre os membros do legislativo já teria sido formado para permitir que as crianças escolham se submeter à eutanásia em certos casos, de acordo com um relatório no jornal diário belga Der Morgen.

Se a eutanásia infantil for legalizada na Bélgica, o país se tornaráo primeiro no mundo desenvolvido a permitira prática, embora na Holanda tem, desde 2005, os médicos não são processados ​​por realizarem eutanásia em alguns menores de idade.

Caso o parlamento realmente passe essa lei, o direito à vida ficará ainda mais mitigado. Se antes, na Bélgica, para ter direito à vida era necessário não ter sido concebido por uma mulher com vontade de abortar; agora, esse direito de escolher viver ou não será passado para as pobres crianças.

Infanticídio legalizado na Holanda

É cada vez mais comum o ataque à vida humana na na Bélgica e nos Países Baixos (ver aqui e aqui). Um terço dos enfermeiros belgas já realizou uma eutanásia ilegalmente e em um terço dos casos, foi involuntário, embora a lei não permite isso. O perigo é que filhos apliquem a eutanásia em idosos para ficar com a herança. Por isso a legalização da eutanásia é um perigo.

Protocolo Groningen, a cartilha da morte
De acordo com o ‘Groningen Protocol’, bebês com deficiência podem receber dado injeções letais na Holanda. Isso mostra como, depois de mais de 70 de fim do nazismo, a ideologia da eugenia volta com força total. Em países onde o aborto(morte de indefesos) é visto como um “direito” da mulher, parece que os políticos pouco a pouco perdem o pudor de matar. Se matar uma criança de 9 meses no útero é legal, por que matar uma de 1 mês de vida não poderia ser também?

Dados sobre a eutanásia:

1. Quase metade dos enfermeiros que aplicaram eutanásia na Bélgica admitiram ter matado sem consentimento, apesar do fato de que a eutanásia involuntária é ilegal e que os enfermeiros não estão autorizados a realizar a eutanásia, mesmo voluntária.

2. Na Bélgica, quase a metade de todos os casos de eutanásia não são reportados ao Controle Federal e Comissão de Avaliação. Requisitos legais não são cumpridos em casos não notificados. O pedido por escrito para a eutanásia estava ausente em 88%.

3. Um estudo recente descobriu que na parte flamenga da Bélgica, 66 de 208 casos de “eutanásia” (32%) ocorreram na ausência de pedido ou consentimento.

4. De acordo com um relatório recente, a Bélgica é agora a ‘líder mundial’ em remoção de órgãos após a eutanásia com pelo menos nove casos desde 2005, mas há indícios que essa deve ser bem maior.

5.  Aumento em 5.000% em casos de eutanásia belgas em 11 anos desde a legalização.

6. Resumo dos desenvolvimentos recentes na Holanda documentam um aumento de 15-20% em casos de eutanásia por ano desde 2006 (dá uma boa visão geral da situação global).

7. 12,3% das mortes são por sedação.

Anúncios