Copa de 98

Anos atrás, em 1998, vários boatos surgiram que o Brasil teria entregado a final da Copa do Mundo para a anfitriã, França. Antes do jogo, Ronaldinho passou mal e rolou uma polêmica sobre sua escalação. Bebeto, evangélico, foi o único jogador que deixou escapar alguma coisa, dizendo que o Brasil jamais descobriria o que ocorreu antes do jogo.

Copa comprada

Depois que um perfil no twitter teria adivinhado o resultado do jogo, muitos levantaram suspeitas em relação ao resultado, creditando o placar a decisões além do esporte. “A Espanha está vendida. Que decepção”, lamentava no Twitter um espanhol, levantando uma questão comum em ocasiões do tipo, quando uma equipe considerada imbatível acaba massacrada em campo. Na rede social, ele desabafava sua insatisfação com o time de seu país a cada lance.

As “teorias conspiratórias” começaram logo nos primeiros minutos da segunda etapa, por volta das 20h10. Naquele momento, a seleção espanhola acabara de perder um pênalti e se via na urgência de reverter o placar adverso, que já marcava 3 a 0. A principal teoria seria que a Fifa ou o governo brasileiro teriam comprado o time espanhol para abafar os protestos, assim retirando os riscos da Copa de 2014.

Veredito do ACID

Por mais que o time espanhol estivesse jogando melhor que o Brasil antes do jogo, o desempenho pífio foi suspeito. No entanto, esse revés é coisa dos deuses do futebol. Seria impossível comprar jogadores milionários para que entregassem um torneio internacional. Ninguém sai do seu país para ganhar dinheiro para perder numa final de campeonato.

Anúncios