Abrindo os olhos

A paciêncio do eleitor americano frente aos abusos e fracassos do havaiano Barack Obama parece estar começando a chegar ao fim. Em menos de um mês a aprovação do demo saiu de 53% para 45%; já sua desaprovação saltou de 45% para 54%. Isso é um sinal claro de que boa parte do eleitorado enganado por Obama em 2012 começou a abrir os olhos. Diferente do que ocorreu com Bush, que por causa da crítica dos conservadores, chegou a 30% de aprovação, Obama ainda conta com um eleitorado alienado o suficiente para morrer abraçado com ele.

Apenas um cadáver

Desesperado e sem absolutamente nada em mãos, apenas o cadáver de Bin Laden parece ser o único feito do havaiano. Tirando isso, sua reforma da saúde está tirando o sono de muitos empresários e já tem gente prevendo demissões. As denúncias de abusos se acumulam enquanto a boa vontade da imprensa liberal em safar a barra do queridinho começa a dar sinais de cansaço.

Usando o sangue das crianças

O havaiano em pouco tempo parece ter perdido todo o capital político. Sua tentativa de restringir a venda de armas fracassou, mesmo ele tentando usar a morte de crianças de Newtown para coercer o senado. Já a reforma da imigração deve sair, mas tudo depende da boa vontade dos políticos republicanos.

Rinos x Chá

A ala liberal dos republicanos (RINOs) defende uma reforma que facilite as condições de quem está ilegal no país e queira pagar seus impostos, já a ala conservadora (Tea Party) repudia qualquer tipo de anistia a quem entrou no país infringindo as leis. Muito se fala que uma reforma da imigração pode ser benéfica para o partido republicano. Mentira. O melhor presidente da história dos Estados Unidos, o imcomparável Ronald Reagan, anistiou 3 milhões de ilegais. Como agradecimento, o eleitorado latino concedeu aos democratas expressivas votações desde então.

Assado na Síria

Agora o havaiano sismou que só agora os EUA devem intervir na Síria. A favor de quem? Claro, dos rebeldes islâmicos que estão decapitando cristãos e alauítas. Esse movimento geopolítico bushiano tem causado a indignação até dos mais neocons, que não veem necessidade de alimentar rebeldes depois do que aconteceu na Líbia e no Egito. Assad pode ser ruim, mas pelo menos é um ditador secular que protege as minorias. Obama agora quer desviar a atenção criando uma intervenção bem sucedida, mas um fracasso nas montanhas sírias pode coroar com chave de outro o  mandato desse que é o pior presidente de todos, todos, todus…

Anúncios