Recado sobre a minha saúde: cura gay, cura do recalque e a cura do meu dedão do pé


Obs: a foto acima foi publicada meses atrás. Meu dedo estava todo roxo até antes da operação. Publicado no meu facebook:

ScreenShot008
Olha só que maravilhoso! Estou discordando de uma musa do funk carioca. Quer dizer que agora quem ganha a vida exibindo a bunda e xingando palavrão tem moral para falar de alguém?

Minha cirurgia

Gente, gostaria de compartilhar algo que me ocorreu hoje. Depois de mais de 5 meses sentindo muitas dores por causa de uma inflamação crônica do dedão do pé, resolvi fazer a cirurgia. Espero que o meu dedo fique bom, mas felizmente hoje eu fiquei sabendo de algo realmente positivo que aconteceu no Brasil.

Ousadia

A Comissão de Direitos Humanos aprovou corajosamente a PDL 234, apelidada pela mídia canalha como “Cura Gay”. A mídia tem feito de tudo para manipular a população quanto a esse tema, assim como fizeram com o “bolsa estrupo” e o “bolsa crack”. Todos sabemos que não existe cura gay porque não se trata de uma doença.

Ditadura

Acabei de ler a PDL e em nenhum momento ele trata de curar quem quer que seja. Apenas revoga o art. 3 e 4 da resolução do CFM que cassa o registro de psicólogo que “emitir opinião negativa a cerca da homossexualidade”. Essa resolução facista impede um homossexual de, por sua própria vontade, procurar a ajuda profissional, e também impede um psicólogo honesto com posição desfavorável a homossexualidade de exercer sua profissão.

Recalque

Portanto, a “Cura Gay” apenas resguarda o direito profissional dos psicólogos e o direito de escolha dos homossexuais. Não sedeixem enganar. A única cura que precisamos é para o recalque desses mentirosos que ficam mentindo sobre a PDL 234. Aliás, orem pelo meu dedo do pé, a cura gay não existe, mas a cura do meu dedão pode estar próxima.

6 comentários

  1. Desculpe dizer , mas a resolução não impede o homossexual de ser atendido.O que não pode é o profissional afirmar que a homossexualidade é algo patológico e assim fazer uma reorientação para o paciente se “tornar” heterossexual.Se não é doença não tem como se reorientar ,processo semelhante a uma “cura” já que a CID retirou a homossexualidade da lista de classificação de doenças.O homossexual tem toda a liberdade de ser atendido,mas não para ser reorientado ,se tornar um heterossexual, até porque não é doença.Como não é doença para que reorientar?O máximo que o profissional deve fazer é aliviar seu sofrimento,ajudar para que ele se aceite do jeito que é.Obrigado por esse espaço.Boa tarde.

    Curtir

    • Caro Junior, obrigado pelo comentário e pela educação. Esses posts sobre “cura gay” geralmente são um prato cheio para ofensas a minha pessoa. Obrigado pela polidez, por consideração a você irei publicar seu comentário, sem que antes eu possa demonstrar algumas informações que a mídia manipuladora esconde.

      1-Você leu a PDL 234? Pelo visto, não. A PDL 234 POR NÃO RETIRAR A PRIMEIRA PARTE DO ART 3° DA RESOLUÇÃO DE 1999 DO CFP DEFINIA QUE HOMOSSEXUALIDADE NÃO É DOENÇA, ou seja, a própria lei que a mídia manipuladora afirma que é a “cura gay” deixava claro que é proibido a considerar a homossexualidade como patologia.

      EM OUTRAS PALAVRAS A PDL 234 ESTABELECE:
      Art. 3° – os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados.

      2- Caro Junior, nem tudo que é tratado no psicólogo é considerado doença; Certa vez fui tratado por causa de rebeldia, sendo que rebeldia não é doença, nem tem CID. Sendo assim, esse dogma de que tudo que é tratado seja doença é falacioso.

      3- Outra coisa é que não existe um consenso se psicologia é ou não uma ciência, sendo que não há como fazer provas empíricas de suas teses.

      4- Outra questão é que a ciência(a genética) ainda não fechou o assunto do que viria a ser a homossexualidade e quais seriam suas reais raízes. Pela extrema complexidade do tema, o correto seria o CFP tomar uma decisão apenas depois que houvessem provas científicas cabais sobre a origem da homossexualidade, que certamente não é uma doença( era considerada um “distúrbio psiquíco” no passado).

      5- Por mais que os tratamentos de reversão sejam polêmicos e dúbios, há psicólogos que conseguem ter 27% de sucesso em seus tratamentos de reversão. https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&cad=rja&ved=0CC4QFjAA&url=https%3A%2F%2Fen.wikipedia.org%2Fwiki%2FConversion_therapy&ei=xP3eUdi_KpC2rgGg_4HQCA&usg=AFQjCNFOFNsFPYZ8o6SkJqc1k4F2ZFiL-w&sig2=By16Rb3BB-FNUUG668OXlw&bvm=bv.48705608,d.aWM

      6- Se o indíviduo deseja se tratar por sua própria vontade, é um direito dele fazer o que quer com sua vida, não cabendo a mim, a você ou ao governo orientar sua sexualidade.

      7- Para colocar uma pá de cal nesse assunto, psicologia não cura ninguém, sendo que psicólogo não tem poder para arbitrariamente receitar remédios. Sendo assim, sua tarefa é tratar da condição humana.

      8- O que deve ser tratado no psicólogo, e já conversei com psicólogos sobre o tema, é a homossexualidade egodistônica – aposto como a mídia jamais falará sobre isso -, que é quando a pessoa é homossexual mas não se assume como tal. Essa disparidade causa angústias, psicoses e uma série de mazelas que afetam a psiquê humana. É por causa da homossexualidade egodistônica que existe a reversão.

      9- E o caso dos tais ex-gays? Será que nenhum deles conseguiu a reversão? E quanto aos héteros que na andropausa, quando chegam aos 50 anos, se tornam homossexuais? Esse é um fenômeno cada vez mais comum. Quer dizer que um hétero pode virar gay, mas é impossível um gay virar hétero?

      10- As inconsistências da resolução do CFP são muitas e dariam por si só um texto apenas para apontar suas afrontas às liberdades individuais. Como é o fato dela cassar o registro de um psicólogo, que fora do ambiente profissional, emitir uma opinião contrária a homossexualidade. Isso é censura. Já pensou se o seu órgão de classe resolvesse tirar o seu ganha-pão em virtude de uma mera opinião dada fora do ambiente de trabalho?

      Mais uma vez obrigado e volte sempre. Abraços!

      Curtir

  2. Olha ,o CFP há mais de 10 anos anda de mãos dadas com a diversidade sexual.Depois que a bancada parlamentar evangélica se formou tudo virou polêmica não só no mundo GLS,mas como também em outras situações,como a PEC 11/99 que garante o direito de determinadas entidades religiosas o direito de declarar as ação de constitucionalidade e ação de inconstitucionalidade em detrimento das outras religiões minoritárias como a afro-brasileira,e também é uma afronta ao Estado laico.Tudo que está acontecendo é fruto de conceitos dogmáticos religiosos;por pura convicção religiosa estão querendo retirar essas resoluções, é de se espantar que seu autor é um deputado evangélico .O presidente da CDHM, cujo nome não vou pronunciar,quer a todo custo quebrar essa aliança, parece que estão querendo humilhar os LGBTs depois de mais de 10 anos de aliança com o CFP ,seria injusto que essas resoluções fossem retiradas logo por deputados religiosos.Agora,acredito que não exista “ex-gay” Sabe por quê?Porque não tem comprovação científica.No caso dos religiosos ainda é mais incoerente essa situação porque se os religiosos não acreditam que a homossexualidade é genética por ainda estar no campo da hipótese,pra que acreditar,então, em um indivíduo que se diz ser ex-gay sem nenhum respaldo científico?Pelo que sei ciência não se faz só com testemunhos,tem que haver algo que comprove se a pessoa deixou de ser gay,se não tem ,não adianta.Já houvi dizer de uma pessoa que deixou a prática,mas seu desejo continua(como o a pastora lésbica Lanna Holder).Essa é a verdade sobre essas reversões.Deixam a prática ,mas seu desejo continua. Agora homossexualidade egodistônica não é para virara motivo de reversão,mas sim atender seu sofrimento,curar a depressão que isso pode causar no indivíduo,fazer com que a pessoa possa se aceitar do jeito que é.Desculpe se eu fui incoerente ou fugi do assunto,respeito muito as religiões,mas quando ela passa a querer passar por cima da cidadania das pessoas aí sou obrigado a ser contra.Abç.

    Curtir

    • 1- Obrigado pelo comentário. Sua opinião enriquece.

      2- A psicologia foi até os anos 80 um ramo apoiador da homofobia; agora, a CFP, ao meu ver, quer compensar esse absurdo com excessos. Veja o documentário abaixo para ver como a homossexualidade era tratada nos anos 60. Os depoimentos dos “gays” eram quase todos assim:”Eu estava normal ai do nada tive vontade e fiz”.

      3- Já escrevi aqui no blog da PEC 11. Não creio que ela feriria a laicidade em sentido estrito, mas é injusta, incoerente e é um privilégio.

      4- Não vou entrar no mérido do Feliciano porque é muita polêmica. Jamais votaria nele, não compactuo com as crenças religiosas dele, mas sou favorável a sua posição na CDHM, pois ele foi eleito de forma democrática. Além disso, ele é um boi de piranha. Nem me lembro de um presidente de CDHM antes dele(existe desde 95), ainda mais um que fosse melhor que ele.

      5- É bom não misturar religião. Uma coisa é a reversão praticada com a ajuda de um psicólogo, outra, totalmente diferente, são esses exorcismos que ocorrem em algumas igrejas.

      6- Sou formado em economia e estatística, duas ciências exatas. Psicologia não é uma ciência exata, é uma ciência humana. Há quem duvide até que seja ciência. Sendo assim, não cabe esse argumento de ter que provar para legitimar tudo na psicologia. Até Freud alegava fazer reversão. http://en.wikipedia.org/wiki/Sigmund_Freud's_views_on_homosexuality

      7- Se um indivíduo homossexual egodistônico quer porque quer tentar, quem sou eu para legislar sobre a vida alheia? O governo está no seu direito quando impede que você faça mal a outrem, ele vai além quando impede que você faça mal a si mesmo. Sendo assim, ainda que o índice de sucesso da reversão fosse 0%, o indíviduo deve ter liberdade para fazer suas próprias escolhas.

      8- Pessoalmente, tenho 0% de fé na reversão. É preciso ter o bom senso de perceber que é muito estranho imaginar que um tratamento psicológico possa fazer uma pessoa que gosta só de homem gostar só de mulher. No entanto, muitas vezes a pessoa só quer se livrar mesmo da prática. Os ex-gays que conheço creio eu que se encaixam nesse caso. Certa vez conheci um ex-gay que era completamente efeminado e que não tinha relações com mulheres. Segundo ele, era o ato que o encomodava. Um caso interessante que já vi foi o de um casal de homossexuais que passou a ir numa igreja evangélica. Nesse caso não houve ajuda psicológica alguma, ou seja, não houve o tal método de reversão.

      9- Me desculpe se você é homossexual e te ofendi de alguma forma. Uma coisa muito comum que acontece nos debates educados que tenho com homossexuais aqui é que muitas vezes o homossexual que está discutindo comigo usa argumentos que seriam perfeitos contra um religioso. Essa tática é conhecida como espantalho. Já estou acostumado. Não piso numa igreja a anos e em nenhum momento citei biblia, alcorão, torá,etc. Gosto de basear meus pontos de vista em fatos.

      10- Veja esse documentário gay. Ele é bem interessante:

      abraços

      Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s