Bem, como sempre, estou expondo os dois lados do debate. Sou completamente favorável a liberdade de religião. Então creio que todos podem crer naquilo que quiserem. Dessa forma, alguém que acha que homossexualidade – ou qualquer outra coisa – é pecado, deve ter a mesma liberdade para expressar suas crenças quanto as pessoas que creem que não é pecado.

Esse é o primeiro de uma longa série de textos que já escrevi sobre a homossexualidade e a religião. Por mais que eu seja tudo na minha vida menos imparcial, acho justo que numa discussão haja a exposição dos dois lados. No Brasil, basta você expor os dois lados para ser acusado de tudo que você pode imaginar (retrógrado, machista, sexista, racista, homofóbico, etc). Expor as ideias dos dois lados é bom porque assim se sabe quais são os argumentos dos seus adversários e qual é a maneira de refutá-los.

Na segunda parte desse post veremos quais são os principais argumentos que religiosos usam para afirmar que a homossexualidade é pecado. Nessa parte veremos argumentos religiosos contrários a ideia de que a homossexualidade seja um pecado. Cada um leia as duas partes e tirem suas próprias conclusões.

10 motivos pelos quais a homossexualidade não seria um pecado

1- Jesus

Em nenhum dos 4 evangelhos Jesus condenou a homossexualidade. Como todos sabem, Jesus andava com o que existia de mais marginal na sociedade de seus dias (cobradores de impostos, prostitutas, etc). É difícil imaginar que não existiam homossexuais em Israel naquela época e que Jesus não conviveu com nenhum deles. Mesmo assim, Jesus não só nunca condenou a homossexualidade como sempre descarregou suas exortações nos religiosos hipócritas de sua época.

2- Levítico

Segundo o Velho Testamento, a homossexualidade é abominável aos olhos de deus. É preciso considerar a realidade daquela época e as condições em que as pessoas viviam. A taxa de mortalidade era enorme. Por isso havia a necessidade de se ter altas taxas de natalidade para que o povo continuasse existindo. Quanto a parte em Levítico que diz que devemos condenar a homossexualidade, ela é totalmente avessa aos ensinamentos amorosos de Jesus. Se tomarmos esse versículo ao pé da letra, excluindo ele de seu contexto, teremos que tomar todos os outros versículos do Velho Testamento também ao pé da letra. Teremos que guardar o sábado, sacrificar animais, apedrejar adúlteras, etc.

3- Romanos

Romanos é o texto mais usado para condenar homossexuais:

“Pelo que Deus os entregou aos desejos de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si…pelo que Deus os abandonou às paixões infames. Até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. Semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, inflamaram-se em sua sensualidade uns para com os outros, HOMEM COM HOMEM, cometendo torpeza, e recebendo em si mesmos a penalidade devida ao seu erro… estão cheios de toda iniquidade, prostituição, malícia, avareza, maldade, inveja, homicídio, contenda, engano e malignidade. Embora tenham conhecimento da justiça de Deus (que SÃO DIGNOS DE MORTE OS QUE TAIS COISAS PRATICAM), não somente as fazem, mas também aprovam os que as praticam” (Romanos 1.24-32).

Fica claro que essa passagem é totalmente tirada de contexto para condenar os homossexuais. No texto, Paulo critica a promiscuidade da sociedade romana que acabou por fazer com que até homnes deixassem o uso natural deles para se inflamarem com outros homens. Logo, não se trata de homossexuais, mas de heterossexuais que por causa de toda a corrupção e hedonismo da cultura romana resolvem por sua própria vontade mergulharem no pecado.

Importante ressaltar que aqui Paulo não se refere aos gays de nascimento (supondo que existam), nem aos gays que assim se tornaram pela via de um trauma, mas aqueles que, sendo heteros, conscientemente escolheram viver essas experiências homossexuais também. Digo isto, pois é impossível que se alguém tenha nascido gay, seja já entregue a tais desejos sem nem mesmo dizer se glorifica ou não a Deus.

No verso 21, encontramos: “não o honraram como Deus” e logo em seguida dos versos 23-25 percebemos que o texto se refere ao pecado da idolatria. Nos versos 26-27, vemos o abandono do seu desejo natural, do seu prazer natural a uma vida de prática sexual desumanizada.

Mais uma vez o texto trata a relação sexual que não é advinda de um gesto de amor, de complemento de vida, de carinho, de unidade, mas “contra” a natureza. Pergunte a um homossexual o que é natural para o mesmo? É amar a uma pessoa do seu mesmo sexo? Você se complementa em amor igual a você ou com alguém de gênero diferente? O natural para um homossexual é se relacionar com alguém do mesmo sexo.

4- Genética

Graças aos últimos avanços da tecnologia, podemos presumir que a homossexualidade é causada em grande parte pela genética. Por isso, existem casos de bebês com estrutura física totalmente masculina e um funcionamento cerebral feminino – transexual. Além do mais, não é justo que alguém seja pecador apenas em função de algo que não teve escolha. Nenhum homossexual escolhe nascer homossexual. Que tipo de divindade jogaria no inferno alguém apenas por ter nascido com determinada orientação?

5- Sexo

A sexualidade é um componente intríseco a vida humana. Mas se não está nos planos de Deus, porque então Ele criou pessoas homossexuais? A sexualidade é de fundamental importância para todas as pessoas. Como pode Deus privilegiar algumas pessoas, criando-as heterossexuais, e condenar outras a viver uma castidade imposta? Há muitos que criticam o fato de o clero não casar, mas esquecem que todos que aderiram a esse modo de vida o fizeram por livre vontade. Mas as pessoas homossexuais que querem e precisam viver a sua sexualidade, não.

6- Sodomia

Muitos julgam a homossexualidade porque acham que os homossexuais são sodomitas. Vejamos o que a bíblia diz sobre a sodomia. O profeta Ezequiel revela o verdadeiro pecado de Sodoma: “Eis que esta foi a iniqüidade de Sodoma, tua irmã: Soberba, fartura de pão, e abundância de ociosidade teve ela e suas filhas; mas nunca fortaleceu a mão do pobre e do necessitado.” (Ezequiel 16, 49). Sodoma cometeu abominação por sua constante hostilidade, segregação e agressão ao ser humano. Trazendo esta questão para os nossos dias, podemos afirmar que o papel “sodomita” atualmente é desempenhado pelas próprias igrejas homofóbicas, pelo alto grau de rejeição a seres humanos, vidas, enfim, a toda uma comunidade de pessoas que Deus aceitou em amor.

7-Natural

Jesus condenou, sim, os hipócritas, os ladrões, os mentirosos e intolerantes. Cada vez mais, importantes teólogos e estudiosos da Bíblia confirmam que também os homossexuais foram criados por Deus, pois nasceram assim do ventre materno (Mateus, l9-l2). E que todas aquelas passagens bíblicas que são citadas contra os homossexuais, ou foram mal traduzidas ou mal interpretadas.

8- Coríntios

“Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem “malakoi”, nem “arsenokoitai”, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus.”

Nesta passagem, temos dois termos que chamam a atenção. O primeiro, “malakoi”, foi traduzido pela versão de Ferreira de Almeida, da Bíblia em Português, como “afeminados” e o segundo na mesma versão “arsenokoitai”, como “sodomitas”.

Em Português, temos a “Bíblia de Jerusalém” que é atualmente a melhor tradução das Sagradas Escrituras no mundo, onde teólogos judeus, cristãos e protestantes traduziram do hebraico, aramaico e grego para o francês sem intermediações pretensamente tradutológicas que acarretariam em qualquer distorção. As palavras que mencionamos de 1 Coríntios 6, 9 foram traduzidas pela Bíblia de Jerusalém da seguinte forma: “malakoi” como “depravados” e “arsenokoitai” como “pessoas de costumes infames”.

9- Timóteo 1,10

Já em 1 Timóteo 1,10 a palavra “arsenokoitai” se repete e veio na versão da Bíblia de Jerusalém como “pederastas”, ou seja, adultos que fazem sexo com crianças.

10- Velho Testamento

No evangelho de Mateus, Jesus nos fala que: “Tudo o que vocês desejam que os outros façam a vocês, façam vocês também a eles. Pois nisso consistem a Lei e os Profetas” (Mt 7, 12). Portanto, a Lei do Velho Testamento que dizia que a homossexualidade deveria ser punida com a morte foi substituída pelo amor a Deus e ao próximo. Além do mais, mesmo que a sodomia fosse pecado,  a homossexualidade não se consiste no coito anal. Beijo, abraço, carícias, todos esses atos já caracterizam  homossexualidade.

Anúncios