Boato sobre fim do 3 meses do Bolsa Família gera filas enormes e confusão no Rio e no Nordeste


Notícia (Folha)
Movidos por boatos que diziam que o Bolsa Família seria suspenso, milhared de beneficiários correram para as enormes filas da Caixa Econômica do Rio, repetindo o que já acontecera no Nordeste essa semana.

Boato
O boato foi desmentido, mas os beneficiários não arredaram pé das filas. “Estão avisando na minha comunidade que o governo vai pagar os próximos 3 meses até domingo e cancelaria tudo. Minha vizinha pegou o dinheiro dela, disse que o governo quer economizar cpara fazer as festas do papa”, afirmou uma moradora do Complexo da Maré, que com dois filhos, recebe R$ 134.

Histeria
Às 17h03 deste domingo, os caixas pararam por falta de dinheira. Quando o primeiro popular disse que o dinheiro acabara, a gritaria foi generalizada.

Vi na internet
“As pessoas dizem na minha rua que o governo vai cortar o dinheiro”, disse uma moradora do Morro do Adeus, mãe de 4, recebedora de R$194. “A internet está dizendo que o Bolsa Família será suspenso por 3 meses. Algumas amigas receberam ontem esses 3 meses e estou aqui para receber os meus outros 2”, disse uma moradora da Maré.

Meu dinheiro
“Quem vai acreditar em político aqui? Vou ficar até meia-noite nessa fila para receber meu dinheiro“, disse uma mãe de 3 filhos.

VEJA OS 16 PRECIOSOS SEGUNDOS ABAIXO E TIRE SUAS CONCLUSÕES.

A mulher depois de 8 anos não conseguiu sair do Bolsa Família, provando que o benefício não tem um bom mecanismo de saída, nem ensina a pescar. A mulher ainda reclama que o benefício é insuficiente para ela comprar luxos para sua filha.

***

Efeito manada
Até agora ninguém sabe de onde surgiu esse boato descerebrado, mas talvez tenha sido algum opositor jocoso do governo querendo fazer alguma pegadinha com os mais necessitados. A PF vai investigar a origem do boato.

Cabresto
Esse episódio denota algumas coisas:

1- A ignorância dos beneficiários e como são facilmente manipuláveis.

2- Como as pessoas creem em boatos.

3- A desconfiança dos beneficiários no governo.

4- A necessidade que as pessoas têm em buscar seus cento e poucos reais. Mesmo depois de mais de 10 anos de assistencialismo, as pessoas ainda precisam dele. Isso prova como o assistencialismo é incapaz de sanar a raíz do problema, apenas conter seus efeitos. A nossa economia é tão forte que por causa de cem reais as pessoas estão brigando nas filas, o que prova como o governo a eficiência econômica do governo.

5- Como a falta de instrução, causada pela péssima educação que o governo oferece, acaba fazendo com que as pessoas creiam em qualquer coisa.

6- O medo que os beneficiários têm de perder o benefício. Apenas um boato já foi o suficiente para aterrorizá-los. Imagine se esse terrorismo fosse feito numa campanha? Será que o voto deles não seriam igualmente influenciados por boatos envolvendo a suspensão do benefício?

7- Como os beneficiários podem ser burros de crer que a visita do Papa ao Rio iria paralizar o programa por 3 meses.

8- Como teve gente que achava que iria receber os 3 meses de uma vez só. Isso não faz o menor sentido.

9- Mesmo gastando bilhões em assistencialismo, nosso país não conseguiu melhorar a educação das pessoas. Logo, ainda somos um país pobre intelectualmente.

10- Como os beneficiários creem que o dinheiro que recebem do governo é deles por direito. Como se ninguém tivesse trabalhado para contribuir ao governo para distribuir o assintencialismo.

Essa posse ideológica do benefício como algo adquirido e inalienável é algo muito perigoso, que denota a dependência que o assistencialismo causa em algumas pessoas.

Um comentário

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s