10 motivos para dar o dízimo

1. Porque reconhece que tudo o que tem veio de Deus:
“… a fim de que conheçam os viventes que o Altíssimo tem domínio sobre os reinos dos homens; e os dá a quem quer e até ao mais baixo dos homens constitui sobre eles” (Daniel 4:17b).

2. Porque sabe que a Terra é do Senhor:
“Do SENHOR é a Terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam (Salmo 24:1). Minha é a prata e meu é o ouro” (Ageu 2:8).

3. Porque sabe que o Dízimo é do Senhor:
“Também todas as dízimas do campo, da semente do campo, do fruto das árvores são do Senhor” (Levítico 27:31 a).

4. Porque reconhece que o Dízimo é de uso exclusivo de Deus:
“… o Dízimo será Santo ao Senhor” (Levítico 27:32b).

5. Porque sabe que o Dízimo é o sustento da Casas de Deus:
“Trazei todos os Dízimos à Casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha Casa…” (Malaquias 3:10a).

6. Porque você é inteligente:
“… e depois fazei prova de mim, diz o SENHOR dos Exércitos, se Eu não vos abrir as janelas do Céu e não derramar sobre vós uma benção tal, que dela vos advenha a maior abastança” (Ml 3:10b).

7. Porque você não quer ir para o inferno:
“E, por causa de vós, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra, e a vide no campo não vos será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos”(Ml 3:11).

8. Porque você não quer roubar de Deus o que é dele de direito:
“Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas (Ml 3:8).

9. Porque você não vai querer contrariar a Deus:
“Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais a Mim, vós, toda a nação” (Ml 3:9).

10. Porque o Senhor Jesus nos mandou contribuir além do Dízimo:
“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais o mais importante da lei: o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer essas coisas e não omitir aquelas” (Mateus 23:23).

10 motivos para não dar o dízimo

1- Não era dado com dinheiro e não era mensalmente

Deuteronomio 14:22-30

Certamente darás os dízimos de todo o fruto da tua semente, que cada ano se recolher do campo.

E, perante o SENHOR teu Deus, no lugar que escolher para ali fazer habitar o seu nome, comerás os dízimos do teu grão, do teu mosto e do teu azeite, e os primogênitos das tuas vacas e das tuas ovelhas; para que aprendas a temer ao SENHOR teu Deus todos os dias.

E quando o caminho te for tão comprido que os não possas levar, por estar longe de ti o lugar que escolher o SENHOR teu Deus para ali pôr o seu nome, quando o SENHOR teu Deus te tiver abençoado;

Então vende-os, e ata o dinheiro na tua mão, e vai ao lugar que escolher o SENHOR teu Deus;

E aquele dinheiro darás por tudo o que deseja a tua alma, por vacas, e por ovelhas, e por vinho, e por bebida forte, e por tudo o que te pedir a tua alma; come-o ali perante o SENHOR teu Deus, e alegra-te, tu e a tua casa;

Porém não desampararás o levita que está dentro das tuas portas; pois não tem parte nem herança contigo.

Ao fim de três anos tirarás todos os dízimos da tua colheita no mesmo ano, e os recolherás dentro das tuas portas;

Então virá o levita (pois nem parte nem herança tem contigo), e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva, que estão dentro das tuas portas, e comerão, e fartar-se-ão; para que o SENHOR teu Deus te abençoe em toda a obra que as tuas mãos fizerem.

1-Dízimo era dado em grãos, em alimentos levados de ano em ano. Deuteronomio 14:22

2-O fiel deveria entregar o dízimo no templo de Jerusalem, então eles vendiam o alimento e ao chegar em Jerusalem usavam o dinheiro para comprar o alimento a ser dado com dízimo. Deuteronomio 14:24

3-O dízimo era dado anualmente, não mensalmente.

4-No terceiro ano todos os dízimos que eram levados ao templo eram divididos com o povo (velhos, orfãos, viúvas e estrangeiros) pelo levita. Deuteronomio 14:28

5- As bênçãos eram chuvas e não prosperidade financeira e nem casa nova

6- O devorador era identificado como os gafanhotos que destruíam as plantações e exterminavam o pasto para o gado. A ausência de chuvas e, como consequência, incêndios nas plantações.

Hoje as igrejas fazem obras de caridade, mas elas são obrigadas a fazer filantropia, pois recebem isenção de impostos (nem prestando contas do trabalho social que fazem ao Estado).

2- Era reservado para os levitas, que hoje não existem mais

No cristianismo, todos nós somos a Igreja de Jesus. Cabe a todos nós pregarmos o evangelho a toda a criatura com nossas palavras e ações. Se somos todos chamados para sermos os representantes de Cristo, como poderíamos dar 10% do nosso salário a nós mesmos? Não existem mais levitas. A Lei se foi na cruz.

O cristão não deve levar seu dízimo ao templo, pois o seu próprio corpo é o templo e aonde um ou mais se reunirem em memória de Cristo ali ele estará.

3- A era da lei se passou

No momento em que Jesus foi sacrificado, o véu do templo foi rasgado e a Lei deu lugar a Graça. Logo, as coisas da Lei se passaram e agora estaríamos na Lei. O dízimo deveria ser levado a um templo (lugar físico), mas com o advento da Graça devemos nos reunir na Igreja (lugar onde haja um ou mais em nome de Cristo). Templo não é igreja, pois Jesus foi inaugurador a Igreja através de seu sacrifício.

Hebreus 8:16

Dizendo Nova aliança, envelheceu a primeira. Ora, o que foi tornado velho, e se envelhece, perto está de acabar.

Romanos 10:4

Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê

4- O dízimo atual não tem finalidade correta

Hoje, na maioria dos casos, os dízimos são usados para construir templos feitos por mãos humanas e para sustentar profissionais da fé assalariados. Esses profissionais, muitos dos quais poderiam trabalhar secularmente, acabam vivendo de deus ao invés de viverem para deus.

Na prática, cobram da igreja para fazerem aquilo que deveriam fazer de graça, que é pregar o evangelho. De graça dais, de graça deveis receber. Os pastores assalariados acabam ficando reféns de seus salários, muitas vezes deixando de fazer o que é certo com medo de perder o dízimo de alguns fiéis.

5- Efeitos maléficos

Deus não precisa de dinheiro, mas a obra dele precisa. O problema é que os pastores que mais pedem dinheiro para a obra de deus são os que menos pregam a palavra de deus. O acúmulo de recursos nas igrejas acaba por atrair aproveitadores para o ofício e corromper a muitos bem intencionados. Todos sabemos que a Igreja pode funcionar sem assalariados, programas de tv, grupos musicais  e templos sultuosos. A única coisa que a Igreja precisa é a fé pura de seus fiéis, não importando aonde estejam. A Igreja primitiva não se reunia em templos sultuosos, mas nas casas de seus próprios membros.

6- Tudo nos é dado por deus

Se tudo nos é dado por deus, por que deveríamos devolver 10% para uma instituição religiosa se somos todos parte da Igreja? O fiel que retira o dinheiro do dízimo para ajudar seus parentes e próximos necessitados está roubando a deus?

Um fiel que deixa de pagar suas dívidas para pagar o dízimo está sendo fiel a deus? Será que deus vai te punir se ao invés de 10%, você contribuir com 9%? Para deus, 9% com amor vale menos do que 10% por obrigação?

O verdadeiro roubador de deus é aquele que, podendo ajudar quem tem fome e precisa urgentemente de ajuda, prefere dar seu dinheiro para uma instituição religiosa, onde heresias serão pregadas e pastores assalariados enriquecem.

O brasileiro já paga IPTU, IPVA. ICMS, IPI e etc. Será que todos nós devemos dar 10% do bruto ou do líquido? Adivinhem! Os pastores assalariados são os mais raiovosos ao dizer que o dízimo é do bruto.

7- Devemos dar com alegria

Muitos pregadores afirmam que a oferta deve ser dada com alegria, mas o dízimo não seria uma oferta, seria um dever do fiel. Logo, dizem que você não entrega o dízimo, você devolve.

Portanto, na visão deles, não importa se você dá ou não o dízimo com alegria, apenas importando que você dê. Eles se veem como os representantes de deus para arrecadar o dízimo, como se suas igrejas fossem a Casa do Tesouro.

Como você poderia dar com alegria algo que você tem a obrigação de dar, do contrário vai pro inferno como ladrão? Se o dízimo não é um tipo de oferta, o que é então? Ofertas devem ser dadas com alegria, da mesma forma, aquele que dizima deve dar com alegria.

8- O dízimo afasta pessoas que poderiam ser alcançadas

Infelizmente, esse foi o motivo que mais me motivou a fazer esse texto. Quantas vezes eu já convidei uma pessoa a ir a uma igreja e ela só recusou porque alegou que não queria dar dinheiro para pastor. Essa é a dura realidade. A maior parte do “preconceito” que as pessoas têm para com a igreja se deve pela exploração excessiva do dinheiro e pela vida de ostentação dos clérigos.

Muitas pessoas se afastam da igreja e outras até evitam visitá-las por causa da noção que terão um décimo de seus salários destinados aos pastores. Só deus sabe quantas almas já se perderam por causa disso. Muitos pastores dizem que a obra de deus precisa de dinheiro para alcançar as pessoas, mas, infelizmente, ao pedir dinheiro sistematicamente o que acontece é que as pessoas se afastarão da igreja.

9- Não vivemos numa teocracia

Nos tempos bíblicos, a forma de governo era teocracia. Não havia previdência social ou qualquer sistema de proteção social. Logo, a proteção social e o cuidado para com os necessitados era papel dos sacerdotes levitas.

Hoje, não vivemos numa teocracia e o nosso governo já possui uma poderosa rede de proteção social que é paga pelos nossos impostos. Não é justo que o cidadão pague duas vezes pela mesma coisa, uma vez que todos já pagamos caro ao governo para cuidar dos necessitados.

10- Ninguém rouba a deus por não oferecer dinheiro a homens

Os verdadeiros roubadores de deus são os pastores que pedem dízimo de quem não pode dar para gastar de forma que ninguém pode saber. Muitas são as pessoas que sentem suas almas ameaçadas quando não dizimam devido ao discurso de medo desses pastores. Muitos são os que acreditam que as pessoas vão pro inferno por “roubarem” a deus nos dízimos, mas se esquecem que estão roubando a deus até quando os dão a igrejas heréticas que deixam os pobres sem assistência.

a-No Novo Testamento devemos dar somente o que pudermos

1 Coríntios 16:2

No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar.

Ou seja, diferente do que os pastores bandidos dizem, ninguém deve dar mais do que pode e quer apenas por medo de “roubar” a deus.

Mateus 23:23

“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais o mais importante da lei: o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer essas coisas e não omitir aquelas”.

Nesse versículo Jesus alerta que cumprir a lei(dízimo) sem ter no coração a fé e a misericórdia é hipocrisia! Da mesma forma, devemos fazer as ordenanças de deus sempre com amor ao próximo. No caso em questão, Jesus falou do dízimo porque ele ainda não tinha se sacrificado para banir a Lei e instituir a Graça. Por isso a Igreja primitiva não dava dízimo, pois a Graça suplantou a Lei.

Malaquias 3:8-11

Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas.

Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação.

Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes.

E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.

O texto de Malaquias é um esporro à Israel por deixar os levitas sem assistência, uma vez que essa tribo era encarregada do Tabernáculo. Desse modo, a nação estava em direta violação contra as regras e a regulamentação da Lei de Moisés. Estavam roubando a Deus, pois deixaram a viúva, órfão e o estrangeiro sem ajuda. Não existe uma única sílaba em toda a passagem que possa ser aplicada ao membro de Igreja. Sem contar que o dízimo daquela época era o único imposto e servia para financiar o exercito e a guerra. Logo, os roubadores de deus de hoje são os pastores ladrões que recebem o dízimo e não ajudam os necessitados (viúva, órfãos e estrangeiros).

Anúncios