Estados Unidos da América

A agência reguladora de alimentos do EUA aprovou a vendo sem necessidade de receita da pílula do dia seguinte para jovens a partir de 15 anos.

Agora o “medicamento” poderá ser exibido nas prateleiras, assim com já acontece com as camisinhas. No entanto, para pagar, será requerida uma identificação.

Estados Unidos da Banânia

A poucos dias atrás, o Ministério da Saúde distribuiu cerca de 175 mil cartilhas de pílulas do dia seguinte na rede pública. Ainda foi distribuído um livreto com instruções aos médicos e enfermeiros sobre o uso do medicamento. Agora eles poderão dar a pílula em postos de saúde sem receita médica.

Não é permitido que se compre a pílula sem prescrição médica no Brasil, apesar de que, na prática, a prescrição não é exigida.

Estatísticas

33% das mulheres que usam a pílula não fazem uso de nenhum método contraceptivo. O uso precoce da pílula pode fazer com que jovens acabem se acostumando a não se proteger, acabando contraindo DST’s. E ainda tem as consequências hormonais.

Pílula do Dia Seguinte

A pílula pode ser usada de dois tipos. Uma ingestão única ou duas ingestões( uma após o ato e outra 12 horas depois). Quanto mais tempo demorar, menor a eficácia.

Aborto

A pílula não tem caráter essencialmente abortivo. A vida começa quando o espermatozóide fecunda o óvulo. O que a pílula faz é impedir a fecundação, que geralmente ocorre horas após o ato sexual.

Efeitos Colaterais

Altera o ciclo menstrual e o tempo de ovulação. Causa dor de cabeça, dor nos seios, náuseas, vômitos, diarréia, etc. O uso prolongado provoca má formação no feto e câncer de mama, vagina, de colo e de fígado.

Recomendações

Após o uso, repousar durante o dia, adotar postura cuidadosa ao se mover, evitar segurar peso, controlar aumento de peso e usar bengala e corrimãos para melhorar a sustentação.

Polêmica

A concepção pode ocorrer logo após o ato sexual ou até 3 dias depois. Muitos creem que pode causar aborto nas primeiras fases da gravidez, impedindo que o óvulo fecundado se aninhe na parede do útero.

Comento

São nessas horas que religiosos da estirpe de Malafaia e Feliciano costumam ficar calados, seja porque não se opõe de fato ou seja porque querem bancar os moderninhos.

A pílula do dia seguinte é uma questão polêmica. Por mais mal que eleva cause, ainda é muito melhor que um aborto cirúrgico. A compra dela o mais rápido possível tem a vantagem de impedir com mais eficiência que haja fecundação e que se crie a demanda por um aborto de fato.

Quanto mais cedo a pílula for usada, menos pessoas abortarão. Essa é a dura realidade. O fato dela ter um risco de ser abortivo parece ser real e esse risco deve ser mensurado pela usuária.

Como é impossível saber quando o óvulo é descartado junto com a menstruação, é impossível ter provas que o aborto ocorreu. Logo, a pílula, além se ser um “medicamento”, também pode ser um dilema, pois se usada em excesso pode transformar na pílula do não-dia seguinte.

Anúncios