EUVÍ: A perseguição de cristãos na Páscoa e os símbolos religiosos



Os Estados Unidos é o país mais protestante do mundo (do ponto de vista religioso), tendo 246 milhões de Cristãos e 49% de protestantes. Já o Brasil é o país mais católico do mundo com mais de 100 milhões de católicos, que comporiam cerca de 67% no mais tímido dos cenários. Enquanto no Brasil se discute se símbolos religiosos e frases ditas religiosas devem ser retiradas das notas, no resto do mundo a perseguição ao cristãos come solta sem um pio da nossa mídia.

Estima-se que estejam presas atualmente mais de 100 mil pessoas cristãs ao redor do mundo simplesmente porque são cristãs. Os países que mais perseguem os cristãos são os países de maioria irreligiosa e mulçumana, como são o caso da China, Coreia do Norte, Irã e etc – se bem que existem também partes da Índia em que e vez em quando se cometem genocídios de cristãos cometidos por hindus e não por parte do Estado. Nenhuma religião no mundo é tão perseguida quanto os cristãos, por motivo óbvio; pois nunca na história do mundo uma religião se espalhou por tantos lugares do mundo onde seus fiéis constituem uma minoria religiosa perseguível.

Muito é falado por ateus e protestantes radicais de quantos crimes foram cometidos pela igreja católica, sendo essa a mais defenestrada instituição da história na mente deles. No entanto, além de ter sido a instituição que construiu as primeiras universidades e que deu origem a toda a moral que impera nos dias atuais, a igreja católica conseguiu dominar a Europa durante anos sem necessidade de grandes genocídios.

Países com mais perseguição de cristãos. Quase todos em países marcados pelo ateísmo comunista ou pela teocracia islâmica. A excessão é a Colombia, onde a perseguição é praticada pelos esquerdistas das FARC. 

 

Hoje estima-se que durante todos os 400 da maquiavélica Santa Inquisição teriam sido mortos – acreditem se quiserem – cerca de 4.000 mil pessoas, o que é pouco se comparado com o que outras instituições fizeram. É importante frisar que a Santa Inquisição via de regra só julgava católicos e seus julgamentos eram tão longos e metódicos que atravessavam anos, muitas vezes morrendo o acusado antes da sentença. A igreja muitas vezes teria promovido guerras e conflitos, como foi o caso das Cruzadas. Entretanto, quantos não foram os conflitos e guerras que foram cessados ou evitados devido à intervenção da igreja? Alguém já ouviu falar do tribunal de Salamanca?

Para comparar, a Revolução Francesa, que tinha um caráter claramente anti-clerical matou nos seus primeiros dias 100 mil pessoas. Como dizia Napoleão: “A França pode viver sem deus, mas não sem a igreja”. Aliás, o imperador francês alegava que a religião era aquilo que impedia o pobres de matarem os ricos. É esse caráter anti-revolucionário que deve ter compelido Lênin e seus discípulos a combater a sociedade cristã.

Os protestantes nunca tiveram a oportunidade de fazerem grandes matanças em nome da fé, com a excessão de alguns poucos malucos que mataram a si próprios. O julgamento da bruxas de Salem terminou matando – advinha? – 19 pessoas. Enfim, a religião é capaz de fazer pessoas “ruins” a fazerem coisas boas e capaz de fazer pessoas “boas” a fazerem coisas ruins. O mais interessante é que se alguém verificar quais são os países que mais perseguem a religião alheia vão reparar que nenhum deles é de maioria “cristã”, sendo eles quase todos de maioria irreligiosa ou mulçumana.

O ranking da perseguição religiosa.

Todos falam dos abusos do cristianismo, mas pelo menos os cristãos ocidentais conseguiram formar uma sociedade onde as minorias são acolhidas e têm seus direitos protegidos. Que grupo até hoje criou mais orfanatos que a igreja católica? Que grupo regeneram mais marginais que as igrejas evangélicas? Por mais que se odeie as religiões, seja por trauma ou por aprendizado, é ilógico negar que algo de bom elas fizeram algum dia. Se deus existe? Pouco interessa, pois nunca vi ninguém provar ou refutar sua existência de forma cabal. O que de fato interessa é que tem gente que tem a sua vida melhorada com a ideia de que existe um criador.

De vez em quando querem tirar os símbolos religiosos católicos do nosso cotidiano alegando a laicidade do Estado. Bem, confesso que é uma ideia legítima. Por que haveria símbolos católicos e não haveria símbolos protestantes, judeus, hindus e de outras religiões? Talvez seja porque fomos colonizados por católicos que derramaram o sangue deles e do outros para erguer essa que é uma das nações mais abertas do mundo. Apagar nossos símbolos católicos poderia significar o mesmo que apagar a nossa história, e como sabemos, um povo que esquece o que fez acaba esquecendo quem ele é.

O taliban da perseguição aos cristão não é privilégio de Estados de maioria mulçumana, mas também de Estados de maioria mulçumana e hindu. Só para constar, cristãos também já perseguiram muito os mulçumanos nas Filipinas.

Já que a civilização judaico-cristã ocidental é tão cruel, imagino que deveríamos tratar irreligiosos e mulçumanos da mesma forma que os mulçumanos e os religiosos tratam judeus e cristãos nos países onde a principal religião é o islamismo ou o ateísmo. Boa ideia não é? Péssima ideia, pois tal ato para a nossa sociedade, além de ser um retrocesso, é um pecado.

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s